Os Arminianos Podem Ser Salvos?

Os Arminianos podem ser salvos?

Rev. Ronald Hanko

arminianos-salvos

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto / felipe@monergismo.com


Nota do Editor: tenho presenciado muitas opiniões radicais sobre o assunto abordado neste artigo. Não é difícil encontrarmos arminianos que julgam os calvinistas como ‘hereges’, quiçá, como ‘hereges perigosos’ e ‘excomungáveis’. Vivendo em meio ao pentecostalismo, tenho presenciado tal preconceito em alguns momentos durante os últimos anos. De igual modo, também tenho visto, e recebo notícias, de calvinistas que são absolutamente incapazes de conceberem a idéia de que cristãos que professam o arminianismo possa ser verdadeiros salvos.

Tomei a liberdade de publicar este valioso artigo, e de convidar a todos os leitores e visitantes do ‘Olhar Reformado’ a responderem a seguinte questão: ser arminiano, ou ser calvinista, é o que decide o destino eterno das pessoas? Deixe a sua opinião.

-------------------------


Nossa pergunta para essa edição da revista é: "Alguém que seja teologicamente Arminiano pode ser verdadeiramente salvo?" Essa não é uma questão fácil.

Queremos enfatizar desde o princípio que o Arminianismo é outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho (Gl. 1:6-7). Seu ensino nega a soberania de Deus na salvação e o poder e eficácia da morte de Cristo sobre a cruz (ao ensinar que Cristo morreu por todos, ele ensina que sua morte na verdade não salva ninguém). Ele também nega que a salvação seja pela graça somente com seu ensino com respeito à soberania da vontade humana. Contudo, essas são doutrinas fundamentais da fé cristã.

Não somente isso, mas cremos que o Arminianismo tem se infiltrado em muitas igrejas Reformadas sob o pretexto de um amor de Deus por todos os homens, um desejo da parte de Deus que todos os homens sem exceção sejam salvos, e o ensino de que há dons da graça e benefícios da cruz para todos. Isso apresenta um perigo mortal para as igrejas Reformadas.

Portanto, concordamos com a seguinte citação: "A falsa doutrina é pior quando aparece sob o envólucro da verdade, quando cita a Escritura, e canta Amazing Grace [Graça Maravilhosa]. Satanás sempre é mais eficaz ao se opor à verdade quando o faz em nome de Cristo. Nunca houve uma manifestação mais sutil da falsa doutrina do que aquela que afirma todas as ‘verdades’ da fé cristã sobre a base do esforço humano, do mérito das obras, da fé prevista ou do ‘livre-arbítrio’. Afirmar a graça sobre a condição das obras é a perversão extrema. É A Mentira" (John K. Pederson, Sincerity Meets the Truth, pp. v, vi).

Mas isso significa que aqueles que defendem o livre-arbítrio e outros ensinos do Arminianismo não podem e não são salvos? Não cremos nisso. Mesmo aqui, contudo, desejamos ser muito cuidadosos em nossa resposta. Insistiríamos que uma pessoa que verdadeira e consistentemente crê que ela é salva por sua própria boa vontade e esforço, contrariamente a Romanos 9:16, não pode ser salva; ela negou o próprio cerne do evangelho.

O ensino que o homem é salvo por seu próprio esforço é de Roma; o ensino de que ele é salvo por sua boa vontade e disposição é do Protestantismo apóstata; porém, na verdade eles não são diferentes. Esse ensino, de acordo com Romanos 10:1-4, é uma ignorância e recusa em se submeter à justiça de Deus, deixando a pessoa em necessidade de salvação. Através de sua ênfase sobre a vontade e as obras, um Arminiano consistente se separa de Cristo (Gl. 5:4).

Todavia, muitas pessoas confessam inconsistentemente tanto a graça como as obras. Elas atribuem sua salvação totalmente à graça de Deus, e ainda falam de ter escolhido a Cristo, de ter livre-arbítrio, e de Deus ser dependente na salvação da escolha feita por eles, mediante o livre-arbítrio. Eles agradecem a DEUS pela sua salvação e ainda falam como se fossem aqueles que fizeram as escolhas decisivas.

Frequentemente isso é culpa do ensino que receberam – ensino que fala de duas formas. Ele é um ensino que afirma a graça sobre a base das obras e do livre-arbítrio. Aqueles que ensinam tais coisas têm uma culpa maior. Todavia, aqueles que pensam dessa forma, embora possam ser salvos, também precisam perceber que eles não crêem na verdade, e precisam se arrepender disso.

Assim também, como o autor citado acima diz: "Precisamos ficar grandemente envergonhados de nós mesmos por nossa amizade tolerante com a doutrina da soberania humana que reside no âmago podre do evangelicalismo, e, por causa disso, da nossa indiferença sossegada, que é um testemunho da nossa covardia." A graça salva, não o livre-arbítrio e as obras.
Fonte (original): Covenant Reformed News, Vol. 6, nº. 2.

25 comentários :

  1. Esse texto vai dar raiva em muitos arminianos...

    Mas não me admiro. Fale mal de Maria e muitos aparecerão. Fale mal de artistas gospel e muitos aparecerão. Fale mal de Falsos profetas da moda e muitos surgirão.
    Sempre que se pega a Bíblia e se ataca os erros, os cegos aparecerão para tentar jogar pedra em coisas que nem eles mesmos enxergam.

    Mas por serem cegos não acertam nenhuma...

    ResponderExcluir
  2. Desculpa pelo sengundo post em forma de comentário.

    :D

    ResponderExcluir
  3. Paz Marcelo,

    Concordo com o Hanko, esse é um terreno movediço, é uma questão difícil pois leva em consideração a salvação ou não de uma pessoa.

    Creio que um arminiano CONSCIENTE, dificilmente será salvo, pois nega o sacrificio de Cristo, e toma para si a própria salvação. Veja que eu disse dificilmente, mas não é impossível haja vista ser possível haver arrependimento em algum momento, mas nesse caso deixaria de ser arminiano.

    Congregamos em uma igreja arminiana, também congrego na Bléia, que não é dada a muito estudo da Palavra, com algumas exceções é claro, antes se rende muito facilmente a "enlatados", tomando algo como verdade simplesmente porque FULANO falou. É o que vemos por exemplo em um dos ultimos posts do nosso irmão Clóvis, do Cinco Solas, onde trata acerca de uma distorção, feita por outro blogueiro, das doutrinas da Graça.

    Já um arminiano inconciente, ou seja, aqueles que nunca param para pensar muito nessas coisas, acho que é possível sim, serem salvos devido a sua inconsistencia, pois o problema reside em terem sido ensinados de forma errada.

    Acho interessante quando eles ao estudarem mais profundamente o calvinismo, nos chamam de inconsistentes por apelarmos para a responsabilidade humana, pois sendo bem sinceros, parecemos arminianos nessas horas, minha esposa mesmo me chamava de incoerente quando pregava na nossa antiga igreja apelando para responsabilidade. Mas existem grandes diferenças entre o apelo a responsabilidade bíblica de cada um e a responsabilidade baseada no suposto livre-arbítrio. Pois a responsabilidade bíblica leva os eleitos a buscarem em Deus o seu refugio, e a confiarem somente nEle. Já a responsabilidade baseada no livre-arbítrio, leva o homem a buscar nele mesmo a força necessária a sua salvação.

    Concluindo, creio que um arminiano INCONSCIENTE possa ser salvo, mas um arminiano CONSCIENTE dificilmente.

    NAquele que nos une,


    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  4. Suas observações são simplesmente fantásticas, irmão Ednaldo!

    Minha opinião sobre o assunto é basicamente a mesma: toda pessoa que confia em suas obras pessoais para ser salvo, está condenada, pois nega a Cristo. Mas, é perfeitamente possível que alguém adote um dogma erroneo, mas sua fé pessoal em Cristo seja 'dom de Deus'.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Cambada de bestas;

    Voces não tem nada o que fazer, não? A salvação pertence só a Deus e não cabe especulações de quem vai ou não ser salvo. Com certeza Deus vai fazer justiça nessa hora. Calvinistas, arminianos, doutrinas humanas. Haja paciência!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Tá nervoso? Vai pescar! - Li, num para-brisa recentemente...

    Na paz; he, he, he...

    ResponderExcluir
  7. É incrível como alguns ainda sustentam que um arminiano consciente irá para o inferno.

    Penso que nem Paul Washer defenderia uma posição destas.

    Acabaram de mandar Wesley, Finney, A. W. Tozer e o próprio armínio para o inferno.

    Os fiéis são salvos por confiarem suas vidas à obra salvífica de Cristo; não em uma doutrina defendida de forma mais explícita em Agostinho, e depois dogmatizada pelos reformadores.

    ResponderExcluir
  8. Mas, é perfeitamente possível que alguém adote um dogma erroneo, mas sua fé pessoal em Cristo seja ‘dom de Deus’

    Marcelo graça e paz , nesta sua argumentação pode haver possibilidade de salvação para um catolico carismatico ?

    Poderia alguem abraçar um dogma erroneo e ser salva ?

    ResponderExcluir
  9. Mente Santa

    Vou tentar ilustrar isso: tenho boa parte da minha família católica romana e carismática. Sempre que os evangelizo, aponto o pecado da idolatria, por exemplo; além de lhes falar da suficiencia da Graça, em detrimento do pelagianismo papista.

    Bem, muitos deles são bem preparados teologicamente, na dogmática católica, de modo que defendem com muita propriedade uma certa teoria de que não adoram imagens, e nem confiam em si mesmos para a salvação. Claro que tal argumentação é contraditória, erronea, pois sabemos exatamente qual é a conseqüência do credo católico romano. Todavia, seria possível que ele, de fato, não fosse um idolatra, e realmente adorasse apenas a Cristo? Minha opinião é que tal coisa é extremamente DIFICIL, e que eu DUVIDO muito que possa acontecer - porém, e se acontecer? Neste caso, poderia haver salvação. Mas, a possibilidade seria de 0,00000000000000001%!!

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  10. A questão do católico romano é:

    Na hora do aperto por quem ele clama, Cristo ou "nossa senhora"?

    Eu creio que embora EXTREMAMENTE dificil, seja possível para um católico romano ser SALVO.

    Mas então surge outra pergunta, pode um católico romano vir ao conhecimento da verdade e ainda assim permanecer dentro do catolicismo?

    São questões difíceis. Ainda bem que "Ao Senhor pertence a salvação" (Jn 2:9) Fui!!!

    ResponderExcluir
  11. dione cesar de pinho26 de setembro de 2009 11:46

    -A livre escolha é inconcebivel ou impossivel sem o determinismo;
    uma livre escolha é aquela que deve ser determinada.
    -Porque as úmicas escolhas livres são aquelas motivadas pelo caráter , crenças e desejos do individuo.
    -Se uma secolha ,digamos,alquém erquendo a mão para votar,não for motivado por um evento anterior ,então é complétamente desmotivada e totalmente aleatório ou fortuito.
    -Como pode um evento complétamente aleatório ( alquém erquendo a mão), sobre o qual não se tem nenhum controle ser uma livre escolha?
    sera que chegei perto. -portanto DEUS é soberano e DEUS nos separou p crer assim ,na sua soberania e os outros diferente.

    ResponderExcluir
  12. Realmente é um assunto muito intrigante, é por isso que está escrito que ao Senhor pertence a salvação. O homem é falho e as vezes temos dificuldade de vislumbrar o obvio: Jesus Cristo é suiciente ! Porém não é a crença de se somos eleitos ou não que nos salva, e sim a crença em Cristo, " esta palavra é feil e digna de toda aceitação, que Jesus Cristo veio ao mundo para salvar pecadores dos quais sou o principal"

    ResponderExcluir
  13. Regeneração é a questão!
    paul washer

    ResponderExcluir
  14. Boa colocação, realmente essa é a questão.

    ResponderExcluir
  15. A paz,

    Queridos sera que nos não estamos iguais aqueles que Paulo relatou em Romanos 12 - Uns estão dizendo: "Eu sou seguidor de Paulo". Outros dizem que estão do lado de Apolo
    ou de Pedro; e outros ainda que só eles são os verdadeiros seguidores de Cristo.

    Nos cremos em DEUS soberando, uniciente e presente deixa isso para ele Julgar. podemos esta caido em um erro ou até desviar um dos pequeninos de CRISTO

    ResponderExcluir
  16. meu nome é Miguel junior e não Miuel

    ResponderExcluir
  17. Um artigo sem base teologica, histórica e bíblica!
    Os calvinistas criticam os arminianos, mas cuidado voces calvinistas talvez Deus não os tem "predestinado".
    A maioria dos artigos sobre o arminianismo vem de calvinistas, por isso a maioria é calvinista, pois os calvinistas não pensam!

    ResponderExcluir
  18. Não acredito que a soberba de vcs chegou ao ponto de discutir quem vai ser salvo e quem não vai.Deviam estar se preparando para a vinda de Cristo para serem salvos isso sim.Outra coisa o artigo sobre arminianismo é meramente ridículo

    "Seu ensino nega a soberania de Deus na salvação e o poder e eficácia da morte de Cristo sobre a cruz (ao ensinar que Cristo morreu por todos, ele ensina que sua morte na verdade não salva ninguém). Ele também nega que a salvação seja pela graça somente com seu ensino com respeito à soberania da vontade humana. Contudo, essas são doutrinas fundamentais da fé cristã."

    Onde vc leu isso em uma embalagem de ceral ?Você confunde Arminianismo com Pelagianismo Wesley ensinou todas tais verdades e doutrinas do evangelho idem A.W Tozer e Finney pelo amor de Deus antes do próximo artigo estude um pouco mais é uma vergonha e motivo de piada alguém postar um artigo falando sobre algo que não conhece.
    E pare de tentar adivinhar quem vai ser salvo ou não soberba extrema tal ato.

    ResponderExcluir
  19. Errado, irmão Ferreira. O Arminianismo, ainda que não perceba, nega todas as verdades que o artigo diz que nega. E, por falar em artigo, note que o mesmo está publicado aqui, mas não é de nossa autoria. Caso deseje se aprofundar no assunto acompanhe a nova série de artigos que estamos publicando aqui no blog: Antidoto Anti-Arminianismo.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  20. “’Homens podem ser realmente salvos pela graça que doutrinariamente eles negam; e eles podem ser justificados pela imputação desta justiça que em sua opinião eles negam ser imputada’ (John Owen)

    "As palavras de Owen não significam que devemos ser descuidados com o conteúdo do Evangelho, mas que guardemos a esperança de que os corações dos homens frequentemente são melhores que suas cabeças”." (John Piper)

    http://iprodigo.com/textos/catolicos-sao-irmaos-e-irmas-em-cristo.html

    ResponderExcluir
  21. Irmão Ferreira, é justamente por vocês pensarem assim que eu os considere meus irmãos em Cristo: vocês crêem na Soberania de Deus, e via de regra, aceitam a Salvação pela Graça. Porém, sua Teologia o nega. É, como já escrevi várias vezes neste blog, uma inconsistência, uma auto-contradição do seu sistema. Aliás, afirmo isso na nova série de artigos que estamos publicando, como o irmão pode conferir.

    Com mais tempo, irei analisar melhor os pontos que o irmão acaba de apresentar, e responderei. Querendo Deus, ainda amanhã.

    Paz e bem, e mais uma vez, obrigado por sua opinião e participação.

    ResponderExcluir
  22. [...] 1) Em comentário no artigo Os Arminianos podem ser salvos? [...]

    ResponderExcluir
  23. Denilson Guimarães Meira26 de setembro de 2010 09:42

    Confissões de doutrina não salvam. Só a fé no nome de Jesus salva. Infelizmente, muitas pessoas não têm oportunidade ou inteligência suficiente para entender os confessar qualquer sistema de doutrina. E essas pessoas estão em igrejas católica romana, arminianas, calvinistas, adventistas, e muitas outras. Mesmo confessando doutrinas erradas, serão salvas ao confiar na pessoa de Jesus Cristo. A verdade não é uma determinada doutrina. A verdade é uma pessoa: Jesus. A discussão teológica é válida e necessária. Mas não faz qualquer diferença para a vida eterna.

    ResponderExcluir
  24. renato b.da silveira26 de setembro de 2010 13:11

    caro irmão marcelo,a resposta é clara:quem morreu por nó?,quem foi crucificado?,quem resucitou?ou que intercede por nós?arminio, calvino foram homens:falhos,imperfeitos e contraditorios,pior que eles são aqueles que defendem suas visões distorcidas denotando serem faltos de:amadurecimento,disernimento,amor proprios e faltos de convicção salvadora ou seja só falam aquilo que fulano pensou ou ensinaram,nunca falam por si e se esquecem que quem testifica de jesus cristo é a palavra de Deus e não homens corrupitiveis;pregar é facil dificil é ser contextados,lembrem-se o inferno tá lotado destes teologistas!.

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.