Death Note E O Livro da Vida


Por Marcelo Lemos

Tem muita gente que não gosta de animês, aqueles desenhos japonêses repletos de personagens de olhos grandes. Gosto é gosto, e não estou escrevendo estas linhas para questionar o mau gosto de quem não gosta de animês (brincadeirinha, hein?). O fato é que eu gosto, e coleciono muitos deles - desde quando esta mania dominou o Brasil, por meio dos famosos Cavaleiros dos Zodiácos. Gosto e não nego.

Entre alguns evangélicos há uma suspeita de que os animes sejam uma arma maligna para introduzir religiões falsas em nossas casas. Eu discordo, pois toda pessoa de mentalidade normal saberá distinguir entre realidade e fantasia - quanto aos loucos, bem, estes usam até a Bíblia Sagrada para se matarem por aí... 

Além disso, mais importânte é prestar atenção aos valores que aparecem nas entrelinhas das obras, quer estejamos assistindo a um anime, quer estejamos vendo uma palestra religiosa.


Evidentemente, caso os valores defendidos sejam anti-cristãos, devemos rejeitar o pacote.


Aliás, é sendo fiel a este princípio que já não perco tempo assistindo a maioria dos tele-pregadores de nossa era...

Mas, que tem haver o Death Note


Vamos lá: trata-se de uma série de desenhos japoneses em que um adolescente, num momento muito tedioso de sua existência, encontra um misterioso livrinho no pátio da escola. Este livro é um ‘death note’, um ‘caderno da morte’, que tem o poder de causar a morte de qualquer pessoa que tenha seu nome escrito nele, desde que o escritor tenha o rosto da vítima em sua mente.

A história é bem empolgande, dramática, reflexiva (nossa!), e cheia de reviravoltas. É um show. Para usar o caderno, Raito, o japones que o encontrou, precisa seguir diversas regras, algumas são escritas na capa do próprio caderno, outras ele vai descobrindo no desenrrolar da trama. São mais de quarenta regras, dentre elas.





  1. O humano que tiver seu nome escrito no Death Note morrerá;





  2. A escrita do nome não terá efeito se o escritor não tiver em mente o rosto da vítima. Assim, pessoas que compartilham o mesmo nome não serão afetadas;





  3. Se a causa da morte for escrita dentro dos próximos 40 segundos após o nome ser escrito, assim acontecerá, desde que a causa não seja impossível;





  4. Se a causa da morte não for especificada, a vítima morrerá de ataque cardíaco;





  5. Após especificar a causa da morte, detalhes dessa podem ser escritos nos 6 minutos e 40 segundos seguintes;





  6. Após este caderno tocar no solo, ele passa a ser de propriedade do mundo humano;





  7. O humano que tocar no Death Note logo após esse chegar ao mundo humano, será seu novo proprietário;
Dentre as dezenas de regras, uma em especial chamou minha atenção, ao dizer: “o humano que utilizar o Death Note não poderá ir para o Céu nem para o Inferno”. Interessante, não? Não poder ir para o céu, e também estar impedido de ir para o inferno? Mas, para onde se poderá ir, então? Bem, assistam a série e descubram.

O que me interessa nesta regra é ela me ter feito meditar sobre a mensagem do Evangelho. Pois na Bíblia Sagrada também encontramos um famoso livro no qual Deus escreve nomes de pessoas. Trata-se do Livro da Vida. De acordo com a promessa de Jesus, na Eternidade apenas habitarão aqueles que tiverem seus nomes escritos neste Livro:

“E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” - Apocalipse 21.27.

De certa forma, este Livro da Vida é também um ‘livro de morte’, uma vez que o nome de alguém não sendo encontrado nele, o único destino é a condenação eterna:

“E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo” - Apocalipse 20.15.

Porém, ao contrario do que acontece em Death Note, onde os pecados do usuário do negro caderninho o impedem de entrar na Salvação, o Livro da Vida pode estar disponível ao pecador mais infame; pois como testemunha S. Paulo - que fora perseguidor dos Cristãos antes de se converter: “Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação; que Jesus Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal” (I Carta a Timóteo 1.15; Bíblia Sagrada).


Aos jovens que, como eu, gostam de acompanhar as aventuras de Raito, sempre que posso compartilho uma singela mensagem: Death Note é real, mas é possível encontrar a Vida em Jesus Cristo, fonte de toda Esperança; Ele é nossa fonte de Salvação, e quem está disposto a salvar aqueles que, pela fé, se aproximam de seu Doce Coração.


E você? Já teve um encontro com o Doce Coração de Jesus?

“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” (Efésios 3:20)

“Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia”. (2 Timóteo 1:12)

“Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados” (Hebreus 2:18)

“Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:25)

“Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória” (Judas 1:24)

A todos, paz e bem!

2 comentários :

  1. É meu irmão, mais uma coisa em comum, TAMBÉM SOU aficcionado em animês...rsrsrsrs!!!!

    Gostei da sua "comparação", por assim dizer, desta reflexão que fez entre a ficção do animê, com a Bíblia, muito embora se sentarmos pararmos, este animê, pode nos levar a mais pontos para refletir...voc~e que conhece deve saber que o garoto quer ser Deus, e sente-se na obrigação de julgar os erros da humanidade...enfim, isso já dá um tremendo debate no campo da filosofia bíblica em relação a atuação divina!
    E lendo o seu artigo lembrei de outro texto bíblico, e gostaria que comenta-se:


    Êxodo 32:33 Então disse o SENHOR a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro.

    Pelo que vejo, o povo de DEUS já se encontra escrito no livro da vida, porém DEUS pode apagar, se assim for o Seu querer?

    Paz!

    ResponderExcluir
  2. João Carlos Ferreira Batista20 de junho de 2011 11:49

    muito bom o artigo, vou aguardar o vídeo!

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.