Joao 1.1 Segundo as Testemunhas de Jeová

O Logos, Os Jeovistas,

e os Gramáticos...


ologos, gramaticos


Marcelo Lemos
Olá Marcelo,

Em conversa com um TJ ela disse que no primeiro século não existia o artigo “um” na lingua grega e por isso que não consta do grego. Ele se utiliza da COPTA SAÍDICO; P. CHESTER BEATTY-813; COM A TRADUÇÃO INTERLINEAR

No princípio era a Palavra e a Palavra estava com o Deus e um deus era a Palavra.

Isto procede?

Irmão Richard, o argumento é bem engenhoso, e me parece com o tipo de alegação que visa desarmar o oponente apelando para algum conhecimento que o outro supostamente não detém; neste caso, que o grego bíblico (koiné) desconhecia o artigo indefinido “um”. Seja esta ou não a intenção, o fato é que não vejo como este detalhe pode ajudar os jeovistas em sua capciosa exegese de João 1.1.


E daí? Este detalhe te ajuda em que? Sendo assim, então você não foge da questão antes, obriga a si mesmo a provar que inseriu no texto algo que os escritores inspirados não fizeram? – Estas são algumas das perguntas que eu lançaria para a Testemunha de Jeová.

Ele admite que o termo ‘um’ não faz parte do texto original, e portanto, assume o ônus de justificar sem qualquer apelação contrária, a presença do mesmo em sua tradução – ainda mais num lugar que lhes é tão conveniente...

Provavelmente, o argumento da pessoa é algo do tipo: “Olha, o grego bíblico não conhecia o artigo indefinido ‘um’, porém, o mesmo aparece em diversos lugares, segundo o critério dos tradutores. E nós, jeovistas, o utilizamos em João 1.1; assim como eles o utilizaram em outras passagens. Portanto, somos tão consistentes quanto os demais tradutores”.

O argumento, repito, parece bem engenhoso, mas é desonesto, falacioso. kai theos en ho logos. E Deus era o Verbo; que vertemos para o português como sendo “E o Verbo era Deus”, já que o sujeito da oração é Cristo, e o restante, seu predicado. “Deus” é um predicado do Verbo. Assim como em pneuma ho theos: espírito era Deus, espírito é predicado de Deus, o que nos dá “Deus é espírito” (João 4.24).

E os casos onde os nossos tradutores usam o artigo indefinido “um” na tradução? Bem, em síntese, o fato é que o artigo indefinido é absolutamente desnecessário, ou perfeitamente justificável gramaticalmente.

Nenhuma justificativa é possível a eles. Aqui, retomo mais uma vez a autoridade do gramático Mantey, o mesmo que exigiu que a Torre de Vigia se retratasse das mutiladas citações;

“A vossa cita­ção da regra de Colwell é inadequada, porque indica apenas parte das suas conclusões... Ambos os eruditos escreveram que, quando pretendiam dar a idéia indefinida, os escritores dos Evangelhos colocavam regularmente o nome predicativo depois do verbo, e tanto Colwell como Harner afirmaram que Theos, em João 1.1, não é indefinido e não deve ser traduzido por 'um deus. Os escri­tores da Torre de Vigia parecem ser os únicos a advogar tal tradução agora. A evidência contra eles parece de 99%”.

Em outras palavras, quando os escritores bíblicos querem dar a idéia de “indefinido” – que para nós implica no uso do “um” (a.i.); faziam as palavras aparecerem em determinada ordem – o que não ocorre no texto em questão, como bem denuncia o trecho acima citado.

E Deus era o Logos. Volto a frisar que caso a tradução que eles julgam correta é “E um deus era o Logos”, então eles abraçam uma religião politeísta, pagã. Não deixe de enfatizar este detalhe – faço a ‘Testemunha’ confessar que acredita em dois deuses: um maior, outro menor. Ela não tem como fugir disso. Tal confissão lhe será de grande impacto, pois elas alegam que nós, trinitarianos, é quem são os “politeístas pagãos”.

Agora, a ‘Testemunha’ que você conhece é bem esperta e informada. Percebo isso pelo uso que ela faz da versão copita. De fato, na tradução mais famosa que dispomos do copita, há o emprego do artigo indefinido: “era [um] Deus”. Por que? Simples: em tão língua, este é o padrão da escrita; assim como a ausência era o padrão do koiné. Teologicamente o significado é NULO!

Layton Bentley em sua obra A coptic Grammar with chrestomathu and glossary – Sahidic Dialect, afirma que o uso do artigo indefinido no dialeto saídico pode ser usado em referência a classe ou a qualidade (p.43). Observe suas colocações:

O artigo indefinido é parte do padrão sintático copta. Esse padrão pode ser tanto qualitativo [divino] ou de entidade [um Deus]; o leitor decide que leitura atribuir a isso. O padrão copta não atribui equivalência com o nome próprio Deus; em copta, Deus é sempre, sem exceção, suprido com o artigo definido. A ocorrência de um substantivo anartro nesse padrão seria muito estranho”.

Seja como for, pergunte a Testemunha de Jeová de onde eles traduziram sua querida “Novo Mundo”. Ora, segundo eles informam, tal tradução foi feita diretamente do grego, não do copita. Logo, mesmo que o copita afirmasse algo diferente do grego, nós devemos ficar com o grego, não com o copita. Afinal de contas, o apóstolo foi inspirado pelo Espírito Santo em qual língua mesmo?

Portanto, o uso que ele faz de tradução tão antiga lhe coloca sobre um castelo de areia: primeiro pois o texto copita é ambíguo, como somos informados por um especialista no assunto (acima); segundo, pois Deus não inspirou o texto copita, mas sim, o texto em Koiné – e no Koiné (idioma bíblico do Novo Testamento!!), a tradução “um deus” é absolutamente impossível.

Para conhecer mais detalhes sobre tal impossibilidade no koiné, recomendo a leitura de “Radiografia do Jeovismo”; publicado pela CASA, editora adventista. A obra é do maravilhoso exegeta: Arnaldo B. Cristinanini.

Espero ter lançado alguma luz sobre esta interessante questão.

Paz e bem!

159 comentários :

  1. Paz Marcelo,

    Eu estava brincando quando me referi aos baneres. :)

    Ótimas colocações, essa é uma boa resposta para o Richard dar a sua "amiga" TJ. Infelizmente os TJ são cegados pela Torre de Vigia, nunca criticando os seus ensinos.

    Em Cristo,

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  2. Aos leitores.

    Sobre João 1:1, tem havido muitas polêmicas quanto ao uso ou, não uso do art. indf. "um". Acusam harbitrariamente as TJs de fazerem uma tradução tendenciosa deste texto, não levando em conta que outros tradutores não TJs, também usam o art. indf. "um"

    Tal uso deste art. indef. é preciso, não apenas por uma questão de tradução pura e simples, mas para condizer com o restante das Escrituras, que, em parte alguma diz que Jesus é o Deus Todo Poderoso.

    Jesus sempre disse de si mesmo como "o FILHO DE DEUS"
    Por 3 vezes a voz de Deus deu testemunho dizendo: "ESTE É MEU FILHO O AMADO, ESCUTAI-O"
    Simão Pedro disse: “Tu és o Cristo, o FILHO do Deus vivente.

    Paulo disse:

    "Bendito seja o DEUS e PAI de nosso Senhor Jesus Cristo".

    "Mantende em vós esta atitude mental que houve também em Cristo Jesus, o qual, EMBORA EXISTISSE EM FORMA DE Deus, NÃO deu consideração a uma usurpação, a saber, QUE DEVESSE SER IGUAL A DEUS".

    Fica muito claro para os amantes da VERDADE, que Jesus sempre foi FILHO de Deus.

    Jesus ADORA seu Pai como DEUS Todo Poderoso.

    A profecia de Isaias já dizia a muito tempo que o Messias seria chamado de "Deus poderoso, Pai eterno, Principe da paz"

    Se Jesus é o DEUS, para quem ele orava?

    Jesus disse numa oração ao seu Pai:
    "Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, O ÚNICO DEUS verdadeiro, e DAQUELE que enviaste, Jesus Cristo".

    Assim, obterá a vida eterna aquele que crê no ÚNICO Deus verdadeiro, e em Jesus Cristo como o filho de Deus enviado à Terra.

    "Quem é que vence o mundo senão AQUELE QUE TEM FÉ EM QUE Jesus é o Filho de Deus?" (1 João 5:5)

    Quem não tem esta fé, não verá a vida eterna!
    Por isso todo cuidado é pouco!

    Portanto, usa-se o art. indf. "um" para afirmar que Jesus era e é de fato "um deus", mas não o DEUS TODO PODERSO, a quem só pertence o nome IHWH (Jeová em português do Brasil) Sal. 83:18

    Mais inf. ludwig_marcelo@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Sua opinião apenas comprova que não há justificativa gramatical para empregar o artigo indefinido. Veja, todas as suas "justificativas", que são apenas citações de textos isolados, apenas provam que o aritigo indefinido utilizado pelas Testemunhas de Jeová, visam encaixar o texto em sua teologia pre-concebida. Assim é facil! O que nos interessa neste debate é sabe o que diz a gramática!

    Paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. Sobre os banners, irmão Ednaldo, eu compreendi a brincadeira. Muito bom!

    Sobre as "TJ's", concordo com vocêm genero, número e grau - e lamento que a mesma cegueira esteja sendo plantada no coração de muitos cristãos pelo neo-pentecostalismo e seus pseudo-apostolos.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Interessante ver um jeovista afirmar que Jesus é “um” deus ou um deus em qualidade inferior, quando eles usam o texto de Isais 43.10;
    "Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá."

    So que eles não prestam atenção no que afirmam e ensinam, quando dizem que Jesus é um deus em qualidade inferior. Se existe só um Deus, como o texto em questão, e a Biblia acertadamente afirmam, como Jesus pode ser um deus inferior? Quantos deuses existem?

    I João 5.20; E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

    A Palavra de Deus declara em muitos textos que o filho é eterno (Isaias 9.6; Miquéis 5.2; Hebreus 13.8; João 1.3). Na Biblia, o vocábulo primogênito (No grego prõtotokos, formato de prõtos, “primeiro” e tiktõ “gerar” e no hebraico bekôr), além do sentido original e humano de filho mais velho, abrange também o significado de primazia, preeminência, supremacia, pré-dominio, autoridade total e etc. Um exemplo claro na Biblia é Davi, que era filho mais novo de Jessé (1 Samuel 16.11) e no Salmo messiânico 89. 27, Deus o chama de primogênito;
    “Também o farei meu primogênito mais elevado do que os reis da terra.”
    Tanto que o escritor aos Hebreus no capitulo12.23 diz que a igreja é formada por primogênitos;
    “A universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados.”
    Quando a Biblia o apresenta como Filho ou Primogênito, tem a ver com a POSIÇÃO e não com a sua criação, como se Ele fosse criatura ou um deus inferior.
    Basta ler Colossenses 1. 15 a 18. Ele é apresentado como Criador e também como um ser á parte da criação. O verso 18 e taxativo;
    “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.”
    E é justamente isso que Paulo trata em Colossenses 2.9;
    “Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade”
    Como disse um professor de escola Biblica em minha igreja;
    “É como se todo o oceano fosse colocado dentro de um copo de água”

    ResponderExcluir
  6. Se for possível ao editor reenviar-me esta mensagem, remetida por lapso antes de sua conclusão e arrrumação, para que eu possa corrigi-la e reenviá-la, peço fazê-lo, suprimindo-a do site e aguardando a nova. Grato. Lúcio

    ResponderExcluir
  7. O mais controverso da doutrina jeovista é ve-los afirmar que Jesus era "um" deus, se a o texto que eles usam de Isaias 43.10 acerca de si mesmos afirma que há só um Deus.

    Se a Biblia afirma que há somente um DEUS, como os Jeovistas podem afirmar que Jesus era ou é um deus?
    Descontextualizam uma série de versos para justificar tal contradição.

    Na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs, versão bíblica forjada pelas "testemunhas-de-jeová", lê-se João 1.1, assim: "No princípio era a Palavra e a Palavra estava com Deus e a Palavra era um deus". Note o final da expressão: "... um deus".
    Entre as famosas traduções da Bíblia conhecidas hoje, pelo menos dezenove delas afirmam que "A Palavra era Deus"; não "deus" com "dl" minúsculo, ou "um deus" qualquer. Veja, por exemplo:
    • KING JAMES VERSION - A Palavra era Deus.
    •THE NEW INTERNATIONAL VERSION (A Nova Versão Internacional) - A Palavra era Deus.
    • ROTHERHAM - A Palavra era Deus.
    • DOUAY - A Palavra era Deus.
    • JERUSALÉM BIBLE (A Bíblia de Jerusalém) - A Palavra era Deus.
    • AMERICAN STANDARD VERSION (Versão Padrão Americana) - e a Palavra era Deus.
    • REVISED STANDARD VERSION (Versão Padrão Revista) - e a Palavra era Deus.
    • YOUNG'S LITERAL TRANSLATION OF THE BIBLE (Tradução Literal da Bíblia, de Young) - e a Palavra era Deus.
    • THE NEW LIFE TESTAMENT (O Testamento da Nova Vida) - a Palavra era Deus.
    • MODERN KING JAMES VERSION (Versão Moderna da King James) - a Palavra era Deus.
    • NEW TRANSLATION - DARB Y (Nova Tradução) - a Palavra era Deus.
    • NUMERIC ENGLISH NEW TESTAMENT - a Palavra era Deus.
    • THE NEW AMERICAN STANDARD BIBLE (A Nova Bíblia Padrão Americana) - e a Palavra era Deus.
    • THE NEW TESTAMENT IN MODERN SPEECH -WEYMOUTH (O Novo Testamento em Linguagem Moderna) - e a Palavra era Deus.
    • THE NEW TESTAMENT IN BASIC ENGLISH (O Novo Testamento em Inglês Básico) - e a Palavra era Deus.
    • THE NEW TESTAMENT IN MODERN ENGLISH -MONTGOMERY (O Novo Testamento em Inglês Moderno) - e a Palavra era Deus.
    • THE NEW TESTAMENT IN ENGLISH (Phillips) - essa Palavra estava com Deus e era Deus.
    • THE BERKLEY VERSION (A Versão de Berkley) - e a Palavra era Deus.
    • EMPHATIC DIAGLOTT (Publicação das testemunhas-de-jeová) - e o Logos era Deus.
    Quatro traduções não usam exatamente a expressão "a Palavra era Deus", mas evidenciam a divindade de Cristo conforme o texto de João 1.1. São elas:
    • AN EXPANDED TRANSLATION - WEST (Uma Tradução Ampliada) - e a Palavra era, quanto à sua essência, divindade absoluta.
    • THE AMPLIFIED BIBLE (A Bíblia Ampliada) - e a Palavra era o próprio Deus.
    • LIVING BIBLE (A Bíblia Viva) - antes que algo mais existisse, existia Cristo com Deus. Ele sempre tem vivido e é Ele o próprio Deus.
    • LAMSA - E Deus era essa Palavra.
    Quatro traduções não ensinam claramente a divindade de Cristo, conforme João 1.1. São elas:
    • MOFATT - O Logos era divino.
    • TODAVS ENGLISH VERSION (Versão em Inglês de Hoje) - e Ele era o mesmo que Deus.
    • GOODSPEED - A Palavra era divina.
    • NEW ENGLISH BIBLE (Nova Bíblia Inglesa) - e o que Deus era, a Palavra era.

    Apenas quatro traduções, negam a divindade de Cristo em João 1.1. São elas:
    • THE NEW WORLD TRANSLATION OF THE HOLY SCRIPTURES (Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas) - e a Palavra era um deus.
    • EMPHATIC DIAGLOTT (tradução interlinear do grego) - e um deus era a Palavra.
    • THE KINGDOM INTERLINEAR OF THE SCRIPTURES
    (Tradução do Reino, Interlinear, das Escrituras Gregas) - e deus era a Palavra.
    • THE KINGDOM INTERLINEAR (A Interlinear do Reino) - e a Palavra era um deus.
    Todas estas últimas quatro versões citadas são publicadas e distribuídas pelas testemunhas-de-jeová.

    Como disse o doutor Julios R. Mantey co-autor do Manual Grammar of the Greek New Testament;
    "A TNM é uma tradução errada e chocante."

    ResponderExcluir
  8. EN ARKHÊ ÊN O LOGOS KAI O LOGOS ÊN PROS TON THEON KAI THEOS ÊN O LOGOS.

    Em o principio era o Verbo, e o Verbo estava junto a Deus, e Deus era o Verbo.
    ..............................................................................................

    Se João quisesse dizer "a Palavra era um deus", o apóstolo teria usado no grego a palavra "theios", que significa "um deus", um ser meio divino; em vez de Theos (Deus), que João usou conscientemente.

    Não é correto traduzir esse verso como “A Palavra era um deus”, e também não é correto negar a divindade de Cristo. A completa divindade de Cristo é apoiada por outras referências em João (por exemplo, 8.58; 10.30; 20.28), bem como ao longo de todo o Novo Testamento (por exemplo, Cl 1.15,16; 2.9; Tt 2.13; Hb 1.8).
    Além do mais, não é necessário traduzir substantivos no grego que não estejam acompanhados de artigos definidos como se estivessem acompanhados por um artigo indefinido (pois não existem artigos indefinidos no grego). Em outras palavras, theos (”Deus”) sem estar acompanhado pelo artigo definido “o” (hó), não deve ser traduzido como “um deus”, como as Testemunhas de Jeová fizeram quando se referiram a Cristo. É importante destacar que o termo “theos” sem o artigo definido “hó” é utilizado no Novo Testamento referindo-se ao Deus Jeová.
    A falta do artigo definido em Lucas 20.38, referindo-se a Jeová, não significa que Ele seja um Deus menor; assim como a falta do artigo definido em João 1.1, referindo-se a Jesus, também não significa que Ele seja um Deus menor. O fato é que a presença ou a ausência do artigo definido não alteram o significado fundamental do termo “theos“. Se João tivesse a intenção de dar à frase um sentido adjetivo (”que a Palavra era semelhante a um deus, ou divina — um deus”), ele teria à disposição um adjetivo (theios) pronto, a mão, que poderia perfeitamente ter sido utilizado. Ao contrário, João diz que a Palavra é Deus (theos).

    De modo contrário às alegações da Sociedade Torre de Vigia, alguns textos do Novo Testamento utilizam o artigo definido referindo-se a Cristo como “o Deus” (hó theos). Um exemplo disso é João 20.28, onde Tomé diz a Jesus: “Senhor meu, e Deus meu!” No texto grego lê-se literalmente “O Meu Senhor e o meu Deus [hó theos]” (veja também Mt 1.23 e Hb 1.8). Então não importa se João utilizou ou não o artigo definido, no capítulo 1 e verso 1 — a Bíblia claramente ensina que Jesus é Deus, e não apenas um deus.

    ResponderExcluir
  9. Colossenses 2.9; Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da "divindade".

    O termo divindade aparece somente duas vezes no Novo Testamento.
    "Theotes; deidade, o estado de ser Deus."

    Uma no texto citado acima, e em Romanos 1.20;
    "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua "divindade", se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.

    Em Romanos, Paulo fala acerca do Deus Criador e usa o mesmo termo em Colossenses 2, para falar de Jesus.
    O texto de Colossenses pode ser parafraseado "pois em Cristo habita [como sua casa natural], a perfeição inteira [toda a abundância] do que faz Deus ser Deus [a Divindade], de forma completa". Ou, em outras palavras, a perfeição do Criador Jeová habita no corpo de Cristo.

    Interessante que Paulo no capitulo 1 e verso 16 de Colossenses afirma que sobre Jesus;
    "Tudo foi criado por ele e para ele."

    Se somente Jeová é Criador, como Paulo acertadamente afirma em Romanos 1 e Davi no Salmo 19, como Paulo pode afirmar que Jesus também é Criador usando o mesmo termo usado para com Jeová?

    O jeovismo se contradiz em todo tempo e não se cansa de deturbar o Texto Sagrado.

    ResponderExcluir
  10. Outro fato interesssante está em Filipenses 2. 9 a 11;
    " Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
    Para que ao nome de Jesus se "dobre" todo o joelho dos que estäo nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
    E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai."

    A palavra grega para dobrar aqui (kampto) significa mesmo "curvar-se", no sentido de adoração.

    Agora leia Isaias 45.23;
    "Por mim mesmo tenho jurado, já saiu da minha boca a palavra de justiça, e não tornará atrás; que diante de mim "SE DOBRARÁ TODO O JOELHO, E POR MIM JURARÁ TODA A LÍNGUA."

    Se somente Jeová é digno de adoração (Isaias 42.17) e Ele não divide sua glória com ninguem (Isaias 42.8), e que todo joelho se dobrará diante Dele (texto acima), como Paulo pôde afirmar o que afirmou sobre Jesus no texto de Filipenses?

    Como alguém que conhecia tanto o hebraico poderia errar assim? Paulo diz que é à glória do Pai que o Filho obteve "o nome que é sobre todo nome". Mas só há um nome acima de todo (outro) nome, e este só pode ser "Jeová". Nenhum outro nome tem mais alto valor que ele (versículo 9). Então, é à glória do Pai que o Filho foi chamado Jeová. Se não é assim, então seria idolatria para "todo joelho" se curvar "ao nome de Jesus". O nome de Jesus significa "Jeová Salvador".

    Os jeovistas não estudam a Biblia, antes estudam a revista Sentinela e fazem da Biblia material auxilar.

    ResponderExcluir
  11. Em aditamento a explicações a Diego Zwang, informo que, em diversas traduções, Jo 1:1 afirma que JESUS ERA DEUS, e não que JESUS É DEUS. Isto indica que o evangelista tinha em mente, não sua essência, mas sua condição. No momento em que recebeu de seu Pai o poder necessário para que "todas as coisas fossem feitas por intermédio dele", A PALAVRA ERA DEUS, mas quando cessou a obra e o poder, deixou de ter a condição de Deus, como quando esteve na terra. Agora, no céu, Jesus é deus, mas também Deus Poderoso, porque tem a obra de recriar todas as coisas. Mas, deixará de sê-lo, quando terminar tal obra, como indica 1 Co 15:28, que ele se submeterá à divindade absoluta de seu Pai.

    ResponderExcluir
  12. Definitivamente, este é o artigo mais comentado de todo o blog até hoje. Quero agradecer a todos pelos esforços em solucionar questão tão importante.

    No momento gostaria apenas de lembrar ao irmão Lúcio que este artigo é apenas continuação de um artigo anterior, onde eu cito a tradução jeovista literalmente, sem inverter a ordem da frase, e com o parenteses, ok? E outro detalhe, a afirmação de que a tradução copista é teologicamente nula, não e exatamente minha, mas da própria gramática citada.

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  13. "Agora, no céu, Jesus é deus."
    Realmente deve haver mais de um Deus no céu, inclusive Davi.
    Sobre isso não comento mais, pois a contradição jeovista permanece firme. Interessante que os outros comentários não foram citados. É dificil refutar o irrefutável.

    ResponderExcluir
  14. Sr. Diego Zwang.

    Poderia por favor nos explicar o que o apóstolo Paulo queria dizer em 1 Cor. 15:24-28 ?

    24 A seguir, o fim, quando ele (Jesus) entregar o reino ao seu Deus e Pai, tendo reduzido a nada todo governo, e toda autoridade e poder.
    25 Pois ele (Jesus) tem de reinar até que [Deus] lhe tenha posto todos os inimigos debaixo dos seus pés.
    26 Como último inimigo, a morte há de ser reduzida a nada.
    27 Pois [Deus] “lhe sujeitou todas as coisas debaixo dos pés”. Mas, quando diz que ‘todas as coisas foram sujeitas’, é EVIDENTE QUE SE EXCETUA aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
    28 Mas, quando todas as coisas lhe tiverem sido sujeitas, então O PRÓPRIO FILHO TAMBÉM SE SUJEITARÁ ÀQUELE que lhe sujeitou todas as coisas, para que Deus seja todas as coisas para com todos.

    Quem é que sujeitou todas as coisas a Jesus?

    Quem é este que não ficou sujeito a Jesus?

    Se Jesus é O DEUS, por que e a quem ele se sujeirtará?

    ResponderExcluir
  15. Diego, você tem razão: Teria sido mais apropriado ter dito: "Agora, no céu, Jesus é Deus Poderoso". Grato.

    Se desejar, responda à pergunta do Marcelo. Assim, raciocinamos sobre o tema e amadurecemos nossas convicções.

    Não aludi a outros comentários que você fez com tanto cuidado, para abordar um ponto de cada vez, a fim de o aparte não ficar muito extenso. Se preferir, mencione o ponto que quer que eu comente. Terei prazer de fazê-lo. Não desanime quando discordamos um do outro. Eu estou de seu lado, embora tenhamos entendimentos diferentes.

    ResponderExcluir
  16. Sr. Diego Zwang disse:

    "Realmente deve haver mais de um Deus no céu, inclusive Davi.
    Sobre isso não comento mais, pois a contradição jeovista permanece firme. Interessante que os outros comentários não foram citados. É dificil refutar o irrefutável".

    Leia por favor João 17:3.

    "Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo".

    Ora, o próprio Jesus disse que seu Pai Jeová era e ainda é o ÚNICO DEUS. Isso quer dizer que Jesus se comportou como deus enquanto esteve a qui na Terra, em vista do poder que demonstrou ter, inclusive sobre a morte.
    Mas quando está na presença de seu DEUS e PAI ele não atua como um deus.
    "Jesus, nunca deu lugar a uma usurpação, a saber que devesse ser igual a DEUS". (Fil 2:6)

    Quanto a Davi estar no céu, e, ainda por cima como deus, não é possivel. Isso porque numa conversa com Nicodemos Jesus disse:
    "Ademais, nenhum homem ascendeu ao céu, senão aquele que desceu do céu, o Filho do homem". (João 3:13)
    Até os dias de Jesus ninguem tinha ido para o ceu, e alguns que foram comprados da Terra para reinarem com Cristo no céu, tinham de ser ungidos com o espírito santo que Jeová enviaria depois daqueles dias. (João 14:16)
    E Davi já não estava entre eles.

    Quanto aos seus outros comentários que não abordamos, achamos desnecessário, em vista do texto de 1 Cor. 15 24-28 comentado acima. Mas se quizer, indique 1 ou 2 que eu comento. OK?

    Aquilo que você tem como "contradições jeovistas", digo que, é na realidade falta de conhecimento por parte daqueles que pensam assim.

    ResponderExcluir
  17. É como diz a famosa frase.
    "Texto sem contexto é pretexto para heresia"

    ResponderExcluir
  18. Eis alguns atributos (poucos, apesar de ter mais na Biblia)inerentes a Deus Pai relacionam-se harmoniosamente com Cristo, provando a sua divindade. Deste modo a Bíblia apresenta-o como:

    O Primeiro e o Último (Is 41.4; Cl 1.15,18; Ap 1.17; 21.6).
    Senhor dos senhores (Ap 17.14).
    Senhor de todos e Senhor da Glória (At 10.36; 1 Co 2.8).
    Rei dos reis (Is 6.1-5; Jo 12.41; 1 Tm 6.15).
    Juiz (Mt 16.27; 25.31,32; 2 Tm 4.1; At 17.31).
    Pastor (SI 23.1; Jo 10.11,12).
    Cabeça da Igreja (Ef 1.22).
    Verdadeira Luz (Lc 1.78,79; Jo 1.4,9).
    Fundamento da Igreja (Is 28.16; Mt 16.18).
    O Caminho (Jo 14.6; Hb 10.19,20).
    A Vida(Jo 11.25; 1 Jo 5.11,12).
    Perdoador de pecados (SI 103.3; Mc 2.5; Lc 7.48,50).
    Preservador de tudo (Hb 1.3; Cl 1.17).
    Doador do Espírito Santo (Mt 3.11; At 1.5).
    Onipresente (Ef 1.20-23).
    Onipotente (Ap 1.8).
    Onisciente (Jo 21.17).
    Santificador(Hb2.11).
    Mestre (Lc 21.15; Gl 1.12).
    Ressuscitador de si mesmo (Jo 2.19).
    Inspirador dos profetas (1 Pe 1.17).
    Supridor de ministros à Igreja (Ef 4.11).
    Salvador (Tt 3.4-6).


    I João 5.20;
    "E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. ESTE É O VERDADEIRO DEUS E A VIDA ETERNA."

    João 11.25;
    " Eu sou a ressurreiçäo E A VIDA; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá."

    João 6.51;
    "EU SOU o päo vivo que desceu do céu; se alguém comer deste päo, VIVERÁ PARA SEMPRE; e o päo que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo."

    Sem mais, em Cristo!

    ResponderExcluir
  19. Um ultimo comentário.
    Eu aconselho a vocês lerem o livro "Crise de Consciência", que foi escrito por Raymond Victor Franz (1922), que foi membro do Corpo Governante entre 1971 e 1980 e Sobrinho de Frederick William Franz, o quarto presidente da Sociedade Torre de Vigia.

    http://www.erdos.com.br/detalhe_pro2.php?id=1129

    ResponderExcluir
  20. Sr. Diego Zwang, vc disse:

    "Embora Deus Pai e Deus Filho sejam iguais, .... Cristo não é inferior ao Pai,..."

    Voce já começa contrariando o próprio Cristo, quando este disse : "O Pai é MAIOR doque EU." (João 14:28)

    Jesus NUNCA pretendeur ser IGUAL A DEUS. (Fil 2:6)
    Jesus NUNCA se apresentou como Deus Filho, mas sempre como FILHO DE DEUS.

    Você citou: "(LEIA JOÃO 10.30; Eu e o Pai somos um)", para afirmar uma igualdade entre Deus e Jesus.

    Mas seu argumento cai por terra, lendo um pouco mais a frente, João 17:21,22 onde lemos:

    21 a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. 22 Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um.

    Jesus queria que todos os seus apóstolos e discípulos FOSSEM UM, assim como ele É UM COM O PAI.

    Como todos estes poderiam ser um? O próprio vers. responde, por ESTAREM EM UNIÃO entre si, assim como Jesus está em UNIÃO com Deus.

    Portanto, quando lemos em João 10:30 Jesus dizendo "Eu e o Pai somos um..." ele se referia à união de propósitos dele com o Pai. Qualquer afirmação além disso, é distorção da palavra.

    Outro erro: Vc ou alguém, propositadamente suprimiu o "eu" no vers. abaixo. Procure outras versões.

    A redenção não estará completa até que Cristo “haja posto todos os inimigos debaixo dos pés” (vers.25, LEIA SALMO 110.1; Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mäo direita, até que [?] ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés).

    Quem coloca todos os inimigos aos pés de Jesus, NÃO É o próprio JESUS.
    O Salmo 110:1 no Hebraico contem o tetragrama IHWH (Jeová).

    Assim lemos na integra: " 1Disse o Senhor (IHWH/Jeová) ao meu Senhor (Jesus): Assenta-te à minha direita, até QUE EU ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.
    (os parent. são meus e as maiúsculas tb.)

    O que nos leva ao entendimento correto, que Jeová é quem colocaria todas as coisas aos pés de Jesus, exceto ELE MESMO.

    ResponderExcluir
  21. Isaias 45.23 e Filipenses 2:9,10

    Em Isaias Jeová diz que todos terão de reconhece-lo como o ÚNICO DEUS, conrf. Deut. 6:4; Isa 43:10.

    Em Filipenses 2:9 Paulo diz que todos no céu e na Terra e aos debaixo da terra, terão de reconhecer que SÓ ATRAVÉS de Jesus obterão livramento do pecado e da morte. Conf. João 14:6.

    Não adianta adorar ao Pai, se não reconhecer Jesus como resgatador da humanidade, PARA A GLÓRIA DO PAI, MAS NÃO DE JESUS.

    Jesus foi designado como Sumo Sacerdote para sempre.
    Como na nação de Israel, o sumo sacerdote atuva pelo povo perante Deus Jeová, Jesus como Sumo Sacerdote atua pela humanidade perante Deus.
    Sendo um Sumo Sacerdote, não pode ser DEUS.

    ResponderExcluir
  22. Significado do nome Jesus.

    Forma lat. da gr. I·e·soús, que corresponde à hebr. Ye·shú·a‛ ou Yehoh·shú·a‛, e significa “Jeová É Salvação”.

    Até o nome de Jesus da glória a Deus e não a si mesmo.

    “‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome..."(Mat 6:9)

    “Tenho feito manifesto o teu nome aos homens que me deste do mundo..."(João 17:6)

    ResponderExcluir
  23. Resposta à pergunta nº 1

    Alguns afirmam que o grego original exige que as palavras sejam consideradas como dirigidas a Jesus. Mesmo assim, a expressão “Meu Senhor e meu Deus!” ainda teria de se harmonizar com o restante das Escrituras inspiradas.

    Visto que o registro mostra que Jesus enviara anteriormente a seus discípulos a mensagem: “Eu ascendo para junto de meu Pai e vosso Pai, e para meu Deus e vosso Deus”, não existe motivo para se crer que Tomé imaginasse que Jesus fosse o Deus Todo-poderoso. (Jo 20:17)
    Portanto, Tomé pode ter-se dirigido a Jesus como “meu Deus” no sentido de Jesus ser “um deus”, embora não o Deus Todo-poderoso, não “o único Deus verdadeiro”, a quem Tomé tinha muitas vezes ouvido Jesus orar. (Jo 17:1-3)
    Ou, talvez se tivesse dirigido a Jesus como “meu Deus” dum modo similar às expressões feitas por seus antepassados, registradas nas Escrituras Hebraicas, com as quais Tomé estava familiarizado.

    Em várias ocasiões, quando um mensageiro angélico de Jeová visitava certas pessoas ou se dirigia a elas, tais pessoas, ou às vezes o escritor bíblico que registrava tal acontecimento, respondiam ao mensageiro angélico, ou falavam dele, como se fosse Jeová Deus. (Veja Gên 16:7-11, 13; 18:1-5, 22-33; 32:24-30; Jz 6:11-15; 13:20-22.)

    Isto se dava porque o mensageiro angélico atuava por Jeová, como Seu representante, falando em Seu nome, talvez usando o pronome pessoal na primeira pessoa do singular e chegando mesmo a dizer: “Eu sou o verdadeiro Deus.” (Gên 31:11-13; Jz 2:1-5)

    Tomé, portanto, talvez se tenha referido a Jesus como “meu Deus” neste sentido, reconhecendo ou confessando que Jesus era o representante e porta-voz do verdadeiro Deus.

    Seja qual for o caso, é certo que as palavras de Tomé não contradizem a declaração expressa de Jesus, que ele mesmo tinha ouvido, a saber, de que “o Pai é maior do que eu”. — Jo 14:28.

    ResponderExcluir
  24. Resp. nº 2.

    Isaías 43. Jeová lançava um extraordinário desafio às nações do mundo. Na verdade, ele dizia: ‘Que vossos deuses provem que são deuses por predizerem corretamente o futuro.’ Visto que só o Deus verdadeiro pode profetizar sem errar, esse teste exporia todos os impostores. (Isaías 48:5)
    Mas o Todo-Poderoso acrescentava mais uma estipulação legal: quem quer que afirmasse ser deus verdadeiro tinha de apresentar testemunhas, tanto de suas predições como de seu cumprimento. Naturalmente, Jeová não se eximia desse requisito legal.

    Isaias 44. Neste capítulo, Jeová leva seu argumento jurídico a um vigoroso clímax. Ele estava para apresentar a sua própria resposta ao mais severo teste de Divindade — a capacidade de predizer o futuro com exatidão.

    Certo erudito bíblico chamou os próximos cinco versículos do capítulo 44 de Isaías de “poema da transcendência do Deus de Israel”, o único e exclusivo Criador, o único Revelador do futuro e esperança de libertação de Israel.
    O trecho chega ao clímax com o anúncio, por nome, do homem que libertaria a nação das mãos de Babilônia.

    Percebe-se assim, que Jeová se mostra como o único Deus todo Poderoso, capaz de todas as coisas. Não entrando no mérito de como, ou, por meio de quem Ele executa sua vontade. Isso não impede que Ele tenha usado seu mestre de obras Jesus.

    ResponderExcluir
  25. Quer mesmo que eu responda aas demais perguntas?

    ResponderExcluir
  26. eu quero sim que vc responda.
    pois Jesus disse q lhe foi dado todo o poder no ceu e na terra, e independentemente de quando foi dado, Jesus tem TODO O PODER, nao podemos esquecer que Jesus disse isso quando havia encarnado, e tb nao nos esqueçamos que o texto em que diz que Jesus nao teve por usurpaçao ser em forma de Deus, se trata da encarnaçao quando Jesus se esvaziou.
    ora bolas

    ResponderExcluir
  27. Martinho Lutero certa vez disse que, diante da palavra todos precisam ceder, mas infelizmente existem aqueles que não se dobram diante dela, antes, descontextualizam e deturbam textos demasiadamente claros para sustentar ensinos heréticos. Isso fazem somente porque preferem permanecer debaixo da direção do Corpo Governante Jeovista. Ele até percebem que algo esta errado os seus ensinos, mas não reconhecem.

    Um exemplo claro está nas respostas para as duas primeiras perguntas e para os textos de Filipenses 2 e Isaias 45. São textos expostos extremamente claros e corretos quanto a exegese e hermenêuitca, mas mesmo assim, fazem deturbações grosseiras que beiram o ridículo. Isso sem contar os outros textos Biblicos, que mostram que certos atributos dados a Jesus, só se aplicam a Deus no AT.

    É uma pena que prefiram permanecer no erro, mesmo quando a Biblia é tão clara.

    ResponderExcluir
  28. Vinicius

    No princípio, o Pai deu ao Filho TODO O PODER necessário para ele "fazer todas as coisas". Nessa ocasião, Jesus ERA deus. (Jo 1:1).

    Quando veio à terra, ele não era deus, como no princípio (Jo 1:1), e a cada milagre, pedia poder ao Pai. (Jo 11:41).

    Depois de morrer em fidelidade e ressuscitar, "foi-lhe dado todo o poder no céu e na terra" para "recriar todas as coisas" e ajuntá-las no Cristo (Efé 1:10).

    Sua missão começa com o "Ide portanto e fazei discípulos", e terminará ao fim dos mil anos, quando ele devolverá todo o poder ao Pai, submetendo-se a Ele. (1Co 15:28).

    Observe que o Pai É ESSENCIALMENTE todo-poderoso, não podendo "renunciar"ao poder que Ele É. Seu poder emana de si mesmo, não de outrem - pois do contrário esse outro é que seria o Deus. O Filho não É PODER, mas TEM poder, um que emana do Pai, o verdadeiro Deus que É TODO-PODEROSO. O Filho tem a condição divina, não a essência divina. a CONDIÇÃO é transitória, a ESSÊNCIA é permanente.

    ResponderExcluir
  29. O mais absurdo, é que insistem em afirmar que Jesus é um deus e que existem dois deuses no céu, quando a Biblia diz que só existe um. Eu não consigo entender como não enxergam esse erro tão berrante.
    É realmente uma lástima as deturbações que fazem.

    Bem, eu encerro aqui, que Deus continue a abençoa-los ricamente.

    Em Cristo!!!

    ResponderExcluir
  30. Diego, não estamos divergindo na essência. Deus, como realidade suprema, só existe um: o Pai. Jesus no céu não é "Deus' nesse sentido em que você diz que só há um Deus no céu. Talvez tenha você razão: no céu, ele não é CHAMADO nem deus nem Deus. A rigor, Jesus SERÁ CHAMADO de Deus Poderoso (título figurado) apenas aqui na terra, por causa da poderosa obra que realizará. Gostei da polidez com que se despediu. Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir
  31. eu gostaria de saber o q significa isso aki:
    atos 20:28:
    Olhai pois por vos , e por todo o rebanho sobre que o Espirito Santo vos constituiu bispos, para apresentardes a igreja de DEUS, que ELE resgatou COM SEU PROPRIO SANGUE.

    peraí, como é::??? sangue de DEUS?
    ahh de Jesus , um deus temporal, q é deus d verdade no ceu, ai vem na terra e deixa de ser deus, e depois volta a ser deus , e depois vai deixar d novo

    ohhhh complicaçao!

    ResponderExcluir
  32. A resposta está na tradução da Bíblia de Jerusalém, católica, que traduz At 20:28 do seguinte modo:

    "Estai atentos a vós mesmos e a todo o rebanho: nele o Espírito Santo vos constituiu guardiães, para apascentar a Igreja de Deus, QUE ELE ADQUIRIU PARA SI PELO SANGUE DO SEU PRÓPRIO FILHO".

    Há uma explicação em nota ao pé da página que diz:

    "Literalmente: "a qual ele adquiriu para si por seu próprio sangue". Não podendo isto ser dito de Deus, é preciso admitir que "próprio" é empregado substantivamente: "o sangue de seu próprio (Filho)", ou então, que o pensamento passa da ação do Pai à do Filho. (confronte com Rm 8:31-39).
    Quanto à idéia, cf. Ef 5:25-27; Hb 9:12-14; 13:12."

    Visto que a palavra "Filho" está subentendida, mas não aparece explicitamente no original, a Tradução Novo mundo verte o texto de maneira ainda mais precisa:

    "...que ele comprou com o sangue do seu próprio [Filho]".

    ResponderExcluir
  33. Quanto a Jesus ser "deus" temporal, e depois deixar de sê-lo, explico com Êx 7:1:

    "Então, disse o SENHOR a Moisés: Vê que te constituí como Deus sobre Faraó...Tu falarás tudo o que eu te ordenar...para que deixe ir de sua terra os filhos de Israel".

    A Bíblia de Jerusalém, católica, traduz o texto assim:

    "Iahweh disse a Moisés: Eis que te fiz como um deus, para Faraó...Falarás tudo o que eu ordenar, para que deixe partir de sua terra os israelitas".

    Asim, nos dias do êxodo, Moisés ERA deus, para Faraó. Depois, deixou de ser "deus", pois sua missão foi concluída.

    O SENHOR 'constituiu Moisés como Deus sobre Faraó' apenas por um período de tempo, e não por tempo indefinido.

    O Moisés maior, Jesus, era "deus" quando o Pai lhe deu poder para que "todas as coisas fossem feitas por ele" (Jo 1:1).

    Será Deus Poderoso quando seu governo milenar estiver produzindo vida eterna e paz para a humanidade.

    ResponderExcluir
  34. poxa
    é dificil q vcs aceitem a divindade de Jesus hein
    nossa
    um ser é divino em essencia e depois deixa d ser.
    poisé, moises sim tava la no ceu ne, tinha essencia de DEUS.
    bom
    fiz a minha parte mas como nao quiseram ouvir ne, fazer o que

    ResponderExcluir
  35. vamos ver outra passagem entao senhor.
    isaias viu quem: DEUS PAI OU JESUS?
    no inicio d apocalipse no versiculo 18: de quem esta falando: Jesus OU do Pai?
    em apocalipse 22:6 diz que DEUS mandou o seu anjo
    e em apocalipse 22:16 diz q Jesus mandou o anjo.

    ResponderExcluir
  36. Resposta Nº 3

    Temos na Bíblia alguns relatos sobre direitos de primogenitura que foram transferidos para outtro filho. Ex. Jacó e Esaú.
    Ao abençoar Efraim e Manassés, o patriarca Jacó deu preferência a Efraim, e indicou profeticamente que este se tornaria o maior. — Gên 48:13-20.
    José não se tornou chefe de tribo em Israel, mas sim seus filhos Manassés e Efraim.
    Manassés era o mais velho, mas a orientação divina fez com que a bênção melhor fosse dada a Efraim. Jeová disse a respeito dele: “Efraim, ele é meu primogênito.” (Gên. 48:8-20; Jer. 31:9)
    Todavia, a tribo de Efraim posteriormente eliminou a si mesma desta posição favorecida por causa de diversas faltas, e o salmista fala sobre a ação de Jeová: “Passou a rejeitar a tenda de José; e não escolheu a tribo de Efraim. Mas escolheu a tribo de Judá.” — Sal. 78:9, 67, 68.

    Nestes casos o direito à primogenitura apenas indicavam que estes receberiam maior favor de Deus, ou uma posisão favorecida. Não tendo que ser necessáriamente o 1º filho.

    Mas no caso de Jesus, ser ele chamado de UNIGÊNITO, indica que foi o 1º e único a ser criado diretamente por Deus.
    Por ele ser a única criação direta de seu Pai, o Filho primogênito era ímpar, diferente de todos os outros filhos de Deus, os quais foram criados ou gerados por Jeová por meio daquele Filho primogênito.

    ResponderExcluir
  37. Resposta Nº 4

    Então como você pode conciliar a declaração de Jesus como Salvador com Is 43.11 e Oséias 13.4?

    No tempo em que o Sr. Jeová Deus lidava com a nação e Israel, o Messias ainda não havia chegado. Logicamente por Jeová Deus ser o único Deus veredadeiro, era também seu único salvador.

    Mas depois que em 29EC Jesus foi batizado, assumiu o papel de Cristo ou Ungido. Por ele dar seu sangue como penhor pelos nossos pecados, tornou-se o único salvador dos humanos arrependidos.

    É único salvador por que só ele é o Messias enviado por Jeová, não existe outro. Em última análise, a salvação vem de Jeová por meio de Jesus. Assim como o significado do seu nome indica.

    ResponderExcluir
  38. Resposta Nº 5
    5. Se Jesus se colocou em igualdade com o Pai como o próprio objeto da fé do homem (como ele fez em Jo 14.1), não teria sido isso uma blasfêmia, a menos que Jesus, de fato, fosse verdadeiramente Deus e Salvador? Similarmente, como pode ser a vontade do Pai “que todos honrem o Filho, como honram o Pai” (Jo 5.23), se Deus afirma em Isaías 48.11 que “Ele não dará sua glória a ninguém”? De igual forma, como você interpreta as palavras de Jesus em Jo 17.5, à luz de tudo o que foi acima considerado?

    Jesus não se colocou em igualdade com o Deus Jeová, assim como um ministro de estado não se coloca em igualdade com seu presidente, ao representa-lo em outro país. Quem não dá honra a um ministro de estado, evidentemente está desonrando aquele que o enviou, o presidente.

    Na condição de Messias, representando seu Pai, devia ser crido e honrado como tal. Quem cresse nas palavras de Jesus, estaria honrando e acreditando no Pai que o enviou.

    Jesus orou: “Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo.” (Jo 17:5)

    Jesus usou aqui este termo para se referir à condição enaltecida que usufruía no céu antes de vir à terra. Em resposta a esta oração, Jeová “glorificou o seu Servo, Jesus”, por ressuscitá-lo e levá-lo de volta ao céu.
    Leia At 3:13-15

    ResponderExcluir
  39. 6. Como você concilia o discurso de Jeová em Dt 32.39, “e mais nenhum Deus há além de mim” e o discurso em Is 45.5, “Eu sou o Senhor, e não há outro”, com o ensino dos Atalaias de que Jeová é Deus e Jesus é um Deus além dele (veja Jo 1.1 na Bíblia Tradução do Novo Mundo).

    Resposta Nº 6

    De fato, não há nenhum outro Deus além de Jeová.
    Rev./Apoc. 4:11 diz:

    “Digno és, Jeová, sim, nosso Deus, de receber a glória, e a honra, e o poder, porque criaste todas as coisas e porque elas existiram e foram criadas por tua vontade.”

    Por isso Jeová não aceita uma adoração rival, a um deus falso.

    Jesus mesmo disse que devemos absorver conhecimento do ÚNICO DEUS verdadeiro, e também dele, Jesus, que foi enviado à Terra. (João 17:3)

    Jesus não é um deus que revalize com seu Pai Jeová, Jesus NÃO DEVE SER ADORADO como se adora DEUS.
    Nossas orações são dirigidas a DEUS, e não a Jesus.
    Jesus atua apenas como mediador entre Deus e os homens. (1 Tim 2:5)

    Jesus atuou como "Deus poderoso" quando expulsou Satanás e seus demônios dos ceus.
    Atuará de novo quando por ocasião do Harmagedom, destruir todo este sistema perverso de coisas, e amarrar Satanás por mil anos.
    Depois conduzira a Terra e a humanidade obediente à perfeição, ressucitará bilhões de mortos.
    Mas em tudo isso Jesus não estará rivalizando com seu Deus e Pai, ao contrario, estará executando Sua vontade.

    ResponderExcluir
  40. A resposta à pergunta de Vinicius é similar a esta.

    Vinicius pergunta por que em Ap 22:6 diz: "Jeová enviou seu anjo", mas em Ap 22:16, Jesus diz: "Jesus enviou seu anjo".

    Em Ap 1:1 está a resposta: "Revelação de JESUS CRISTO que DEUS lhe deu...enviando por intermédio do seu ANJO, notificou a seu servo JOÃO.

    A revelação, DEUS transmitiu a JESUS que transmitiu ao ANJO que transmitiu a JOÃO.

    Ap 22:6 salienta que "O SENHOR (Jeová), o Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo para mostrar as coisas que devem acontecer".

    Ao passo que Ap 22:16 destaca que Jesus, como representante de Jeová, é quem executa a ação que seu Pai lhe comissionou.

    João parece querer comprovar junto aos leitores do Livro de Apocalipse que era verdadeira a afirmação que fez lá em Jo 1:3: "Todas as coisas [inclusive enviar o anjo para revelar o que acontecerá em breve] foram feitas por intermédio dele, e sem ele, nada do que foi feito, se fez.

    ResponderExcluir
  41. gente depois realmente nao digam que nao houve quem os advertissem.

    Tito 3: 10 Ao homem herege ,depois de uma admoestação( reeprender com brandura) evita-o .Sabendo que este tal está pervertido ,e peca ,estando já em si mesmo condenado.um abraço

    eu sinceramente lavo minhas maos

    ResponderExcluir
  42. Caros,

    Não tenho muito a falar. Somente que Jesus recebe muitas "glórias", "glórias" que o querubim um dia desejou, "glórias" que o exaltam, exaltação tamanha a da divindade, exaltação até de mais, caso ele não fosse quem ele é. Tamanha exaltação que incomoda a todos nós que nos dedicamos a ler e editar essa respostas!

    ResponderExcluir
  43. Excelente leitura.
    Testemunhas de Jeová
    http://hagnos.com.br/livro.php?id=801

    ResponderExcluir
  44. Entrevista com Raymond Franz, ex-membro do corpo governante das Testemunhas de Jeové numa conferência na Romênia em 2007.

    http://www.youtube.com/watch?v=_LYAZOGVOHI&feature=related
    ..................................................................................................
    Outra parte.
    http://www.youtube.com/watch?v=_LYAZOGVOHI&feature=related

    ResponderExcluir
  45. Outra parte.
    http://www.youtube.com/watch?v=XX4dcklX2KI

    ResponderExcluir
  46. E embora o próprio Jesus tenha dito: "Não aceito glória de homens" (Jo 5:41), quando o chamamos a de Deus Poderoso (Is 9:6) estamos dando glória a Deus, que o enviou para agir como tal (Jo 5:44).

    Como conclusão do assunto, creiamos no que Jesus declarou em Jo 17:3: "...Que te conheçam a ti só [ó Pai] como único Deus Verdadeiro,e a Jesus Cristo,a quem enviaste".

    Deus abençoe os que buscam e os que encontraram a Verdade.

    ResponderExcluir
  47. Carta de desligamento de Cid de Farias Miranda, ex-ancião das TJS.
    http://www.youtube.com/watch?v=KGFh12LjI8k&feature=related

    ResponderExcluir
  48. Bom blog.
    http://refutandoastestemunhasdejeova.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  49. Para os Jeovistas, de ex-Jeovistas. O livro "A Verdade Sobre as Testemunhas de Jeová".
    http://www.testemunha.com.br/conteudo.asp?cod=70

    ResponderExcluir
  50. O vídeo acima não deve trazer qualquer argumento relacionado com o tema tratado, porque não foi por divergência quanto à tradução de Jo 1:1 que alguns apostataram.

    Eles continuaram crendo em Jeová e Jesus segundo o entendimento das Testemunhas de Jeová. Estes testemunhos dos vídeos equivalem a se "trazer "Judas Iscariotes" à mídia para contar "a verdade por trás de sua suposta traição a Jesus".

    Que Deus abençoe os que buscam e encontraram a Verdade!

    ResponderExcluir
  51. Se lessem ou estudassem a Biblia sem o "sustento" do livro Raciocínios à Base das Escrituras, de foram extraidas todas essas respostas descontextualizadas, a verdadeira Verdade surgiria a tona.

    Mas como os Jeovistas são orientados a estudarem a Biblia somente com auxilio deste livro e da revista Sentinela, acabam sendo guiados por homens, não pela Palavra.

    É uma pena esse controle exercido pelo governo Jeovista, lembra muito a autoridade Papal, para com os católicos.

    ResponderExcluir
  52. Diego, lembro-lhe que a contextualização de um texto bíblico tem de ser feita com o parágrafo, o capítulo, o livro e toda a Bíblia. A evidência de que os textos citados no livro Raciocíios estão todos rigorosamente contextualizados é que somente entre Testemunhas de Jeová existe "uma só fé e um só batismo, um só Deus e Pai de todos" (Efésios).

    Uma contextualização correta não ocorre nas diversas correntes doutrinárias da cristandade, pois do contrário não haveria tantas "denominações", cada um ensinando crendo e ensinando de modo diferente, porque "contextualiza" cada texto de modo diferente.

    Mesmo em doutrinas comuns às diversas igrejas chamadas cristãs, como a "trindade", observa-se que cada denominação tem um conceito diferente, e cada membro dessa denominação tem liberdade também de crer de modo diferente. A doutrina do "livre pensamento", de Lutero - que deu origem ao divisionismo protestante, simplesmente proscreveu a visão sistemática das escrituras, qual todo harmônico. Portanto, não vejo muita coerência quando alguém, que não representa o pensamento de um grupo, mas apenas seu próprio pensamento particular, menciona a palavra "contextualização".

    ResponderExcluir
  53. "É que somente entre Testemunhas de Jeová" existe “uma só fé e um só batismo, um só Deus e Pai de todos” (Efésios).
    ...................................................................................................

    Pois é, por isso vocês são considerados uma seita, a posseção da salvação pertence aos Jeovistas.
    É o que Raymond Fraz, ex-ancião afirma, a salvação pertence a Sociedade Torre de Vigia, para ser salvo tem que ser Jeovista. É isso, que infelizmente ensinam.

    LA-MEN-TÁ-VEL.

    ResponderExcluir
  54. Para desmoralizar as Testemunhas de Jeová, a jogada dos opositores é: distorcer o que elas dizem, e daí, provar biblicamente que elas estão erradas.

    Líderes religiosos fizeram o povo crer que as Testemunhas de Jeová não crêem em Jesus, que só 144.000 vão ser salvos e...só quem é salvo é Testemunha de Jeová.

    As Testemunhas de Jeová NÃO DIZEM que só quem se salva é quem é da religião "Testemunha de Jeová".

    Elas pregam que a maioria dos cerca de 20 bilhões de pessoas que, segundo os geógrafos, já passaram por este planeta, voltarão a viver nesta terra durante o reinado milenar de Jesus. E crêem que a maioria desses ressuscitados se ajustará aos ensinos de Jesus e será salva.

    O que as Testemunhas de Jeová dizem é que são o único grupo religioso hoje que ensina o que Jesus ensina, e que se esforça para viver como Jesus viveu.

    Dizem também que há muito "povo de Deus" no meio evangélico e católico, porque em Ap 18:4, Jeová diz: "Saí dela [da religião falsa], POVO MEU, se não quiserdes compartilhar com ela em seus pecados e receber parte de suas pragas".

    Essa visão larga das Testemunhas de Jeová se contrasta com a estreiteza desvairada do cristianismo popular, que assegura que apenas a minoria da humanidade - quem creu em Cristo - está salva, e que a vasta maioria dos 20 bilhões que já passaram por esta terra - por não terem tido a oportunidade de conhecer e aceitar a Cristo - estão condenados para sempre ao tormento eterno, no inferno. DE-PLO-RÁ-VEL.

    ResponderExcluir
  55. gente nao sei como vcs perdem tempo com esses caras ainda
    se nao querem mudar, paciencia, nao seremos nos q os mudaremos.

    ResponderExcluir
  56. Pois eu sei: eles gostam de trocar informações, porque há um crescimento na visão que cada um tem do outro e de si mesmo. Não tem sentido para uns, porque partem do princípio de que têm de "mudar" os outros à força. E às vezes, da luz para a escuridão.

    Se você presume que qualquer reflexão sobre a Bíblia é imprópria se não estiver afinada com suas concepções atuais, e se já se considera o dono de toda a verdade, não é esse o foro adequado para você participar de discussões. Abra sua mente e continue, pois eu desejo que você partilhe comigo o que você crê, porque talvez eu possa me edificar também.

    ResponderExcluir
  57. Ao editor Marcelo Lemos, informo que só agora li sua notificação sobre a omissão do parêntesis, e ser da autoria do gramático, e não sua, a expressão "teologicamente nula" para a ausência do artigo antes do segundo theos.

    O problema, Marcelo, é que os gramáticos que se debruçam sobre o texto bíblico podem deixar suas inclinações doutrinárias influenciar os comentários que fazem. Custa-me crer que as expressões

    Achei boa sua iniciativa de colocar esse assunto em discussão, dando amplo espaço para diversas correntes defenderem seus pontos de vista.

    ResponderExcluir
  58. Irmão Lúcio, fiz tal esclarecimento apenas para mostrar que a afirmação não é minha, mas dos gramáticos citados - pois ficou a impressão de que eu estaria indo contra o que eu mesmo havia citado deles (he, he, he). É verdade que os gramaticos podem ser influenciados, mas eles são mais confiaveis que um tratado teologico, pois eles precisam se aterem o máximo possível aos fatos - do contrário serial facilmente expostos como fraudes academicas. Além disso, se os gramaticos são influenciados, ou podem ser, o que diremos dos teológos? Tenho visto nos comentários que os arianos simplesmente fecham os olhos para alguns fatos gramaticais, simplesmente para evitarem contradizer seus conceitos e interpretações de outros textos. Depois publico um comentário mais extenso sobre estas questões, ok? No momento estou analisando tudo o que vocês escrevem, para poder ponderar melhor as questões.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  59. Marcelo, explico melhor: O Dr. Mantey talvez tenha feito o doutorado em Gramática do Texto Grego do Novo Testamento
    em um seminário evangélico. Alguém com motivação religiosa se interessaria em fazer tal doutorado, suponho. Isto explica a paixão veemente com que quis uma retratação da citação que considerou indevida, de sua gramática.

    Marcelo, infelizmente o ser humano pode se deixar influenciar por suas crenças quando analisa algo. Você, por exemplo, caro editor Marcelo, num ato falho, fez um juízo de valor antes de concluir a "análise do que se escreveu", como você disse.
    O pré-julgamento correspondeu por coincidência às suas crenças e ao status quo.

    Sem perceber, você também disse que "tem visto os arianos fecharam os olhos para certos fatos gramaticais", como a não necessidade do artigo definido antes do segundo theos. Todo o mundo estava de olho aberto para esse fato e foi sobre ele que mais se comentou.

    No entanto, estamos aqui para somar, não para contender. Lembro-lhe então que as Testemunhas de Jeová não são "arianas.

    Ário negava que o Filho pudesse conhecer e explicar o Pai; afirmava que a Palavra tornou-se Filho de Deus por adoção, por causa de sua virtude e integridade moral; e que os cristãos podem se tornar iguais a Cristo.

    As Testemunhas de Jeová ensinam que "o Filho conhece plenamente o Pai" e "é quem o tem explicado"; que o Filho foi produzido por Jeová como seu Filho unigênito; que só Jesus recebeu "o nome que está acima de qualquer outro nome", e nenhum cristão pode ser igual a Cristo.

    Despeço-me, com votos de uma análise imparcial.

    ResponderExcluir
  60. Marcelo

    Achei seu posicionamento equilibrado e coerente. Você tem mente aberta e isto abre as portas da comunicação produtiva.

    Quanto ao ateu evolucionista, ele não afirmou que "não são confiáveis as pesquisas científicas que parecem comprovar o dilúvio, porque os pesquisadores talvez sejam religiosos".
    Se fez tal afirmação, concordo, ela é infundada.

    O que deduzo que ela tenha dito foi: "pesquisas científicas para comprovar o dilúvio não são confiáveis quando feitas por pessoas já comprometidas com esta causa. Podem ser confiáveis quando feitas por cientistas isentos".

    O que eu deixei subentendido sobre Mantey é que s talvez não seja tão comentário sobre Jo 1:1 não seja tão confiável quano o de outros estudiosos que, estando comprometidos com o trinitarismo, ainda assim admitem que "João 1:1 deveria ser rigorosamente traduzido: "E a palavra era divina".

    ffalar sobre tal assunto na medida em que já tivesse compromisso com a fé trinitarista antes de estudar a gramática grega.

    f ele analisa o assunto gramatical de maneira diferente de outros estudiosos que citei, com autoridade superior a dele, como a do Jesuíta Makenzie, em seu dicionário bíblico, o qual sendo católico e comprometido em provar a doutrina da trindade, ainda assim reconheceu que Jo 1:1 deveria ser traduzido: "E a palavra era divina".



    Talvez você tenha exagerado quanto ao motivo que o ateu evolucionista apresentou para não acreditar em relatos bíblicos que parecem mitos: "os pesquisadores que tentam provar arqueologicamente sua veracidade são religiosos".

    ResponderExcluir
  61. "A Palavra era divina" - esta tradução é perfeitamente possível, e não desfavorece em nada o trinitarianismo. Agora, "era [um] deus" é mutilar o texto a fim de encaixa-lo em uma doutrina específica.

    ResponderExcluir
  62. essa coisa d falar q tem textos q nao estavam no original veio dos manuscritos mais recentes encontrados,ou seja, do texto critico.
    o texto receptus contem sim elas, e nao ha forma cabal historica nem comprovada p documento algum q foi adicionado tal parte so pra fazer comprovaçao de alguma doutrina.

    ResponderExcluir
  63. Concordo plenamente, controvérsias teológicas não deviam ser resolvidas apelando para a critica textual; até porque, a Critica Textual, se observarmos as diversas coleções de textos "ecléticos", nunca conseguiu estabelecer um texto "padrão" de verdade.

    ResponderExcluir
  64. Compreendo o posicionamento de vocês como uma forma de não abalar a fé de trinitaristas que porventura lêem o que escrevemos.

    Mas, a Bíblia de Jerusalém, católica, faz uma verdadeira
    "confissão" dessas fraudes em nota ao pé da página, retirando os acréscimos e traduções espúrios, e explicando ao pé da página a razão de ter retirado.

    Eu posso transcrever essas "confissões" aqui neste site, mas em face do trabalho de pesquisa ser minucioso e cansativo, só me disponho a fazê-lo se vocês estiverem interessados e de mente aberta.

    ResponderExcluir
  65. A Bíblia de Jerusalém é teologicamente liberal. Conheço o suficiente da Alta Critica para saber que ela nos conduz ao relativismo, retirando de nós qualquer certeza do que é original e o que seria, supostamente, fraude.

    ResponderExcluir
  66. E quanto à Bíblia de Estudo de Genebra, você acha confiável?

    ResponderExcluir
  67. Não sou "só-TT", mas recomendo a leitura do artigo a seguir;
    http://www.baptistlink.com/creationists/sbbgenebra.htm

    ResponderExcluir
  68. Quer por favor me traduzir a expressão "só-TT"?

    Li o site e achei esclarecedor saber a opinião de certas correntes evangélicas sobre a Bíblia de Genebra e a SBB
    e bíblias Almeida.

    Curioso é que o Novo Testamento da Sociedade Bíblica Trinitariana, citada na matéria, ao traduzir Mt 24:36, retirou a expressão "nem o Filho", da frase em que o próprio Jesus admite não saber o dia e a hora de sua vinda. Não porque não constava a expressão no texto grego adotado, mas porque a Sociedade Bíblica é Trinitariana.

    O estilo de redação do site em nada contribui para dar credibilidade às informações.





    Por ser trinitariana, conservou os demais textos espúrios, suprimidos pela maioria das versões modernas.

    ResponderExcluir
  69. bom , vc podia olhar o site sola scriptura do sr. Helio de Menezes, pois da muita luz sobre estes textos, e as novas versoes

    ResponderExcluir
  70. danilo tessari alves29 de setembro de 2009 10:09

    é melhor eu ficar na minha aqui quietinho que eu ganho mais ...kkkkkkkkkkkkk! vou ler mais pra depois comentar !

    ResponderExcluir
  71. Vinicius, peço o favor de me fornecer o site de solascriptura que v. sugeriu. Grato.

    Concordo com o Danilo de ficar na sua somente até ler, e só depois comentar. Aguardamos sua contribuição para esclarecimento do assunto.

    ResponderExcluir
  72. http://solascriptura-tt.org/
    esse é o site do sr. Hélio de Menezes.
    Ele é batista fundamentalista e tal, dispensacionalista, mas quanto a bibliologia acho muito bom.
    abraços

    ResponderExcluir
  73. danilo tessari alves29 de setembro de 2009 20:19

    Paz de CRISTO irmãos , confesso a vcs que tudo o que esta sendo discutido aqui é muita coisa pra mim ; mas vou ser ousado em comentar , se por acaso eu estiver errado acredito que aqui vai ser o lugar certo pra eu aprender blz? Bom por ter pouco entendimento quero somente expressar no que creio quanto a respeito a divindade de JESUS : joão 10 vers. 30 ( EU e o PAI somos um)(TJ) .Deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre" (Romanos 9:5). Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz" (Isaías 9:6)(TJ) . O menino que haveria de nascer se chamaria "Deus Forte". Quem me vê a mim vê o Pai, como dizes tu: Mostra-nos o Pai?" (João 14:7-9)(TJ) bom nesses verssiculos da pra si notar a semelhança entre o PAI eo FILHO . Agora vamos ao que se diz respeito a adoração :Somente Deus deve ser adorado certo?se JESUS não fosse DEUS ele concerteza iria repreender aquele que o adorasse certo? O cego que Jesus curou em João 9 o adorou (João 9:38).Várias vezes os discípulos adoraram a Jesus após a ressurreição, e Jesus jamais deu a entender que aquilo não era certo (Mateus 28:9,17). Jesus na realidade ensinou de modo claro: "Que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou"(TJ) (João 5:23). Deus ordenou que mesmo os anjos devem adorar ao Pai: "E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem" (Hebreus 1:6). Bom é visto nas escrituras que JESUS se assemelha ao PAI, aceita adoração , e mais tem poder para perdoar pecados , tem poder para dar a vida , julgar o mundo , e ele se fez participante na criação de tudo que existe ! e pra finalizar :JESUS é o filho de JEOVÁ , e os dois são divinos , santos , gloriosos , perfeitos, justos , verdadeiro , A biblia nos fala que DEUS estava em JESUS reconciliando consigo o mundo (2 corintios 5 vesr19. ) PAZ a todos !!!

    ResponderExcluir
  74. danilo tessari alves29 de setembro de 2009 20:27

    observação : mas os dois se formam um ÚNICO DEUS , REI dos REIS e SENHOR dos SENHORES ! me perdoem por não conseguir discutir o tema principal joão 1 -1(não tenho entendimento pra isto ainda ) só quis expor o que pensso de JESUS o nosso DEUS TODO PODEROSO (rsrsrsrsr) TCHAW!!!

    ResponderExcluir
  75. Danilo

    Você deseja explicações sobre 7 textos: Jo 10:30, Rm 9:5; Is 9:6; Jo 14:7-9 e Jo 5:23, Hb 1:6, 2Co 5:19 e textos correlatos.

    Visto que Jesus nunca disse que era Deus ou Pai, mas disse várias vezes que era Filho de Deus, como entender esses textos que você citou? É só ler o contexto. Veja abaixo cada texto em seu contexto:

    Leia Jo 10:30, mas leia também até o versículo 38.
    - verá que foram os fariseus que entenderam errado, julgando que Jesus estava se fazendo igual ao Deus que eles adoravam, o Pai. Tal como aqueles fariseus, muitos cristãos hoje entendem errado o que Jesus disse em Jo 10:30.

    Jesus refuta a todos dizendo que ele disse apenas que era Filho de Deus. Seu argumento foi: "Mesmo se eu estivesse dando a entender que sou "deus", isso não seria motivo para me apedrejar. Porque os juízes de Israel foram chamados de DEUSES no Sal 82:6 porque, embora iníquos, realizavam um trabalho que cabia a Deus, que era julgar o povo. Muito mais direito teria ele de ser chamado de "deus", já que ele é [um Juiz] mais importante ainda: é Filho de Deus.

    A seguir, Jesus explica no versículo 38 o que ele quis dizer:
    "Eu e o Pai somos um" porque somos unidos e fazemos as mesmas obras." Às vezes, dois bailarinos dançam tão sincronizados, que parecem um, ou que um está no outro.

    É necessário também, Danilo, contextualizar Jo 10:30 com o restante do livro. Isto significa relacioná-lo com outras declarações similares de Jesus, especialmente no mesmo evangelho de João. Uma delas se encontra em Jo 17:20-21:

    "Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu, em ti, que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste."

    Se hodiernos fariseus ouvissem cristãos dizerem: - "Nós, Jesus e o Pai somos um" - talvez quisessem apedrejá-los, por julgar que estariam todos se fazendo igual a Deus, o Pai.
    Mas, estariam apenas dizendo que, por se esforçarem a fazer as mesmas obras do Pai e do Filho, vão se tornando cada vez mais "um" com o Filho e com o Pai, tal como Jesus orou.

    Danilo, você demonstrou grande interesse em aprender, mas saiba que você já sabe muito. Você sabe realmente o que significa humildade, por exemplo. E Jesus diz que "àquele que muito tem, mais lhe será dado, mas àquele que tem pouco, até o pouco que tem lhe será tirado".

    Por isso, eu me proponho a comentar cada um dos textos sobre os quais você pediu explicação. Mas, peço que você confirme primeiro se gostou da primeira, e me diga qual o texto que deseja seja comentado a seguir. Se preferir - e talvez os interlocutores prefiram -, você pode me dar seu e-mail, que eu lhe enviarei em particular.

    ResponderExcluir
  76. Vinicius, obrigado pelo site. Vou ler, depois comento. Bye

    ResponderExcluir
  77. Com todo respeito, acho que o senhor pegou o bonde andando.

    ResponderExcluir
  78. Rubens, você se enganou em interpretar que eu disse que a Tradução Novo Mundo difere dos originais, pois estou fazendo a defesa desta tradução e denunciando alterações havidas em certas versões comumente usadas por evangélicos.

    De onde você tirou a frase aspeada, supostamente atribuída a mim, sobre "alterações com relação aos originais" na TNM? Peço ao prezado interlocutor transcrever a citação completa, para que se possa esclarecer o assunto.

    ResponderExcluir
  79. o que significa divina ´p falar nisso?
    anjo é divino?
    arcanjo?
    querubim?
    serafim?
    deus?
    pelo que eu sei, divino é o q tem divindade no ser
    uai
    pra ter divindade no ser tem q ser DEUS ora bolas

    ResponderExcluir
  80. Exatamente, Vinicius. "Divino" só tem Um: Deus! Se o Verbo é "divino", então, ele é Deus! A menos que o pessoal aí creia em mais de um 'deus'...

    ResponderExcluir
  81. VERDADE PASTOR
    se por acaso DEUS colocou moises como deus diante de farao, moises era humano e foi um mandado de DEUS perante a farao.
    nao fala q moises é divino.
    Agora o Filho ja era divino, a propria essencia é divina.
    Jesus disse que era TODO PODEROSO
    SE ELE TINHA TODO O PODER ELE ERA O Q NE?
    bom, tem um texto em apocalipse em que diz que Jesus tem um nome que so ELE sabe. Uai o PAI NAO SABE NAO:?
    caraca
    gente esse texto pode ate ser traduzido como divino, mas nao creio que diante do conhecimento que os apostolos tiveram de Jesus, e do tanto que Jesus lhes mostrou o Pai, eles ficariam chamando e tratando Jesus como o proprio DEUS.`
    É CLARO QUE diante da biblia o que vou dizer é totalmente menor que o valor da biblia, mas para Inacio de antioquia, sobre o qual foi dito que viu alguns dos apostolos escutando-lhes a pregaçao, e amigo de Policarpo que foi discipulo de Joao, eu gostaria de perguntar porque entao ninguem , NINGUEM, repreendeu Inacio de chamar Jesus de DEUS varias vezes em sua carta:?
    Se tem uma coisa que Inacio faz em suas cartas as igrejas, é chamar Jesus de DEUS.
    a igreja antiga nunca o proibiu de fazer tal coisa.

    ResponderExcluir
  82. Inácio, também chamado Teóforo, à Igreja que recebeu a misericórdia, por meio da magnificência do Pai Altíssimo e de Jesus Cristo, seu Filho único; à Igreja amada e iluminada pela bondade daquele que quis todas as coisas que existem, segundo fé e amor dela por Jesus Cristo, NOSSO DEUS...

    ...pufificados de toda coloração estranha, eu lhes desejo alegria pura em Jesus Cristo, nosso Deus.

    Nada do que é visível é bom. De fato, nosso Deus Jesus Cristo, estando agora com seu Pai...

    ...Deixai que seja imitador da paixão do meu Deus. Se alguém tem Deus em si mesmo, compreenda o que quero e tenha compaixão de mim...

    So na carta aos romanos inacio diz que ´Jesus é DEUS 4 vezes.
    As presentes partes da carta foram retiradas do site, Veritatis Splendor, catolico, mas que serviu pra que pudesse mostrar como Inacio trata a Jesus em suas cartas.

    abraços

    ResponderExcluir
  83. Vinicius, você raciocina bem e tem uns insights interessantes.

    Gostei de sua definição: "Divino é o que tem divindade no ser". Eu acrescentaria: "...própria, ou concedida por Deus.

    A divindade do Pai é própria, inerente a Ele. É divino por si mesmo. Já o Filho, embora "Nele mora corporalmente toda a plenitude da divindade" (Cl 2:9 - Al), isto veio a ocorrer porque
    "Deus decidiu que nele residisse a plenitude" (Cl 1:19 - Bíblia Peregrino).

    Os que nascem de novo como filhos de Deus e herdam o céu com Cristo passam a ser "co-participantes da natureza divina" (2 Pe 1:3). Mas não passam a ser divinos como Jesus - como argumentava Ário - porque são filhos por adoção. Apenas Jesus recebe "o nome que está acima de todo o nome".



    ue pode esclarecer o que é divino é o Salmo 8:6, que diz:
    - Tu o fizeste um pouco menor do que "elohin" (em hebraico)
    - Tu o fizeste pouco inferior a um deus (Bíblia do Peregrino)

    Paulo, por inspiração, citou o texto em Hb 2:7 assim:
    - Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos (Almeida)

    Em nota ao pé da página, sob Sl 8:5, Bíblia Plenitude comenta:
    "...A palavra para 'anjos' (hebr. 'elohim) tem no AT significado de Deus, deuses ou seres sobrenaturais...".

    A rigor, Vinicius, Jesus não disse "que era Todo-poderoso", mas sim que "todo o poder ME FOI DADO
    "

    ResponderExcluir
  84. marcelolemoseditor1 de outubro de 2009 18:31

    Vc, então, é politeísta...??!

    ResponderExcluir
  85. Continuando (pois houve um problema, e desarrumei o texto):

    Quanto a Jesus ser Deus porque tem "um nome que ninguém conhece" (será que nem Deus?), o raciocínio é válido, mas também "o vencedor, recebe um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe" (Ap 2:17) Também, "ninguém pode aprender o novo cântico que os 144.000 estão cantando" (Ap 14:3-4), mas evidentemente se exclui o Pai e o Filho.

    Quanto a Inácio de Antioquia, contemporâneo dos apóstolos, creio que ele não tinha credibilidade - que seria uma preciosidade para elucidar a controvérsia - pois a carta dele não foi incluída no cânon das escrituras gregas.

    ResponderExcluir
  86. tudo bem lucio que ela nao foi incluida no canon, o que quero dizer é que como Inacio estava vivo no tempo de alguns apostolos e conviveu com Policarpo que foi discipulo de Joao, ele sabia claramente o que eles queriam dizer. Ele ouviu da propria boca deles que Jesus era Deus.
    Bom, vejamos so um ponto.
    Quando se diz que foi feito menor q os anjos entao se refere ali a encarnaçao de Cristo, pq sinceramente eu nao quero um SENHOR menor q um anjo.
    Agora eu creio que Jesus é DEUS, nao um deus, mas DEUS.
    Se DEUS o PAI,manda adorar a Jesus, se JESUS tem todo o poder, independentemente se foi dado ou nao, e antes de tudo, antes das eternidades, Jesus tava com DEUS e la antes ja era DEUS. PRONTO
    ta resolvido.

    ResponderExcluir
  87. danilo tessari alves2 de outubro de 2009 10:03

    Pessoal alguem pode me dizer quem é que esta falando aqui em apocalipse 1 vers. 8. pois na minha biblia diz : Eu sou o Alfa eo Omega , o principio eo fim, diz o Senhor, que é , e que era , e que a de vir , o TODO PODEROSO. Paz a todos !

    ResponderExcluir
  88. Vinicius, você gosta de raciocinar e isto lhe faz crescer.

    Quanto a Inácio, não parece ter ouvido de João que Jesus era Deus. Do contrário, João teria usado expressão similar em suas três cartas inspiradas, escritas no ano 98, ano em que Inácio provavelmente já estava morto.

    Tal carta parece ter sido elaborada posteriormente por alguém interessado em provar que Jesus é Deus. Mas Paulo, como que para refutar os 'inácios' de seu tempo, repete diversas vezes em suas cartas que há um só Deus, o Pai (1Co 8:6; Efé 3:14 e 4:5).

    Quanto a Jesus ter sido feito menor que os anjos, você tem razão: refere-se à sua fase humana. Após sua ressurreição, passou a ser maior que os anjos, como argumenta o escritor de Hebreus. Paulo diz que Deus lhe deu um nome que está acima de todo nome, e o título exclusivo de "Senhor". Assim, Jeová é Deus e Senhor de Jesus, e Jesus é Nosso Senhor, mas não nosso Deus.

    Vinicius, antes de Jesus vir à terra, morrer pela humanidade e ressuscitar, ele não era nosso Senhor e não tinha ainda um nome que estava acima de todo nome. Mas já era Filho de Deus antes de nascer como homem na terra.

    Quanto a Jesus ser adorado, e ter existido antes "das eternidades", posso explicar caso você deseje.

    ResponderExcluir
  89. Tessari, em Ap 1:8 quem está falando é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, que é indiscutivelmente o Pai. Visto que todas as coisas que o Pai faz são feitas por intermédio de Jesus (Jo 1:3), o Pai cumpre sua promessa de "vir" julgar a terra e implantar seu reino, através de Jesus, que é na prática aquele que vem como representante do Pai.

    Hoje, diríamos que o Pai deu a Jesus uma procuração e poderes para perdoar pecados, julgar a humanidade e reinar sobre ela.

    Todas as vezes que Jesus realiza uma obra que só cabe a Deus realizar, é porque ele recebeu do Pai o mandado ou a incumbência para tal, não porque ele é o Pai.

    ResponderExcluir
  90. bom lucio, inacio se eu nao to enganado morreu em 110 d.C.
    agora ele trocou cartas com policarpo, com os erminenses, com os efesios , os romanos e provavelmente mais alguns.
    Agora vc poderia me explicar quem isaias viu no capitulo 6?

    ResponderExcluir
  91. Marcelo, não é politeísmo acreditar que existe apenas um Deus Todo-poderoso. Quando esse único Deus resolve dar todo o poder no céu e na terra a seu Filho Jesus, para que ele aja como seu porta-voz (a Palavra) e executor, ele não está fazendo nenhum deus em oposição a Ele.

    ResponderExcluir
  92. to gostando de postar aki, o pessoal eh muito ativo e isso contribui muito para o crescimento espiritual.
    é melhor pq a gente sempre ta de olho na biblia, nao se acomodando com simples coisas que pastores podem nos dizer. Agradeço a todos os irmaos e amigos que concerteza eu ja considero aki.
    abraços.

    ResponderExcluir
  93. Vinicius, sobre Is 6:1, a TNM diz: "No ano em que morreu o Rei Uzias, eu cheguei a ver JEOVÁ sentado num trono...".

    ResponderExcluir
  94. Mas no texto massorético em Is 6:1 não se usaֲ יְהוָ֖ה[IHVH] Yehováh, mas אֲדֹנָ֛י [ADNI] Adonai, Senhor. Mania feia essa da Torre de Vigia.

    ResponderExcluir
  95. Complementando, Vinicius, Isaías diz no vers. 5b: "...pois meus olhos viram o próprio Rei, JEOVÁ dos Exércitos".

    Observe no vers 2 que os anjos cobriam Sua face, porque "homem nenhum pode ver minha face e continuar vivo", disse Jeová a Moisés.

    No vers. 8, Ele pergunta: A quem enviarei e quem irá por NÓS?" - Por que no PLURALl? Porque o Pai só opera através do seu Filho, que executa suas ordens (Jo 1:3).

    Por exemplo, quando o Pai disse: "FAÇAMOS o homem à NOSSA imagem e semelhança", o Filho o fez à imagem e semelhança deles dois. Quando o Pai disse: Eis que o homem tornou-se como um de NÓS, sabendo o bem e o mal", se referia ao Filho, que estava com Ele. Quando disse nos dias de Babel: "DESÇAMOS e CONFUNDAMOS a língua [dos homens], o Filho desceu e a confundiu.

    Desde que foi "CRIADO como as primícias de suas obras" (Pr 8:22), o Filho adquiriu sabedoria para fazer o universo, o homem, e tantas outras coisas, porque foi "ALUNO" (Pr 8:29-Al: ..."E eu era seu Aluno") do "ÚNICO SÁBIO", o Pai ( ).

    Suas "aulas" duraram no mínimo cerca de 15 bilhões de anos, se os cientistas estiverem certos quanto à idade do universo. Por isso, quando Salomão personificou "A Sabedoria", referia-se a Cristo, "A Sabedoria de Deus", como diz Paulo.

    VOLTANDO A ISAÍAS, em Ap 1:12-17, o Filho está preparado para representar o PaI como "Rei", e é o Filho que aparece no trono. Observe que João pôde ver sua face e seu semblante (1:16), "e continuar vivo", porque "Ninguém jamais viu a Deus; o deus unigênito que está junto ao seio do Pai é quem o revelou".

    Peço informar a tradução que você usa comumente, para que eu possa fazer citações por ela. Se você preferir explicações mais completas, posso mandar para seu e-mail.

    ResponderExcluir
  96. Ednaldo, transcrevo explicação 1B do apêndice da TNM com referências:

    "Em 134 lugares, os soferins (escribas) judaicos alteraram o texto hebraico original de YHWH para 'Adho-nai. Gins.Mas, Vol. IV, P. 28, século 15, diz: "Vimos que em muitos destes cento e trinta e quatro casos, em que o atual texto recebido reza Adonai em harmonia com esta Massorá, alguns dos melhores MSS. e primitivas edições têm o Tetragrama, e assim surge a pergunta sobre como se chegou a esta variação? Não se precisa ir longe para achar a explicação. Desde tempo imemorável, os cânones judaicos decretaram que o nome incomunicável devia ser pronunciado Adonai, como se fosse escrito (Adonai em hebraico) em vez de YHWH. Portanto, não havia nada mais natural do que os copistas substituirem o Tetragrama, que estavam proibidos de pronunciar, pela expressão que exibia essa pronúncia."

    A seguir, a TNM lista as 134 mudanças feitas pelos soferins.

    ResponderExcluir
  97. danilo tessari alves3 de outubro de 2009 14:08

    irmão Lucio. Apesar de eu ainda estar firmado no que aprendi quando me converti , não é de se negar que o que vc diz é muito interessante ; Embora eu não posso me entregar assim e sair dando créditos a vc , pois é um assunto muito delicado, mas admiro a forma que vc defende sua opinião . Eu pediria a vc para me explicar o seguinte : JEOVÁ disse que não haveria nenhum DEUS além dele (ou seja , nem deus inferior e nem deus que se igualaria a ele e nem superior a ele).Agora veja oque esta escrito na biblia dos testemunha de Jeová Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o domínio principesco virá a estar sobre o seu ombro. E será chamado pelo nome de Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.(isaias 9-6) é justamente ai que eu fico confuso veja bem o meu raciocinio : eu não acredito em dois DEUS ; eu acredito que o filho de DEUS é DEUS também , e os dois são um DEUS ...E quando JESUS disse : EU eo PAI somos um , ele se referia que tudo oque o PAI é, ELE é também , Ou seja DEUS ! olha continuo dizendo , eu não sou nada perto de vcs , eu simplesmente quero aprender , por favor tenham paciencia comigo. um grande abraço !

    ResponderExcluir
  98. marcelolemoseditor3 de outubro de 2009 14:56

    Meus queridos, tal tese é politeísmo puro e simples. O irmão Lúcio diz: "Marcelo, não é politeísmo acreditar que existe apenas um Deus Todo-poderoso. Quando esse único Deus resolve dar todo o poder no céu e na terra a seu Filho Jesus, para que ele aja como seu porta-voz (a Palavra) e executor, ele não está fazendo nenhum deus em oposição a Ele."

    Ora, mas é exatamente isso que chamamos de politeísmo! Trata-se de Deus dando sua glória a outro! Tudo o que se diz do Pai, se diz de Cristo: criador, sustentador, salvador, Bom Pastor, Libertador, Deus Forte; etc; etc.

    Não é verdade que Jesus recebeu autoridade apenas para ser "porta-voz" e "executor"!

    Na tese do irmão nós temos DOIS DEUSES. E não importa se um é menor, ou oriundo do outro! Ainda assim são DOIS DEUSES - o que resulta em POLITEÍSMO. Em nenhum lugar se descreve politeísmo como sendo apenas DOIS DEUSES IGUAIS. Dois deuses, iguais ou não, sempre é politeísmo!

    Tal conceito é antibíblico.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  99. Ednaldo, li seu comentário do início. Você é bastante crítico, e Paulo, perseguidor da igreja, ambos com bons motivos. Mas isso teve e tem um lado bom: quando Paulo descobriu quem era Jesus - Filho de Deus e Testemunha de Jeová fiel e verdadeira (Ap 3:14) -, ele passou a defendê-lo com a mesma garra com que o atacava.

    No entanto, para alguém ser "derrubado do cavalo" do preconceito ou da presunção, precisa "ficar cego" por um pouco, como Paulo, para conseguir depois "ver" as coisas de modo diferente.

    Talvez os interlocutores desse site já tenham acolhido a Jesus. Resta fazer a verdade (ou "Cristo) crescer em nossos corações" (Paulo), e é isso que buscamos, ao confrontar os ensinos divergentes.

    u, estejamos fazendo isso. Esse clima justifica a frase do Vinicius:

    os motivos dos ensinos das Testemunhas de Jeová, mesmo que lhes pareça a princípio sem fundamento.

    primeiro - como Paulo - ser cegado entender os motivos de outras crenças diferentes das suas.
    m. Quando descobrir, talvez com sua amiga, que os ensinos das Testemunha de Jeová têm sólida fundamentação bíblica, seu espírito crítico poderá se voltar para quem edificou este preconceito.

    ResponderExcluir
  100. Ednaldo, perdoe-me. O texto de meu aparte termina com o terceiro parágrafo. Desconsidere os demais, que me esqueci de apagar antes de enviar. Grato.

    ResponderExcluir
  101. exatamente , o capitulo 6 fala que é Jeová.
    mas o que significa o capitulo 12:41?
    de quem é este de quem joao agora falava:?

    ResponderExcluir
  102. Vinicius, transcrevo explicação em nota sob Jo 12:41, da Bíblia do Peregrino, católica e trinitariana:

    "...No relato da vocação, o profeta contemplou a glória de Deus enchendo a terra. O sentido mais provável é que Isaías (em Is 53 e em outros textos afins) previa o destino do futuro Salvador: um destino glorioso através do sofrimento (42:1-4; 49:4-7; 50:5-9; 52:13; 53:12)!.

    Não podemos descartar que Isaías se referisse a Cristo, pois quando disse: "meus olhos viram o Rei, Jeová dos Exércitos"
    (Is 6:5), ele sabia que esse Rei agiria por meio do glorioso "Príncipe (filho do Rei) da Paz" que alude em Is 9:6.

    "

    ResponderExcluir
  103. Tessari, alegro-me de você só querer basear sua fé no que a Palavra de Deus diz, e não no que o pastor e eu dizemos, por mais "interessantes" que sejam nossas colocações. Continue sendo como os bereanos, que recebiam de Paulo e Silas o que eles diziam ser palavra de Deus, mas "examinavam cuidadosamente cada dia as escrituras para ver se as coisas eram assim"como eles diziam (At 17:11).

    A PALAVRA DE DEUS DIZ que "não haveria nenhum Deus além dele" (Is 43:10) e VOCÊ DIZ: "ou seja, nem deus inferior e nem deus que se igualaria a ele e nem deus superior".

    Talvez você pense assim porque leu o texto numa bíblia que induz os leitores a pensar que Jesus é Deus Todo-poderoso e porisso, assinalou com letra minúscula o "deus" que Jeová diz que não existiria nem antes nem depois dEle, em Is 43:10.

    Traduzido desssa maneira, você e os trinitarianos estariam sendo verdadeiros, mas Deus, mentiroso. Porque Palavra de Deus diz claramente que existem de fato algumas pessoas, umas no céu e outras na terra, que SÃO ou seriam CHAMADAS de "deus" ("elohim" em hebraico, ou "théos" em grego).

    Observe que em 1 Co 8:5, a Palavra de Deus diz: "Embora haja os que se chamem "deuses" (com letra minúscula) quer no céu quer na terra, assim como HÁ MUITOS deuses" (com letra minúscula)..."

    Jeová não ia dizer "Não há outro deus além de mim" e, ao mesmo tempo dizer que "há muitos deuses". Quer no céu, quer na terra, Ele mesmo chama anjos são "deuses" (elohim, cf. Sl 8:5 e Hb 2:7), diz que os juízes iníquos de Israel são "deuses" (Sl 82:1, 6), que Satanás é "deus" (2 Co 4:4) e que Jesus é "deus" (Jo 1:1).

    Portanto, para que "Seja Deus verdadeiro, e o homem mentiroso" (Ro 3:4), a TNM assinala com letra maiúscula o termo "Deus" quando Jeová diz não haver nenhum "Deus" além dEle.

    Ou seja, não há ninguém que seja seu predecessor ou sucessor na condição de verdadeiro Deus, Todo-poderoso.
    O próprio Jesus, por um tempo, será chamado de "Deus Poderoso", porque agirá como representante do Pai, dele recebendo todo o poder no céu e na terra necessário para cumprir o mandato. Quando concluir a tarefa divina que Deus lhe comissionou, devolverá o Reino a seu Deus e Pai, para que Deus seja todas as coisas para com todos" (1 Co 15:28).

    Como todo o Governante que conclui um mandato, quando Jesus devolver o Reino a seu Pai, devolverá também todo o poder que dele recebeu para exercê-lo, "para que o Pai seja todas as coisas para com todos", inclusive para com ele.

    Porisso, Paulo continua em 1Co 8:6: "Mas, para nós, há um só "Deus" (com letra maiúscula, porque com letra minúscula, há outros que são chamados de "deus" pelo próprio Deus), o Pai".

    Como para refutar tendências entre os judeus residentes em cidades gregas de Corinto, Éfesode endeusar pessoas, num contexto judaico influenciado pela cultura grega politeísta, Paulo afirma várias vezes em suas cartas que o Pai é o Único Deus e que Jesus é posterior a Deus ( Ef 3:14; 4:5; 1 Co 8:5,6).

    ResponderExcluir
  104. Sabe o que acho mais interessante nessa "explicação" é que dois versículos depois, no verso 3, e mais dois versos adiante, no verso 5, os mesmos escribas que no verso primeiro "alteraram" o YHVH para ADNY, mantiveram o YHVH, e não só isso, mas ainda mantiveram o YHVH mais de 500 vezes no livro de Isaías.

    ResponderExcluir
  105. danilo tessari alves5 de outubro de 2009 11:45

    Hum... tem haver o que vc diz ; pocha irmão Lúcio to num fogo cruzado (rsrsrs) . Bom; mas continuo crendo que JESUS é o filho de JEOVÁ e que os dois são DEUS! Você diz que a minha biblia induz a crer que CRISTO é o todo poderoso, (oque na sua opinião é errado afirmar isto) mas o que me garante que a TNM esta correta ao afirmar que JESUS não é DEUS ?. Bom o modo mais facil de resolver esse problema é simples é só analisar o que esta escrito em joão 1-1 no texto original ; se lá disser que o VERBO era DEUS então JESUS se iguala a JEOVÁ em todos os aspectos né naum ? Agora se disser que o VERBO é um deus , ai então JESUS é inferior a JEOVÁ eo que nos basta é aceitar , e como eu num tenho entendimento dessas coisas ainda, vou me esforçar em aprender mais. fico por aqui ,peço desculpa por alguma bobeira que disse e confesso que tudo isso que esta sendo discutido aqui é muita coisa pra mim vou ficar de fora senão eu acabo ficando confuso e isso num é bom pra quem esta começando agora. PESSOAL UM ABRAÇO PRA TODOS E ESPERO QUE VCS CHEGUEM NUM ACORDO ! PAZ de CRISTO

    ResponderExcluir
  106. MARCELO,

    Há um detalhe no conceito de POLITEÍSMO, MONOTEÍSMO e DEUS que você não captou muito bem, e faz você, querendo ajudar outros, atrapalhá-los. Permita-me trazer o detalhe à sua atenção, a partir da definição dessas palavras pelo Dicionário Houaiss:

    Deus - 1. ente infinito, eterno, sobrenatural e existente por si só; causa necessária e fim último de tudo que existe.
    obs,: inicial maiúscula.

    4. nas religiões monoteístas, sobretudo no cristianismo, ser supremo, criador do universo.
    Obs.: inicial maiúscula.

    5. No catolicismo: cada uma das três pessoas distintas existentes em um só Deus (Pai, Filho e Espírito Santo)
    Obs.: inicial maiúscula.

    10. Na filosofia: princípio absoluto, realidade transcendente ou Ser primordial







    Definição de monoteísmo, segundo Houaiss:
    "sistema ou crença religiosa que admite mais de um deus".






    A definição primária de POLITEÍSMO é "a crença em muitos deuses.

    como aquilo que a gente aprende no curso primário (que "a Terra é redonda"), mas no secundário,
    Parece correto mas é simplista, como aquilo que a gente aprende na escola primária, que "a Terra é redonda", o secundário, que "a Terra é arredondada", e no

    ResponderExcluir
  107. marcelolemoseditor5 de outubro de 2009 13:40

    O irmão acredita que o Pai é Deus? Sim ( ) Não ( )

    O irmão acredita que Jesus é um deus? Sim ( ) Não ( )

    No caso de uma resposta duplamente positiva, como espero receber, é correto afirmar que o irmão acredita em um Deus, e em um deus? Neste caso, o irmão acredita em DUAS DIVINDADES?

    Antes de responder, lembre-se de que o irmão mesmo admite que o texto de João 1.1 ensina que Jesus é Divino, ok? O Pai é Divino? O filho é Divino? Logo, temos DUAS DIVINDADES?

    ResponderExcluir
  108. Marcelo, só creio em uma divindade, a do Pai. O Filho é "divino" não por ser outra divindade, mas porque "nele habita corporalmente a plenitude da divindade" do Pai. O Filho não é inerentemente "divino", mas "aprouve" ao Pai que o fosse.

    Quando glorifica o Filho, o Pai não está "dividindo" sua glória, mas multiplicando-a (Jo 17:1). Não está "dando sua própria glória a outrem". O Filho deve ser enaltecido e chamado de Senhor "para a glória de Deus, o Pai". (Fl 2:9).

    Cristãos são convidados a participar da "natureza divina" (2Pe 1:4) e serão glorificados, mas isso resultará também na glorificação do Pai e do Filho, e não na subtração da glória desses.

    'Monoteísmo' é crer num só Deus (com inicial maiúscula) - no sentido absoluto que a cultura hebraico cristã dá ao termo, quando se refere a Jeová (1Co 8:6), que exclui seu significado pagão.

    Politeísmo é crer em vários deuses (com inicial minúscula) - no sentido que os pagãos dão a esse termo, que exclui seu significado hebraico-cristão.

    Não é politeísmo crer que existe apenas um Deus no sentido absoluto, e seres humanos ou celestiais chamados de "deus" no sentido pagão do termo.

    É verdade que Jesus é chamado de muita coisa que o Pai é chamado também. Mas, não é chamado de nada que seja uma característica exclusiva do único e verdadeiro Deus.

    Vê-se, pela argumentação de Jesus em Jo 10:30-35, que ele concorda que mereceria ser apedrejado se estivesse mesmo se fazendo "Deus" no sentido absoluto, como julgaram os fariseus. Ele provou que podia até se chamar de "deus" no sentido que os juízes de Israel o foram no Sl 82:6. Em Mt 4:4, Jesus disse a Satanás que só adora a Jeová.

    Portanto, é IDOLATRIA que o próprio Jesus repudia, chamá-lo de "Deus" no sentido estrito do termo. Sendo a pessoa mais importante do universo depois de Jeová, nunca reivindicou para si a condição de "Deus" em sentido absoluto, como se quisesse igualar-se a Ele, porque não satisfaz às seguintes condições:

    (Marcelo, preciso sair. Continuo depois, se você, como editor, não julgar inoportuno. Manter a união é mais importante que vencer debates. Gosto quando você diz: "Paz e Bem".

    ResponderExcluir
  109. como entender Lucio que DEUS JEOVA É O PRIMEIRO E ULTIMO E JESUS TB:?
    se ELE foi criado ja nao era primero enem sera ultimo.
    Jesus poderia se apresentar como EU SOU:?
    por mais que representasse o Pai , ELE nao é o PAI.
    EU SOU É UMA EXPRESSAO DIVINA.
    sendo divina e se em Cristo habita toda plenitude da divindade, se é TODA, É PLENA, COMPLETA.
    nao ha divindade pela metade, pois assim nao seria divindade.
    o que quer dizer que Jesus é a imagem do DEUS invisivel:?
    talvez um fato que possa corroborar com a interpretaçao dos jeovistas q Jesus e´um deus , quando tb apontam o diabo como o deus desse seculo, sera porque creem que Jesus é Miguel:?
    rebaixando Jesus a um arcanjo:?
    em 1 joao 5:20 Joao diz que Jesus é verdadeiro DEUS e a vida eterna.

    bom, e vendo algumas explicaçoes suas como joao 12:41 e atos 20:28, vc cita alguns comentaristas que dizem p exemplo em atos ne, que deveria-se ler :o sangue do seu Proprio FILHO.

    MAS ESPERA SO UM POUCO.
    O TEXTO DIZ ISSO MESMO? OU VAMOS IGNORAR O QUE O TEXTO REALMENTE DIZ PRA CRERMOS NA INTERPRETAÇAO "MAGNIFICA" DESSES COMENTARISTAS QUE "DEDUZEM" SER ASSIM.
    penso q isso sim é errado, negarmos o que esta escrito literalmente e claramente, para dar a interpretaçao correta a um teologo.

    ResponderExcluir
  110. Sua primeira pergunta foi:
    "Como entender que JEOVA É O PRIMEIRO E ÚLTIMO E JESUS TB:? se ELE foi criado, já não era primeiro nem será último."

    Permita-me colocá-la em ordem cronológica: "Foi Jesus criado? Então, como pôde dizer: "Eu sou o Primeiro e o Último?

    A Bíblia provê farta e clara informação sobre se Jesus teve princípio, ou sempre existiu:

    "O Senhor me CRIOU como PRINCÍPIO de seus caminhos" (Pr 8:22-NVI);

    "Ele é a imagem do Deus invisível, o PRIMOGÊNITO de toda a CRIAÇÃO (Cl 1:15);

    "Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o SOBERANO ["PRINCÍPIO", na maioria das versões] da CRIAÇÃO de Deus" (Ap 3:14-NVI).

    "Há um só Senhor [Jesus]..., um só Deus e Pai de todos". (Ef 4:5-NVI).

    "...Suas ORIGENS estão num passado distante, em tempos muito antigos (Mq 5:2-NVI);

    - Se os cientistas estiverem corretos quanto à idade do Universo, as "origens" do Filho ocorreram há pelo menos 15.000.000 de anos.

    MAS, COMO ALGUÉM QUE TEVE "ORIGEM" PODE DIZER QUE É "O PRIMEIRO E O ÚLTIMO?

    Em Is 44:6-NVI, Jeová diz: "Eu sou o primeiro e eu sou o último; além de mim, não há Deus".

    Equivale a dizer: Eu sou o primeiro e último Deus; sou o ÚNICO Deus. Em Is 43:10, ele amplia: "Antes de mim, nenhum deus se formou, nem haverá algum depois de mim.

    Jesus afirmou em Ap 1:17: "...Eu sou o Primeiro e o Último; sou Aquele que Vive. Estive morto, mas agora eu vivo para todo o sempre. E tenho as chaves da morte e do Hades".

    Equivale a dizer: Sou o ÚNICO dentre os homens que morreu e voltou a viver...para todo o sempre. Por isso, agora eu tenho o poder de ressuscitar do Hades a todos os que morreram, especialmente os fiéis.

    Em Ap 2:8, ele diz exatamente: "Estas são as palavras daquele que é O PRIMEIRO E O ÚLTIMO[,] QUE MORREU E VOLTOU A VIVER".

    O sacrifício propiciatório de Jesus, "aquele que morreu", foi O PRIMEIRO E O ÚLTIMO, ou O ÚNICO eficaz para salvar a humanidade, não necessitando de ser repetido.

    Jesus, "Aquele que voltou a viver", foi O PRIMEIRO E O ÚLTIMO dentre os humanos, o ÚNICO a ser ressuscitado DIRETAMENTE por Deus. Todas as demais serão feitas por Jesus.

    Por isso, Jesus foi O PRIMEIRO E O ÚLTIMO, ou o ÚNICO a recebeu poder (chaves) para julgar os vivos e os mortos. Ele o faz com base na fidelidade (fé), e não na Lei de Deus, que só gera vida se a pessoa nunca pecasse, o que só foi possível para o homem perfeito, Jesus.

    Vinicius, sei que é difícil para uma pessoa que acredita que Jesus nunca teve princípio aceitar essas considerações, especialmente porque correria o risco de ser "apedrejado" pela maioria dos que professam o cristianismo. Mas Deus há de ajudar a mim e a você a nos aprimorarmos no conhecimento do Pai, o único Deus verdadeiro, e de Jesus Cristo, a quem ele enviou".

    Peço informar a tradução da Bíblia que usa e o assunto seguinte, para comparação de argumentos.

    Faço minhas as palavras do nosso querido editor:"Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  111. ah nem ligo pra ser "apedrejado " mais.
    como uma querida amiga me disse, ja falavam que eu sou teimoso, quase lunatico e herege demais, com minhas teorias muito loucas.
    bom, mesmo assim esse argumento nao me satisfez plenamente.
    agora ha os outros pontos ne.

    ResponderExcluir
  112. marcelolemoseditor7 de outubro de 2009 16:17

    Sinceramente, não convence: é muita divagação para se negar o obvio: Jesus é Deus, em todo o Novo Testamento! Também não convence a mudança que o irmão pretende dar para o significado do termo "politeísmo", enfim.

    Por exemplo, o irmão pretende fazer Apocalipse 2.8, que diz ser Jesus o Alfa e o Omega, significar apenas que ele foi o primeiro e o ultimo, no sentido de ter sido morto em favor dos pecadores, e ter sido ressuscitado diretamente por Deus. Mas, isso é mero “arranjo” para fazer o texto se encaixar em sua teologia! O versículo não diz nada disso!

    Quando João diz “QUE MORREU”, ele não está explicando o motivo de Ele, Jesus, ser o “Alfa e o Omega”. Nada disso! Ele está simplesmente LISTANDO as características de Jesus. Ou seja, responde João a seguinte questão: Quem é Jesus? (Ele o apresenta como remetente da carta, por isso, o identifica – obvio!):

    “O que lhes escrevo são palavras daquele que é o Alfa e o Omega, aquele que foi morto e reviveu!”. Não é uma clausula explicativa (a segunda oração), antes, as duas são uma apresentação das características de Cristo! Construção semelhante é feita em quase todas as outras cartas! O proprio texto de Apocalipse 1.7, que o irmão também tenta encaixar em sua tese, faz a mesma coisa: apresenta características de Cristo, e não explicações para uma característica! O irmão está forçando o texto!

    Com todo respeito, sua interpretação para a clareza do texto é estranhíssima, para dizer o minimo...

    Mesmo assim, obrigado por compartilhar suas teorias conosco.

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  113. Descrever-se Jeová como "o primeiro e o último" parece relacionar-se com sua unicidade, não eternidade. Pelo que ele diz a seguir: "Não há Deus além de mim".

    Para quem insiste que a expressão se refere ao tempo, o Pai que criou todas as coisas, é "o primeiro e o último" em relação a toda a sua criação, que inclui o Filho e as outras coisas.

    O Filho é "o primeiro e o último" em relação a toda a criação feita por intermédio dele.

    Quando a Bíblia descreve a ETERNIDADE de Jeová, ela o faz de outra maneira: "De eternidade a eternidade tu és Deus".
    Quer dizer, nunca começou a existir e nunca terminará.

    ResponderExcluir
  114. Posso ta falando besteira aki, mas se Jesus foi realmente DEUS em sua essencia, ou podemos dizer, tinha a plenitude da divindade habitando corporalmente,que pra mim é a mesma coisa, pois[e quem tem plenitude de algo é esse algo. Exemplo, eu tenho a plenitude do humano, eu sou humano. Agora quem tem plenitude de divindade é DEUS. E Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente.
    Entao foi, é e sempre sera DEUS.

    ResponderExcluir
  115. Você não tem falado besteira, mas faz observações inteligentes e demonstra humildade para se aprimorar.

    Raciocine: Se fosse do agrado do Pai que em você "habitasse a plenitude da divindade" dele (ler Cl 2:9), e se ele lhe desse "todo o poder no céu e na terra", significa que você passaria a nunca ter tido princípio? E a ser o próprio "único" Deus, como ele é?

    Não se diz que "Jesus é o mesmo ontem, hoje e amanhã".
    Mas, que "Jesus é o mesmo ontem (tempo), hoje (tempo) e eternamente (ausência de tempo).

    Só o Pai é "de eternidade a eternidade" ( Sl 90:2; compare com Pr 8:25 (Cristo). Não se diz que o Pai "nasceu", como se faz com "a sabedoria de Deus", Cristo. Em outras palavras,

    Jeová é o mesmo eternamente, hoje e eternamente.

    O Dicionário Houaiss dá dois significados para eternidade: 1)que não tem começo nem fim; 2) que tem começo, mas não tem fim.

    Quando se diz que Jesus é o Pai da Eternidade, não se está falando da eternidade passada, pois esta não tem princípio nem Pai. Jesus é Pai da eternidade futura, porque através dele muitos obterão vida eterna. Adão não foi pai eterno da humanidade, porque seus filhos morreram. Jesus se torna Pai Eterno, porque seus filhos "jamais morrerão.

    Paulo diz que Cristo "habita nos nossos corações"; e Pedro, que cristãos seriam participantes da natureza divina (ler 2Pe 1:4). Mas, não se julgavam deuses todo-poderosos por causa disso.

    ResponderExcluir
  116. Vinicius disse: "E Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Entao foi, é e sempre sera DEUS".

    Se fosse realmente assim, ele:

    Saberia todas as coisas - Mat 24:36
    Poderia fazer todas as coisas - Jo 5:30
    Não dependeria de ninguém maior do que ele mesmo -
    Jo 14:28
    Faria só as coisas que lhe agradassem - Jo 8:29
    Não teria de pedir nada a ninguém - Jo 14:16
    Não teria de orar a para Deus, muito menos de joelhos - Luc 22:41
    Não teria louvado públicamente ao Pai, o Senhor do céu e da terra - Mat 11:25

    Estes e outras centenas de textos, indicam que tinha alguém MAIOR do que Jesus, E QUE NÃO ERAM A MESMA PESSOA.

    Resumindo:

    Jesus atuou como um Deus, pela obras póderosas que fez com o espírito santo, a força ou poder, que Seu Pai lhe deu, mas NÃO como o próprio Todo Poderoso.

    O ÚNICO DEUS TODO PODEROSO, ficou EXCLUIDO de todas as coisas que foram sujeitas a Jesus Cristo. 1 Cor 15:27.

    Jesus ensinou que deviamos orar ao PAI, e santificar o nome DELE. Mat 6:9.
    Jesus ensinou que deviamos absorver conhecimento do ÚNICO DEUS verdadeiro. Jo 17:3.

    Jesus atuará como sumo secerdote para sempre perante Deus. Heb 6:20

    Jesus NÃO É o Deus Todo Poderoso IHVH (JEOVÁ).
    Jesus É O CRISTO ou UNGIDO para a glória de JEOVÁ.

    Mais claro do que isso, só Deus fazemdo outra Bíblia!

    "Quem é que vence o mundo senão aquele que tem fé em que Jesus é o Filho de Deus? " - 1 Jo 5:5

    Quem não acredita nisso, sempre será escravo do mundo e da sua religião falsa!

    Oro Jeová, para que os sinceros e puros de coração, venham a ter um conhecimento EXATO da verdade! - 1 Tim 2:4

    Que a paz de Deus seja convosco!

    ResponderExcluir
  117. marcelolemoseditor8 de outubro de 2009 14:31

    Com todo respeito, o irmão fala um monte de coisas sem sentido, pois ignora completamente o ensino Bíblico sobre a kenosis de Cristo. Argumentar deste modo, ignorando o que a Bíblia diz sobre a kenosis, é fácil. Argumente, porém, leve tal detalhe em consideração.

    ResponderExcluir
  118. Pois é pastor, realmente ele so falou versiculos de Jesus encarnado, " o qual sendo em forma de DEUS nao usurpou ser igual a DEUS".
    È claro que Jesus pela humildade, esvaziamento de si mesmo, ou seja ELE teve que se destituir dos seus atributos pra nao ser em forma de DEUS.
    Ora, se ELE se despiu dessa forma, é que onisciencia, e os demais atributos ele tinha.[
    agora, eu queria usar um argumento que vi no site sola scriptura, infelizmente nao sei quem o escreveu, mas ja citei entao a fonte.
    DEUS sempre foi sabio? Porque entao como ELE criou a sabedoria , sem que ELE a tivesse?
    é um atributo tao eterno quanto DEUS nao é?
    e vemos tb a PALAVRA DE DEUS é tao eterna quanto o PROPRIO DEUS uai.

    ResponderExcluir
  119. marcelolemoseditor8 de outubro de 2009 15:19

    Exatamente. Você pegou direitinho o espirito da coisa! Para se negar a divindade de Cristo é preciso questionar textos amplamente aceitos, e fazer um grande malabarismo com textos fora do contexto, e do bom senso, enfim.

    No que me diz respeito, sinceramente, não convence. Tenho lido tudo que se escreve neste tópico, e não vejo nada novo, nada que realmente faça a diferença em prol dos que enxergam Jesus como um "deus", menor que o Pai, etc.

    Esta é a minha opinião.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  120. Ednaldo, não é mera coincidência que tiraram o nome divino de Is 6:1, exatamente num lugar que deixa dúvida se está se referindo a Jeová ou Jesus.

    Se você faz teologia, pode ser o assunto objeto de uma monografia. Poderá examinar as 134 ocorrências na TNM com referências, e tentar encontrar uma relação entre elas. Talvez possa descobrir que interesse estava por trás dos escribas, que suprimiram seletivamente 134 ocorrências do nome de Jeová da Bíblia.

    Aqueles escribas não são mais repreensíveis do que os modernos Editores de Bíblias que suprimem as 6.973 vezes em que o nome divino ocorre no AT, substituindo-o pelo termo "Senhor".

    ResponderExcluir
  121. Srs. Marcelo Lemos e Vinicios.

    Vamos ler o texto em questão e meditar um pouco.

    5 Mantende em vós esta atitude mental que houve também em Cristo Jesus, 6 o qual, embora existisse em forma de Deus, não deu consideração a uma usurpação, a saber, que devesse ser igual a Deus. (Fil 2:5,6)

    Quero destacar o vers. 6.

    Reparem que o texto diz que, Jesus recusou-se SER IGUAL a Deus, QUANDO AINDA existia na forma de Deus.

    Jesus ESTAVA COM Deus, como ele mesmo disse:

    "De modo que agora, Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo".
    (João 17:5)

    Jesus ESTAVA COM Deus e NÃO TENTOU SER IGUAL a Deus enquanto ESTAVA com Deus, assim como não tenta usurpar a posição de SEU DEUS e PAI, agora que voltou para o seu lugar original, FILHO DE DEUS.

    É verdade que Jesus se esvasiou e desceu, mas, de forma nenhuma Paulo aplica estas palavras aos Filipenses à vida de Jesus na Terra.

    Paulo não disse que Jesus negou-se a ser igual a Deus ENQUANTO ESTEVE na terra.

    A doutrina da kenõsis diz que ele deixou de ser Deus (forma divina) para ser homem (criatura), até ai tudo certo.

    Mas usar esta doutrina para refutar os textos que citamos acima, indica uma cegueira espiritual. (2 Cor 4:4)

    O apostolo Paulo sabia que isto não era verdade, e se expressou belamente quando disse por inspiração:

    "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo..."
    2 Cor 1:30

    Leiam de novo: "DEUS e PAI de nosso Senhor Jesus Cristo"

    "DEUS E PAI de Jesus"

    Não tem como a Kenósis, ou qualquer outra doutrina humana, como a trindade, torcer estas palavras e manter a verdade.

    "DEUS E PAI de Jesus"

    Reconhecendo e tendo em mente esta verdade sobre Deus e Jesus, podemos entender perfeitamente TODOS os textos que citamos acima. Podem conferir!

    Amém...

    ResponderExcluir
  122. pois[e , Jesus nao teve por usurpaçao ser igual a DEUS enquanto encarnado.
    mas o texto acima num comentario que fiz ainda nao foi respondido:
    1 joao 5:20. é bom lermos isso ai. e ate agora o capitulo 6 de isaias com o 12:41 de joao nao foram respondidos a altura teologica clara evidentemente verificavel no texto a favor da divindade de Cristo.

    ResponderExcluir
  123. Vinicius, a Bíblia Plenitude, sob Fl 2:7, comentando o "esvaziamento" ("kenósis") de Jesus, diz em nota: "Jesus desistiu voluntariamente de sua glória quando veio ao mundo, apesar de manter sua divindade."

    De fato, ninguém pode se 'esvaziar' de sua essência; esvazia-se do que é periférico: roupa, glória, forma espiritual. Assim,
    Jesus enquanto homem, se fosse Deus, teria de ser onipotente, onisciente, auto-suficiente etc. E o Ludwig mostrou ele não é nada disso.

    Os textos abaixo se referem a Jesus após sua glorificação:

    NÃO É SUPREMO, MAS ESTÁ SUJEITO AO PAI
    - "Cristo é a cabeça de todo o varão...e Deus, a cabeça de Cristo" (1Co 11:3);
    - "O próprio Filho se sujeitará Àquele que lhe sujeitou todas as coisas..." (1Co 15: );

    NÃO É ONISCIENTE
    - "Revelação de Jesus Cristo, QUE DEUS LHE DEU..." (Ap 1:1);

    SEU PAI É O SEU DEUS
    - "A quem vencer, eu [Jesus] o farei coluna no templo do meu Deus e escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome" (Ap 3:12).

    SÓ O PAI É DEUS; O FILHO DEVE SUA EXISTÊNCIA A ELE.
    - "Porisso, dobro os joelhos diante do Pai, a quem toda a família no céu e na terra deve a existência" (Ef 3:14-Vozes);

    * * *

    Quanto à sua pergunta: Como pôde Deus criar a Sabedoria (Jesus) e ainda se manter como "o Único Sábio"? (Rm 16:27).

    Depois que o Filho "nasceu", "em tempos muito antigos" (Mq 5:2), o Pai conviveu com ele durante muito tempo antes de iniciar a criação do universo, porque iria usá-lo como "mestre de obras" ou executor de seus projetos criativos.

    Nesse longo convívio, o Filho absorveu tão cabalmente os conhecimentos e a sabedoria que o Pai lhe transmitiu, que podia ser chamado de personificação d"A Sabedoria de Deus".

    Quando o Pai foi criar todas as coisas, o Filho estava a seu lado, e era seu ALUNO (Pr 8:29).

    ResponderExcluir
  124. essa kenosis , creio eu , Jesus se esvaziou sim da sua divindade e de seus atributos. Um comentario nao muda nada. Jesus fazia milagres pelo Pai, enquanto estava aki, pois se despojou, e o fato de Jesus se submeter ao Pai nao revela inferior ao Pai.

    ResponderExcluir
  125. Mas qdo chegou ao céu, por que permaneceu "esvaziado" de sua divindade, chamando a Deus de "meu Deus"? Será que o Pai chama o filho de "meu Deus"?

    Em parte, v. está certo: submissão não é 'necessariamente' inferioridade. Mas chamar de "meu Deus", significa. O Deus de alguém é sempre maior do que esse alguém. Por isso, Jesus disse: O Pai é maior do que eu". porque mesmo lá no céu, continua a chamá-lo de Deus e o adora.

    "Dever a existência" a Deus também demonstra inferioridade. Jesus disse: "Eu vivo por causa do Pai, e vós viveis por causa de mim". Equivale a dizer: Sem mim, nada podeis fazer, e sem o Pai, nada posso fazer. Ou: Se não fosse eu, vocês não viveriam, nem ressuscitariam. Se não fosse o Pai, eu não viveria, nem ressuscitaria. Eu não sou ninguém sem o Pai, e vocês não são ninguém sem mim.

    ResponderExcluir
  126. isso nao tira em nada a divindade de Cristo.
    pense bem, mesmo estando com essa submissao , claro de Filho para Pai, ainda assim, devemos adorar a Jesus, chama-lo de DEUS, como os apostolos o chamaram.
    novamente eu repito o versiculo. joao o chamou de Verdadeiro DEUS.

    ResponderExcluir
  127. Deus nunca teve princípio, não deve sua existência a ninguém e não adora a outro Deus.

    O Filho teve princípio, deve sua existência ao Pai e adora o Pai como seu Deus.

    Mas como foi chamado de DEUS, você acha que "isso não tira em nada a divindade de Cristo. Eu entendi correto?

    ResponderExcluir
  128. nao tira.
    pq JESUS FOI GERADO , nao criado.
    Acho q D.A. Carson sabe explicar isso direito, depois vo dar uma olhada.
    e usar a versao que diz "...me criou..." pv,8:22 nao é a palavra final. temos q ver ql o texto mais confiavel.
    o texto critico ou o texto receptus?

    isso conta muito, e pelo que sei, os grandes defensores do texto critico, pelo menos a maioria( eh claro é ha conservadores), mas a maioria é liberal.
    entao so p esse anglo devemos bem olhar sobre essa questao.

    ResponderExcluir
  129. "Se o Filho foi "gerado" ou "criado", isso não muda o fato de que "O Filho teve origem, e o Pai, não". Mq 5:2 diz que "Suas ORIGENS são de tempos muito antigos". O Pai não teve origem. E não foi "gerado" nem "criado".

    Jeová diz à nação de Israel. em De 32:18 (Al) : "Esqueste da rocha que te GEROU, e em esquecimento puseste o Deus que te FORMOU". As duas expressões, usadas em paralelelismo, indicam que Israel não existia e passou a existir.

    ResponderExcluir
  130. oh
    num sei d mais nada. So sei que Jesus tem os mesmos atributos de DEUS o PAI, é chamado de DEUS verdadeiro, foi chamado de Senhor dos Exercitos, Jeova, isso em isaias 6.
    por todas as explicaçoes de quem é Jesus, ELE ainda assim foi identificado. Entao posso ate nao entender, mas é o q a biblia fala.

    ResponderExcluir
  131. Deixa eu entender melhor o que você está dizendo:

    Jesus falou que o Pai é o único Deus verdadeiro, em Jo 17:3.
    Por que você acha que "o Deus verdadeiro e a vida eterna" a que se refere 1 Jo 5:20 é Jesus Cristo, e não o Pai?

    Por que você acha que a visão de Is 6:1, se refere a Jesus, quando o próprio Isaías diz que viu Jeová dos Exércitos?

    Quanto a 'Jesus ter os mesmos atributos do Pai', já entendi sua colocação e falaremos sobre isso.

    ResponderExcluir
  132. falo de isaias pq em joao 12:41 se refere a Cristo e joao diz sobre esse episodio.
    agora eu creio q seja de Jesus a quem se refere, pq o texto deixa isso claro, ora .

    ResponderExcluir
  133. Entendi.

    Em Ap 3:21, Jesus diz: "Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono."

    Em Is 6, Jeová pergunta: "Quem irá por nós?", indicando que ele não estava só no trono. Jesus, 'aquele que venceu', é que estava ao lado direito dele. De modo que em Jo 13:41, Isaías viu a glória de Jeová e de Jesus, que vinha do trono. Cristãos que vencerem também serão glorificados com Cristo e se sentarão em seu trono.


    Quanto a 1 Jo 5:20, mando já a explicação,

    ResponderExcluir
  134. Vinicius, sobre 1 Jo 5:20, encontrei um artigo bastante esclarecedor intitulado "Quem é o Verdadeiro Deus e a vida eterna". Devido a restrições relacionadas a direitos autorais, talvez não seja recomendável publicar em sites compartilhados, como esse. Se você me permitir, mando para seu e-mail particular. O que você acha?

    ResponderExcluir
  135. pode mandar
    viniogatinho@hotmail.com

    ResponderExcluir
  136. mas o negocio é que Isaias so viu uma pessoa no trono, e joao o identificou como sendo Jesus.

    ResponderExcluir
  137. Assim como Isaías, João também teve uma visão do trono de Deus em Ap 4. E ele só viu uma pessoa SENTADA no trono, e anjos dizendo quem ele era: "Santo, Santo, Santo é Jeová Deus, o Todo-Poderoso".

    Mas, em Ap 5:4, João vê uma outra pessoa EM PÉ, no meio do trono, que se dirige "Àquele que estava sentado no trono" e pega um livro com ele. Essa pessoa era o Cordeiro, Jesus.

    Isaías só viu "Aquele que estava sentado no trono". Mas, depois, soube que Jeová dos Exércitos derrotaria seus inimigos por intermédio de seu Filho, que se tornaria o glorioso Príncipe da Paz. Por discernir quanta glória havia de ter Aquele que seria a principal pessoa a dizer a Jeová: "Eis-me aqui! Envia-me a mim!", Isaías muito falou e escreveu sobre Jesus em seu livro inspirado.

    Essa é uma das razões pelas quais João 12:41 diz: "Isaías viu sua glória e falou sobre ele".

    Gosto do seu estilo sintético e objetivo de escrever. Explicar é mais complicado que perguntar, mas ainda assim, eu preciso usar menos palavras.

    Vinicius, peço ler o artigo "Quem me vê, vê o Pai". que mandei para teu e-mail.

    ResponderExcluir
  138. Não é errado penasr e afirmá que Jesus é um Deus....

    Mas Ele não é o Deus todo poderoso....

    Embora pelo que está escrito e o que ele fêz, Jesus é tal...
    UM DEUS PODEROSO...

    Sem contá que agora ele é IMORTAL...

    ResponderExcluir
  139. Será que Jesus é o Deus, só porque recebeu toda autoridade no céu e na Terra?
    Ou talvez porque foi dada uma ordem, para que todos os joelhos dos no céu e na Terra se dobrem diante dele?

    Por intermédio dele, [Jesus] ofereçamos sempre a Deus um sacrifício de louvor, isto é, o fruto de lábios que fazem declaração pública do seu nome. (13:15,16)

    Como podemos oferecer um sacrifício a Deus por meio de Jesus, se ele mesmo é Deus?

    Será que Paulo pensava que Jesus é Deus?

    Se Jesus é Sacerdote para sempre perante Deus, embora exista em forma de Deus, nunca será o DEUS Todo Poderso. Sempre estará sujeito a seu Deus e Pai.

    ResponderExcluir
  140. Mas então porque aqueles três reis magos adoraram ele?

    ResponderExcluir
  141. Prestar homenagem não é o mesmo que adorar como se adora a Deus.

    A maioria das palavras hebraicas e gregas que podem denotar adoração também podem ser aplicadas a atos que não são de adoração.

    No entanto, o contexto determina de que modo devem ser entendidas as respectivas palavras.

    No caso, Jesus era apenas um bebê, evidentemente não o estavam adorando, prestando uma homenagem.

    Existe muitos casos nas escrituras de pessoas que prostrarm diante de autoridades mas não adoramdo.

    Por ex. os irmãos de José que era governante do Egito.

    Fica claro que os que QUEREM fazer de Jesus O DEUS, usam uma aplicação errada na tradução.

    ResponderExcluir
  142. Tem pessoas que não querem saber da verdade.

    A única coisa que querem fazer é difamar as TJs.

    Não estudam a Bíblia pra valer, não almejam o verdaderio conhecimento. Baseiam-se apenas no que opositôres dizem, sem se preocupar com o que as Escrituras realmente dizem.

    Desde o início das Escrituras em Gên 3:15, Deus já deixou claro que "UM DESCENDENTE", e NÃO o próprio Deus seria o responsavel pelo esmagamento da serpente original, Satanás o Diabo.
    UM DESCENDENTE foi prometido a Abraão, Isaque e Jacó, mais tarde a Davi rei de Israel. Muitos profetas falaram a respeito deste DESCENDENTE.

    Finalmente, na época do nascimento deste um anjo falou a Maria:

    'Este será grande e será chamado FILHO DO ALTÍSSIMO; e JEOVÁ DEUS lhe dará o trono de Davi, seu pai, 33 e ele reinará sobre a casa de Jacó para sempre, e não haverá fim do seu reino.”

    Desde o iníco foi descendente, seria chamado de Filho de Deus, Jesus SEMPRE disse de si mesmo como FILHO DE DEUS.

    Por que só no im do 3º séc. EC. seria considerado O DEUS?

    Os amantes da verdade sabem da resposta!

    ResponderExcluir
  143. epa epa. Q fim do 3 seculo? reveja suas fontes viu,sao precarias demais pra falar uma bobagem destas

    ResponderExcluir
  144. danilo tessari alves19 de outubro de 2009 11:40

    Ludwig Verdade mesmo, tem pessoas que não querem saber a verdade.Não estudam a biblia pra valer , não almejam o verdadeiro conhecimento. JESUS éo filho de JEOVÁ; e tudo oque JEOVÁ é ele também é ou seja DEUS !JESUS disse:EU eo PAI somos um. e em outra parte : o PAI está em mim e EU nele. No principio era o VERBO, e o VERBO,estava com DEUS ..., ELE estava no principio com DEUS , Todas as coisas form feitas por ele,e sem ele nada do que foi feito se fez . Estava no mundo e o mundo foi feito por ele...,E o VERBO se fez carne e habitou entre nós... bom agora vamos para o evangelho de MATEUS : Eis que uma virgem conceberá e dará a luz um filho, e chama-lo ão pelo nome de EMANUEL , que quer dizer DEUS CONOSCO. Resumindo o FILHO está no PAI ,eo PAI está no FILHO , E assim como JEOVÁ esta acentado em um trono ,JESUS tb está . E mais Jesus disse :Eu glorifiquei te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer. E agora glorifica me tú , o PAI, junto de ti mesmo ,com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse. Irmão eu não sou teologo e nem pastor , sou apenas um jovem com muita vontade de aprender e vou ser sincero não ligo nem um pouco se alguém me corrige , pode ser da forma que for que eu vou aceitar pq se verdadeiramente eu ser corrigido eu vou estar é lucrando . Paz de Cristo , abraços

    ResponderExcluir
  145. Este tópico já deu!

    Se alguem se desejar informações sobre outros assuntos,

    luidwig_marcelo@hotmail.com

    Abraços a todos.

    Fui!

    ResponderExcluir
  146. Tessari, como você falou muito bem, o pré-humano Jesus já existia glorificado no céu, "no princípio", isto é, antes de todas as coisas serem feitas por meio dele (Jo 1:1-3).

    A Bíblia diz que o Filho unigênito (único gerado por Deus)
    "nasceu" e foi "criado", mas não revela quando isto ocorreu (Pr 8:22-25; Mq 5:2; Cl 1:15; Ap 3:14). De modo que não sabemos por quanto tempo o Pai conviveu com o Filho, desde sua geração até a fase em que ele começou a ser usado como "mestre de obras" na criação de todas as coisas. Mas, foi por tempo suficiente para ele, como "aluno" do Pai (Pr 8:30), assimilar Sua personalidade e aprender muitas coisas, a ponto de se tornar a personificação d"A Sabedoria de Deus"(Pr 8:22-25, 30), "a imagem de Deus" e "a expressão exata do Seu próprio Ser". Quem o visse, via o Pai.

    Seu Filho unigênito foi a única coisa que Deus deu existência sem usar alguém como intermediário. Depois de gerá-lo e criá-lo, todas as coisas que Jeová fez foram feitas por intermédio dele e para ele. Por que? Uma das razões envolve seu imensurável amor pelo Filho. Você acha amoroso, Danilo, um pai fazer todas as coisas pensando em si mesmo, sem compartilhar com seu filho prazer e o privilégio de suas realizações? Visto que "Deus é Amor", e como "há mais felicidade em dar do que em receber", Jeová não apenas deu vida a seu Filho, mas também objetivo e significado extraordinariamente grandiosos.

    Tessari, gostaria de te mandar uma matéria interessante sobre o tema e esclarecer suas dúvidas. Acho bonito seu desejo de aprender, e me lembro daquela frase do Apóstolo Paulo: "Certificai-vos de todas as coisas e apegai-vos ao que é excelente". Se você me permitir, posso te enviar para seu e-mail particular, o que você acha?

    ResponderExcluir
  147. danilo tessari alves22 de outubro de 2009 20:13

    Lucio , blz, pode enviar .

    ResponderExcluir
  148. Danilo, peço então que me informe seu e-mail particular, pois não tenho ainda.

    ResponderExcluir
  149. Não tenho todo conhecimento teológico dos que estão debatendo aqui, mas quero aproveitar a oprotunidade para compartilhar um versículo em que o proprio Senhor Jesus Cristo declara:

    Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou (Jo 8.58)

    Podem até querer argumentar dizendo que é isso, aquilo, porém se Jesus não estivesse querendo mostrar-lhes que era Deus não teriam agido como o dito no versículo seguinte:

    Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou.(Jo 8.59)

    Desde os tempos de Jesus haviam os quais não podiam creer em Jesus Cristo sendo Deus como o Pai, como ainda hoje ocorre e tanto é verdade que em várias passagens como a citada abaixo os Judeus queriam apedreja-lo:

    Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.(Jo 10.33)

    Se continuarmos lendo a passagem Jesus não diz nada parecido com: Olha realmente não sou Deus, vocês estão me compreendendo mal...

    JESUS CRISTO NOSSSO SENHOR E SALVADOR

    ResponderExcluir
  150. danilo tessari alves23 de outubro de 2009 10:09

    rsrsrsrsrsr ! é assim num tem jeito né? então anota ae : danilotessari@gmail.com

    ResponderExcluir
  151. Márcio

    Quando Jesus disse: "Antes que Abraão existisse, eu sou", ele afirmou simplesmente já existir antes de Abrahão. Jesus não disse que ele era "Eu Sou", mas "antes de Abraão existir, eu sou [existente]", ou "eu existo" (Interlinear de Waldyr Carvalho Luz). A rigor, a tradução "eu sou" desconsidera o fato de que, no contexto, a ação verbal começa "antes de Abraão existir" e ainda está em progresso. "Eu sou" dá uma idéia apenas de presente. Exemplos da mesma sintaxe são encontrados em Lc 2:48. 13:7; 15:29; Jo 5:6; 14:9 15:27; 1 Jo 3:8). Segundo os gramáticos, a tradução mais precisa é flexionar o verbo no indicativo perfeito, que reúne a idéia de Jesus ser [existente] antes de Abrahão existir, e continuar sendo [existente] no tempo presente. A TNM verte "...eu tenho sido", [no indicativo perfeito, em que "tendo" é indicativo presente, e "sido" é particípio passado], indicando que a ação verbal abrange o passado desde Abraão existir até o presente, e continua em progresso (argumentos extraídos do Apêndice 6F da TNM com referências).

    ENTÃO, POR QUE OS JUDEUS QUISERAM APEDREJAR JESUS?
    Porque, após chamá-los de mentirosos, assassinos e filhos do diabo, Jesus disse que aquele que observasse suas palavras não morreria. insinuou ser "maior do que Abraão, que morreu, e que os demais profetas, que morreram" (Jo 8:52, 53). Quando os judeus alegaram que Jesus "não tinha nem cinquenta anos" e não poderia ter visto Abraão, Jesus confirmou abertamente que já existia antes que Abraão. Na mente deles, só um Deus poderia ser maior que Abraão. Além disso, Jesus prometeu vida a quem observasse suas palavras e afirmou ter pré-existência, que são prerrogativas divinas, e os fariseus não acreditavam que Jesus tivesse recebido tais prerrogativas do Pai, como ele alegava. Por isso, quiseram apedrejá-lo.

    Em João 10:33, explicaram que QUERIAM APEDREJÁ-LO "POR BLASFÊMIA, PORQUE SENDO HOMEM, SE FAZIA DEUS".

    No grego, antes da palavra "DEUS" não há o artigo definido. Portanto, não acusavam a Jesus de se fazer "o Pai", mas se fazer poderoso como um deus, ou investido de autoridade concedida por Deus. O próprio Jesus quando traduziu o pensamento dos fariseus, disse que eles consideravam blasfêmia o fato de Jesus ter afirmado ser "o Filho de Deus", não ser o Pai (vers. 36).

    Porque você disse que, "se continuarmos lendo a passagem, Jesus não diz nada parecido com: OLHA, REALMENTE NÃO SOU DEUS, VOCÊS ESTÃO ME COMPREENDENDO MAL...".

    Continue então lendo a passagem, e verá que Jesus disse precisamente "algo parecido". Nos vers 34 a 36, Jesus diz não ser incorreto ser ele chamado de DEUS, porque as escrituras que não mentem aplicam a expressão "SOIS DEUSES" inclusive a homens que usaram mau o cargo de Juízes que Deus lhes dera na nação de Israel. Para corroborar seu argumento, Jesus citou o Sl 82:1, 6, e afirmou que mais razão de ser chamado de DEUS tinha ele, que também recebeu a comissão divina de ser "juiz" da humanidade, depois de ser enviado para falar aos homens o que Deus lhe mandara, para que tivessem vida. Jesus disse claramente, no verso 6, que a blasfêmia de que o acusavam era de alegar ser "o Filho de Deus", ou seja, enviado ao mundo com maior autoridade que a de Abraão, o que desestabilizava os religiosos de seu tempo.

    Márcio, sei que é difícil para alguém que foi educado a pensar que Jesus é a encarnação do Pai, se conformar com a idéia de que Jesus é imensamente grande, sendo um com o Pai, mas é menor do que o Pai. Assim como cristãos serão "um com o Filho" (Jo 17:21-23), mas são menores que o Filho. Mas, o estudo diligente, como os bereanos, poderá nos conduzir conhecimento exato da verdade sobre "o único Deus verdadeiro, o Pai" e sobre Jesus Cristo, a quem Ele enviou.

    ResponderExcluir
  152. E por que Isaías diz que Jesus seria chamado Emanuel, que quer dizer Deus Conosco?

    ResponderExcluir
  153. O pai chamou Jesus de Deus. Hb 1:8

    ResponderExcluir
  154. João 1.1 na TMN é uma prova de como suas doutrinas foram contrabandeadas para dentro da (per)versão do Novo Mundo. Existe outros casos de predicativos anartors que eles não colocaram o artigo indefinido.

    ResponderExcluir
  155. VC SABIA QUE NA BIBLIA TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO JESUS MORREU DUAS VESES, VOU CITAR MATEUS 27:49 MORTO POR UMA LANÇA
    JOÃO 19:33,34,35 ELE JÁ ESTAVA MORTO! GOSTARIA QUE O AMIGO VERIFICASE ESTES FATOS.
    e por que 2° corintios 13: vai até versiclo 14--------
    estes por que estão faltando MATEUS 17:21 MARCOS 9:44-46 7:16
    11:26 15:28 LUCAS 23:17 JOÃO 5:4 ATOS 8:37 15:34 24:7 28:29

    me ajundem por favor, será que fiz mal interpretação da biblia?

    ResponderExcluir
  156. AC esses trechos aí na PERversão do Novo Mundo, não consta no texto critico.

    ResponderExcluir
  157. Nessa luta sem saída, não vou nem entrar.

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.