Bíblia Versus Divindade de Jesus (Parte I)

Bíblia Versus Divindade de Jesus


Parte I

Marcelo Lemos

deus_2 Jesus perguntou aos apóstolos: “Quem dizeis que eu sou?” – Marcos 4.41;   Mateus 16.15.

Se lhe fizessem esta pergunta, como responderia? Era Jesus Deus, de    fato? Muitos hoje dizem que sim. Todavia, seus associados nunca creram  que ele fosse Deus. A resposta do apóstolo Pedro à pergunta de Jesus foi:  “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente” – Mateus 16.16.

Jesus nunca alegou ser Deus, mas admitiu que era o prometido Messias, ou Cristo. Ele também disse que era “Filho de Deus”, não Deus (João 4.25, 26; 10.36).

***************

Não se assustem, queridos leitores reformados – a afirmação acima não é minha, e sim do livro “O Maior Homem que Já Viveu”, publicado pelas Testemunhas de Jeová; organização religiosa que nega a divindade de Jesus, conferindo-lhe apenas um grau inferior de “divindade”. Segundo afirmam, Jesus é deus, mas não é o Deus Todo-Poderoso.

O mais interessante é que os que negam a divindade de Cristo tentam utilizarem as Escrituras contra doutrina tão bem estabelecida na fé cristã ao longo dos séculos. No artigo de hoje gostaria de convidar você, amigo leitor, a conhecer alguns dos argumentos “bíblicos” contra a divindade de Jesus, mas populares.
I

“Meu Pai é maior do que eu” (João 14.28). Tendo Jesus declarado que o Pai é maior que ele, não pode ser verdade que ele seja igual ao Pai, como se estabelece na doutrina da Trindade.

Esta objeção simplesmente ignora que quando Cristo as proferiu, o fez em sua encarnação, e kenosis; segundo ensino das próprias Escrituras;
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz” – Filip. 2.5-8.

“Sendo em forma de Deus,... mas esvaziou-se a si mesmo, tomando forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens,... humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte”. Estas afirmações são o suficiente para anularem completamente a objeção acima, que inadivertidademente tenta utilizar a própria Escritura para negar a Divindade de Cristo.

Portanto, “maior” tem o sentido de Oficio, e não de qualidade ou natureza do ser. Quando, por exemplo, Faraó disse a José que em toda a terra do Egito, apenas ele seria MAIOR que José, não significa que ele era maior que o servo de Deus em sua natureza, mas apenas em sua posição. Faraó era mero homem, igual a José.


II

“Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo” (I Cor. 11.3). Como pode Cristo, tendo alguém como sua “cabeça”, poderia ser Deus? Se o Pai é a “cabeça” de Cristo, então, Cristo não pode ser Deus. Certamente ele é inferior ao Pai, não é, portanto, Deus Todo-Poderoso.

A objeção mutila completamente o versículo. O apostolo faz um paralelo entre o Oficio do marido e o Oficio da mulher, com os Ofícios do Pai e do Filho. Se é verdade que sendo o Pai “cabeça” do Filho, torna o Filho inferior ao Pai; então, por conseguinte, e necessidade lógica inevitável, a mulher é inferior ao homem, um ser de segunda categoria. Tal posição é biblicamente insustentável, pois apensar da mulher ser o “vaso mais fraco”; ele é tão humana quanto o homem – em nada lhe sendo inferior, apenas desempenhando oficio distinto do dele.
III

“E. quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos” (I Cor. 15.28). Se é verdade que Jesus está “sujeito” ao Pai, não pode ser Deus Todo-Poderoso.

Assim como nos dois argumentos anteriores, esta objeção também se recusa a admitir a kenosis de Cristo, e seu Oficio distinto do Pai. Quanto atentamos para estes fatos, ela simplesmente deixa de fazer qualquer sentido. Além disso, o mesmo termo grego, “sujeitar-se”, é utilizado em Lucas 2.51, onde lemos que Cristo estava sujeito a Maria e a José. Ora, será que Jesus era inferior a eles? Ou o termo simplesmente indica que seu Oficio, em tal momento, era diferente do deles? Pensem nisso, aqueles que negam a divindade do nosso Salvador!
IV

“Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus” (Lucas 18.19). Jesus diz que não é “bom”, logo, não pode ser Deus, pois só Deus é bom.

Jesus diz que não é bom? Ou ele simplesmente questiona o tal sobre os motivos para lhe chamar de bom, sendo que apenas Deus era bom? Pensando por este lado, a repreensão de Cristo torna-se, na verdade, uma grande afirmação de sua divindade! Até porque, reparem, dizer que Jesus não é “bom”, significa que Ele não é o “Bom Mestre” (versículo 18)!

No mais, Cristo testifica de si mesmo que é o “Bom Pastor” (João 10.11); descrição que o Antigo Testamento faz da bondade de Jeová;
O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.  Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.  Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.  Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias – Salmos 23.

Todas as ocorrências do termo “Senhor” em maiúsculas (SENHOR), indica onde o texto grego utiliza o Tetragrama, ou seja, o nome/título “Jeová”; o Deus de Israel.

Amanhã estaremos publicando mais uma seleção de objeções contra a Divindade do Senhor Jesus Cristo. Aguardem, e comentem deixando sugestões, correções ou subsídios doutrinários e teológicos.

Paz e bem.

8 comentários :

  1. Excelente texto, muito bom mesmo. Aguardo mais!

    ResponderExcluir
  2. [...] http://olharreformado.wordpress.com/2009/09/26/biblia-versus-  divindade-de-jesus-parte-i/ [...]

    ResponderExcluir
  3. Deus seja louvado !

    Ótimo texto marcelo lemos, que Deus possa te iluminar ainda mais irmão. paz...

    ResponderExcluir
  4. Valeu. Cleiton!

    Paz

    ResponderExcluir
  5. [...] Se lhe fizessem esta pergunta, como responderia? Era Jesus Deus, de fato? … fique por dentro clique aqui. Fonte: [...]

    ResponderExcluir
  6. Ótimo questionamento sobre a divindadede Jesus,apesr de tudo eu creio num único deus.Jesus O Cristo.

    ResponderExcluir
  7. josué Isaac da Silva12 de março de 2010 11:33

    sou com vc amigo unicista

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.