Aqui Calvinista não tem vez!


DOWNLOAD Este artigo também está disponível em PDF. Mais facilidade para quem deseja salvar ou imprimir nosso material! Baixar!



Marcelo Lemos

Há algum tempo atrás publicamos um artigo sobre o mesmo assunto de hoje, “Excluído da Igreja Por Se Calvinista”, baseado no depoimento de uma leitora do nosso blog, que nos contou sobre uma pessoa excluída de uma Igreja em Santa Catarina. Motivo? Por confessar a Fé Reformada. Aproveitamos aquela oportunidade para explicar as diferenças entre Arminianismo e Calvinismo.

Um caso único? Infelizmente não. Há outros casos acontecendo em vários lugares. Hoje quero comentar uma mensagem enviada pelo leitor Rafael.

“Bom dia.

Escrevo apenas para parabenizá-lo pelo excelente trabalho.

Conheço vários sites reformados (monergismo, bom caminho ), mas o que mais tem me edificado ultimamente é o Olhar Reformado. O principal motivo da minha admiração e a sobriedade com a qual você trata os temas, evitando sempre qualquer extremo, sem é claro negar a palavra de Deus.

Outro fator positivo foi o conhecimento que adquiri sobre o anglicanismo, que ate então era pra mim uma igreja católica apostolica romana com algumas poucas mudanças. Hoje vejo a ala anglicana reformada como uma igreja séria e que muito tem a contribuir para o resgate da fé reformada.

Congrego em uma igreja neo-pentecostal-arminiana, e depois que declarei crer na fé reformada fui impedido de ensinar na igreja e colocado de lado na ora das oportunidades. Diante da minha situação, sites e blogs reformados na internet tem sido minha principal fonte de edificação, além da palavra é claro.

Na minha região tem apenas uma igreja reformada, que é a presbiteriana. Ainda não tenho uma palavra de Deus para sair da minha igreja e ir pra outra. Outro problema que enfrento é que a ala reformada tem um influencia cessacionista muito forte, e eu estou longe do cessacionismo, embora também não concorde com os excessos do meio pentecostal.

Enfim, continue com seu excelente trabalho que sem duvidas tem edificado muitas vidas, assim como a minha.

Que a graça de Cristo esteja sobre você e sua família.

Atenciosamente,

Rafael Machado

Meu querido Rafael; acredito que todos nós que começamos, ou ainda caminhamos junto à via Pentecostal, e suas vertentes, num ou noutro momento acaba passando por situações assim – nem sempre na mesma proporção de hostilidade. Eu, por exemplo, nunca fui impedido de pregar ou ensinar, mas já sofri algumas acusações. Uma vez me acusaram de defender a salvação de “adúlteros”, já que a salvação não se perdia. Fui um “rebu” danado explicar a coisa, e tem gente que ainda não entendeu (risos).

Por outro lado eu não tive problemas apenas entre os pentecostais. Os reformados, certos grupos, sempre me criticaram por minha “covardia”. Como eu servia ao Senhor numa Igreja arminiana e pentecostal sempre evitei usar termos como “calvinismo” – me sentia satisfeito em ensinar a Verdade, sem assuntar as pessoas com termos que só gerariam discussão. E posso testemunhar que “fiz” muito mais calvinistas em minha caminhada do que alguns que me criticavam. 

Lembro, por exemplo, de quando numa aula de EBD fui surpreendido por um incrível diálogo. Meu interlocutor era um veterano presbítero vindo de uma cidade vizinha a Belo Horizonte. Um aluno havia questionado como Deus poderia ser justo e mandar milhões de pessoas para o Castigo Eterno, sendo que a maioria delas nem sabiam que Jesus existia. Eu expliquei os efeitos da Queda, a Total Soberania de Deus, demonstrando que a salvação não tem haver com Deus ser “justo com o homem”, mas com ele ser “gracioso” para conosco. Depois de citar textos bíblicos e explica-los em seu contexto, o presbítero que observa levantou o dedo pedindo a palavra:

- Meu jovem. Isso tudo me surpreende. Eu tenho quase quarenta anos de Igreja e nunca tinha ouvido alguém falar essas coisas! Eu sempre achei que era um problema sem resposta, hoje descobri que eu estava errado. Descobrir que Deus não deve nada ao homem, e que se temos alguma coisa, é por graça!

Assine nosso RSS/Feed e receba todas as nossas atualizações; é gratuito e você fica sempre por dentro das novidades do Olhar Reformado! Assinar Newsletter


Honestamente, na hora que ele pediu a palavra eu já preparei o espírito para receber uma repreensão publica, mas fui surpreendido pela ação do Espírito no coração daquele homem. Olha, não sei se ele hoje se denomina “calvinista” – e não me preocupo com isso. Seria bom se isso acontece, mas basta-me que ele tenha compreendido o Evangelho. Que mais eu desejaria?

Então costumo dizer que não me vejo com a missão de transformar as pessoas em calvinistas, se elas entendem a gratuidade do Evangelho está perfeito. Cristo salva, calvinismo não.

Mas é impossível evitar o confronto direto, especialmente quando precisamos marcar uma posição clara e definida – essa necessidade sempre se impõe. Infelizmente, assim como muitos calvinistas acham que “calvinismo” é o que salva, outros imaginam que calvinismo “é o que condena”. Lembro que uma vez, tendo postado um comentário no blog de um famoso pastor pentecostal, recebi um replica que dizia: “Olhar Reformado, antes de ser ‘reformado’, peça que Deus te faça ‘transformado’”. Puro preconceito, sem qualquer fundamento lógico. Infelizmente acontece às vezes.

Agora, caminhando pela via anglicana, já experimento algumas situações interessantes de preconceito, e infelizmente nem todos estão dispostos aprendem – nos chamam de “católicos romanos enrustidos” se seguem enfrente, sem ouvir a defesa (risos). Por falar nisso, estamos preparando um longo artigo para responder as questões que estão sendo enviadas a nós sobre a Igreja Anglicana. Espero poder publicar entre hoje e amanhã – traremos muito subsídio teológico sobre o assunto!

Falando em Anglicanismo somos uma Igreja Reformada, mas há arminianos entre nós, sem que isso nos impeça de servir juntos ao mesmo Reino, e, especialmente no meu caso, tem sido uma alegre descoberta encontrar irmãos reformados abertos ao orvalho do Espírito Santo. Mas, infelizmente, vários reformados além de cessacionistas são radicais: consideram hereges e não-reformados aqueles que pensam diferente.

Se em alguns lugares não há lugar para calvinistas, em outros não há lugar para aqueles que aceitam os carismas do Espírito Santo hoje. 


12 comentários :

  1. Cara, eu to na mesma situação do rafael e da sua...rs
    Congrego em uma igreja pentecostal e arminiana até os dentes ( é assim que dizem..rs). Já expressei uma vez minha posição e confessei a segurança da salvação, a eleição e a salvação como ato de graça e não de justiça. Fui duramente repreendido e impedido de ensinar "essas doutrinas que permitem o homem pecar sem preocupações".
    Ainda estou nessa igreja. As oportunidades diminuiram, consequentemente, mas sempre que posso explano sobre o assunto sem tocar nos "nomes". Mas prefiro, por equanto, continuar, porque sei que pessoas precisam aprender sobre o que a bíblia fala de salvação e do poder do sacrificio de Cristo.
    MAs essa do pastor pentecostal foi muito engraçada, hein. To rindo até agora...rs

    ResponderExcluir
  2. Tiago, muito legal sua postura. Eu saí não por querer me opor, mas por acreditar que Deus tinha novos caminhos a me mostrar. Considero muitos todos aqueles de onde saí, e creio que não poderia ser diferente - alguns saem com brigas, infelizmente.

    Que Deus te abençoe em sua caminhada.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  3. É. Tenho um amor e apego enorme a todos, embora alguns com menos afinidade até pelas diferenças. Essa é a primeira causa. A segunda, é que desejo e espero que o máximo de pessoas ali tenham seus olhos abertos para beleza do Amor e da Soberania de Deus evidenciados na Obra de Cristo, que fica embassada quando admite-se a capacidade do homem em responder espôntaneamente ao chamado de salvação. Marcelo, foi assim que me senti quando meus olhos foram abertos para isso.
    Valeu, mano.
    Deus te abençoe também e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  4. Eu como bispo da Igreja Anglicana Reformada sou até hoje discriminado pelos pentecostais da cidade onde moro, fui taxado de herege não sou convidado para encontro de pastoressó não me levam a fogueira porque hoje temos liberdade mas se fosse na idade média estaria na fogueira.
    Apesar de tudo isso continuo a pregar que creio na predestinação, na salvação pela graça, na salvação eterna...
    O Senhor tem me dado forças.
    Bispo Francisco Buzzo

    ResponderExcluir
  5. Eu discordo do elogio ao blog... kkkkk
    Na verdade é ótimo! o problema do Pr Marcelo é que é pentecostal!!! mas tudo bem, todo santo tem pé de barro...
    gosto demais do Olhar Reformado

    ResponderExcluir
  6. Bispo Francisco;

    Sua visita nos honra e alegra.

    Paz!

    ResponderExcluir
  7. Luciano;

    rsrsrs

    Isso é uma calúnia!

    Feliz por ter você aqui.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Pr. Carlos Alberto Ferreira19 de maio de 2011 13:37

    Boa tarde a todos e paz e bem em Cristo, nosso Mestre e Senhor!

    Descobri este blog hoje e confesso que fiquei surpreso com o que vi. Ainda nao tinha conhecimento de que existem irmãos membros de igrejas pentecostais, neo-pentecostais e/ou arminianas que adotam uma postura reformada/calvinista e se sentem hostilizados em suas igrejas por causa disso. É verdade que conheço algumas pessoas que fizeram uma jornada espiritual do pentecostalismo para o protestantismo histórico, mas nao imaginava que nas primeiras ainda existem irmãos em conflitos espirituais e teológicos em face de suas convicções bíblicas e teológicas.

    Eu fui católico até os meus 19 anos, quando fiz minha jornada espiritual para a Igreja Presbiteriana Independente, reformada e calvinista, onde encontrei meu lar espiritual. nunca fui pentecostal. Quando católico fui carismático (RCC). Na Igreja Presbiteriana Independente, que nao é cessacionista, tive e ainda tenho muitas experiências que muitos classificariam como pentecostais. Sou cristao, presbiteriano, reformado, calvinista, carismático - na medida em que creio na contemporeneidade dos dons espirituiais. Sou pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Areado - MG e fiquei muito feliz por conhecer este blog, ao qual desejo visitar mais vezes. Um grande abraço a todos!

    Pr. Carlos Alberto Ferreira

    ResponderExcluir
  9. Pastor Carlos Alberto;

    Meu irmão, Sérgio, também é da IPI (Seminarista). Um prazer ter o senhor aqui, e conhecer o seu depoimento.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  10. Rev. Carlos Alberto Ferreira20 de maio de 2011 00:06

    Olá Marcelo, boa noite!

    Eu tenho uma admiração grande e um interesse especial pelo Anglicanismo. Acho a Igreja Anglicana um ramo muito, digamos, "intrigante", da igreja cristã. Há 3 anos estive em Brasília e tive a oportunidade de conhecer "in loco" a Igreja Anglicana (IEAB). Numa manhã de domingo fui participar do Culto das 10:00h na Catedral Anglicana. Neste dia o Bispo, Dom Maurício Andrade, nao estava lá, mas conheci a sua cátedra, rsrsrs. Falei com o deão da catedral e pároco da paróquia local, Rev. Albri de Oliveira, que me presenteou com um exemplar do LOC - Livro de Oração Comum.
    Particularmente de vez em quando gosto de um Culto litúrgico. Sinto falta de uma liturgia mais elaborada no meio protestante brasileiro, haja vista que as igrejas presbiterianas da Europa e dos EUA mantém uma considerável tradição litúrgica, ausente no protestantismo brasileiro, marcado pelo seu extremo anti-catolicismo.

    Pelo que vi voce é pastor da uma dissidência anglicana denominada Igreja Anglicana Reformada, ao que me parece uma igreja alinhada com a teologia reformada e calvinista, ainda que, creio eu, mantenedora da tradição litúrgica católica e oposta à ala anglo-católica do Anglicanismo no que tange sua busca de identidade com o catolicismo romano que o anglo catolicismo almeja.

    Eu gostaria de conhecer melhor a sua Igreja. Se você puder me falar mais sobre isso, ficaria agradecido.

    Em Cristo,

    Rev. Carlos Alberto Ferreira - IPI de Areado - MG

    ResponderExcluir
  11. Reverendo Carlos Alberto;

    Que bom tê-lo novamente por aqui. De fato, nós a IAR não temos uma ligação mais próxima com a IEAB por razões teológicas. A IEAB é extremamente liberal em teologia e excessivamente apegada ao anglo-catolicismo. Apesar de já ser lugar comum dizer isso, um bom exemplo é a postura da IEAB com relação a sexualidade humana, como o homossexualismo. Mas não é tudo, na IEAB você nem precisa acreditar em um Cristo histórico, um Cristo "mitológico" já está de bom tamanho.

    Não que todo mundo lá pense assim. Bispo Dom Robson Cavalcanti é um ortodoxo em teologia, e ficou ligado a IEAB até a crise com o homossexualismo estourar de vez. Hoje, a Diocese Anglicana do Recife não mais está ligada a IEAB, mas permanece membro Comunhão Anglicana.

    A Igreja Anglicana Reformada é um movimento missionário para o Brasil; nosso alvo é semear Igrejas orgãnicas em todo o solo brasileiro. Tem muito a ser dito sobre o assunto, e um artigo com vídeo explicativo já está sendo preparado por mim com a ajuda do Bispo Joseph Rossello. Em breve publicaremos a matéria aqui.Inclusive, no artigo, estaremos disponibilizando para download o Livro de Oração Comum Inglês, um dos três ritos autorizados pela IAR.

    Por hora eu recomendo o site oficial da IAR.

    Igreja Anglicana Reformada

    ResponderExcluir
  12. Sala Gratia, Sola Fide, Soli Deo Gloria, Sola Scriptura, Solus Christus!!!
    Sou calvinista da Igreja Presbiteria do Brasil e fico muito feliz de ver a fé reformada crescendo no Brasil e em várias denominações, isso é obra do Soberano Deus.
    Parabéns a todos e que Deus abençoe a nossa nação.

    Hebert

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.