AS 7 PROVAS DE QUE AS LÍNGUAS CESSARAM

semdons

Marcelo Lemos

Ainda que eu abrace a quase totalidade das doutrinas históricas da Reforma, muitos se recusam a me ter como um cristão reformado; do mesmo modo, ainda que eu aceite a atualidade dos dons extraordinários, a maioria dos meus confrades de denominação, não consegue me ver como um pentecostal genuíno. As duas recusas são fáceis de se compreender. A primeira defende que acreditar na atualidade dos dons extraordinários seja uma ameaça à doutrina do ‘Sola Scriptura’; perigo do qual não estou convencido. A segunda, por sua vez, vem à tona quando me vê negar alguns dogmas de grande valor para o pentecostalismo clássico.

Com este parágrafo eu iniciei o artigo Batismo com o Espírito Santo, já publicado aqui no Olhar Reformado, no qual tentei explicar minhas principais críticas ao pentecostalismo clássico. Decidi utilizá-lo novamente, pois desta vez estaremos falando sobre os argumentos falaciosos da posição cessacionista.


Em síntese, o presente artigo será uma resposta breve a um outro artigo, intitulado “7 Provas: LÍNGUAS CESSARAM no Século I”, escrito pelo amado irmão Hélio, do site fundamentalista www.solascriptura-tt.org. Os trechos destacados foram extraídos do artigo cessacionista.

PRIMEIRA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
A História registra (indiscutivelmente!) o cessar das línguas, desde os Pais da Igreja [anos 1** a 3**] até que Agnes Ozman, em 1901,"buscou e encontrou as línguas”, fazendo nascer o Pentecostalismo. Por que Deus iria negar tamanho dom aos seus melhores homens servos da estirpe filadelfiana em 19 séculos (homens do calibre dos Valdenses; dos Anabatistas; dos Pre-Reformadores como John Huss, Wycliff e Tyndale; de Reformadores como Lutero e Calvino; dos irmãos Morávios; dos Puritanos; dos grandes Reavivadores como Wesley; grandes missionários como Carey e Taylor, dos grandes pregadores como Crisóstomo, Spurgeon e Martin Lloyd Jones; etc.) e concedê-lo somente a homens da igreja laodiceiense do século XX???!!!...”.

Este argumento não tem nenhum valor como prova contra a atualidade dos dons extraordinários. O irmão Hélio deseja saber o motivo que levou Deus a negar tamanho dom aos seus “melhores homens... como Carey e Taylor”. O argumento não faz nenhum sentido, uma vez que os dons precisam ser buscados:

“Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente” (I Cor. 12.31).

“Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar” (I Cor. 14.1).

“Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar em línguas!” (I Cor. 14.39).

Não se trata, pois, de Deus ter negado este ou aquele dom a alguém, mas sim, a Igreja ter ou não buscado por ele “com zelo”, de acordo com o mandamento das Escrituras.

Interessante observar, que o irmão Hélio é um batista fundamentalista, logo, rejeita grandes e importantes doutrinas reformadas; por exemplo, a Teologia do Pacto. Como fundamentalista, o autor abraça a recém formulada tese dispensacionalista, que, na verdade, é um “progresso” no entendimento das  profecias bíblicas, conforme o próprio solascriptura-tt admite em outro artigo:
“Está provado que a compreensão da profecia bíblica é progressiva... Até o início do século XX, a maioria dos comentaristas via o exército de duzentos milhões de soldados mencionado em Apocalipse 9:16 como algo totalmente fantástico... a história da igreja mostra que, em alguns casos, foram necessários várias centenas de anos para que todas as grandes doutrinas da fé fossem codificadas e solidificadas” (A Base nas Escrituras Para Esperarmos o Arrebatamento Antes da Tribulação; artigo do mesmo site).

Ora, se o fato de uma doutrina ter sido negligenciada pelos reformadores é prova cabal de sua falsidade, o fundamentalismo dispensacionalista do irmão Hélio está em maus lençóis.

SEGUNDA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
“Os grandes derramamentos de sinais e milagres estão relacionados com os grandes períodos de revelação, através dos escritores bíblicos. Os objetivos dos milagres foram: Assinalar uma nova era de revelações; Autenticar os mensageiros dessas revelações (1Rs 17:24; Jo 10:24-25; At 2:22; 14:3) ... se Paulo provou ser um apóstolo pelo fato de ter dom de sinais, forçosamente é porque só um apóstolo ou discípulo os tinha!!! Isto nem pode ser retorquido, sem pode ser simplesmente ignorado! Enfrente o fato, com toda sinceridade e humildade!”.

Este, penso, é o argumento mais poderoso do cessacionismo. De fato, este argumento obriga todo e qualquer cristão bíblico a ser também, em algum sentido, um cessacionista. Exatamente por isso eu não posso ser classificado como um pentecostal genuíno, ou clássico. Normalmente, o pentecostalismo ensina que é possível aos homens de hoje portarem a mesma autoridade carismática dos dias apostólicos – mas, isso não é verdade.

Por mais incrível que pareça, o próprio pentecostalismo clássico admite isso, mas de forma extremamente tímida, o que tem facilitado a proliferação de heresias neopentecostais. Por exemplo, o pentecostalismo clássico nega a existência atual do ministério apostólico, portanto, ele não acredita que todos os carismas da Igreja Primitiva estejam disponíveis para os nossos dias. Neste ponto, o pentecostalismo é cessacionista. O pentecostalismo clássico também nega que os milagres de cura, para dar outro exemplo, estejam livremente disponíveis hoje, como nos dias apostólicos; também nega que os meios litúrgicos sejam iguais aos de outrora: normalmente, nenhuma Assembléia de Deus, representante do movimento, aceitará o uso de rosas, sal grosso, sabonetes, etc – mesmo que os apóstolos tenham feito uso de lenços e Jesus, de lodo!

Novamente, somos todos cessacionistas. Porém, como parece haver uma certa falta de “pulso” na divulgação de tais princípios, muitos abusos transitam quase impunemente pelo movimento, descaracterizando-o. Um outro problema é a visão romântica que muitos pentecostais clássicos têm dos pioneiros; de fato, algumas práticas que nós assembleianos repudiamos hoje, eram aceitas pelos pioneiros. Uma abordagem mais honesta deste ponto nos ajudaria bastante.

Apesar disso, e apesar da força e seriedade do argumento cessacionista aqui apresentado, a realidade é que ele não oferece base que apóie algumas conclusões cessacionistas. Observe como o irmão Hélio tenta concluir o raciocínio:
“A Bíblia não registra nem sequer uma outra pessoa com estes dons! Mesmo quando um idioma humano não aprendido foi miraculosamente falado por uma outra pessoa (tal como Cornélio, gentio), foi exclusivamente na presença física e pela operação de algum destes 83 judeus, e cumprindo todas as normas que veremos abaixo”.

O articulista alega que tais dons, por exercerem um papel comprobatório no ministério apostólico, não eram utilizados por nenhuma outra ‘classe’ de cristãos; ou seja, só eram utilizados pelos apóstolos; ou, quando muito, utilizados pelos demais cristãos, exclusivamente na presença de algum dos apóstolos.

O problema é que isso não pode ser comprovado no Novo Testamento. Na verdade, o próprio mandamento a qual nos referimos no tópico anterior, testemunha contra tal conclusão. Se a conclusão de Hélio for verdadeira, então nenhum destes mandamentos fazem o menor sentido:

“Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente” (I Cor. 12.31).

“Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar” (I Cor. 14.1).

“Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar em línguas!” (I Cor. 14.39).

Paulo envia tais orientações à Igreja, exatamente porque ela não estava sendo acompanhada presencialmente por nenhum apóstolo! Portanto, o uso dos dons não estava restrito a eles, e nem aos que eram assistidos presencialmente por eles, os apóstolos! A única assistência que eles tinham, no momento, era o escrito apostólico, o mesmo que nós dispomos hoje!

É verdade que o apóstolo já havia estado entre eles e que, provavelmente, voltaria a estar; mas isso não muda o fato de que eles são exortados a buscarem os dons extraordinários, mesmo sem a presença de qualquer membro do colégio apostólico. A segunda “prova” cessacionista não se sustenta.

Dentro desta mesma “prova”, o autor ainda cita o texto de Hebreus 2.3-4 como indicando o termino dos dons extraordinários. No entanto, isso nos parece improvável, uma vez que o texto de Hebreus não fala apenas dos dons ‘milagrosos’, mas sim de “dons do Espírito Santo”, o que parece indicar toda e qualquer operação do Espírito; logo, se o uso cessacionista deste texto estiver correto, não podemos contar com nenhum don do Espírito Santo. Observe a lista de Romanos 12.

TERCEIRA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
“Mórmons, romanistas, e até islamitas, têm fenômenos de línguas indiferenciáveis daqueles dos Pentecostais. Isto está bem documentado. Como podemos estar certos de que um fenômeno Pentecostalista, tão igual, é de Deus?... Há filmes e gravações mostrando que satanistas, feiticeiros tribais e do Vodu, etc., sempre tiveram e têm fenômenos de línguas, indiferenciáveis daqueles dos Pentecostais. Como podemos estar certos de que um fenômeno Pentecostalista, tão igual, é de Deus?”.

Poderíamos responder a isso com diversos argumentos, todavia, apenas um nos basta e deve ser o suficiente:

“Mas o que eu faço o farei, para cortar ocasião aos que buscam ocasião, a fim de que, naquilo em que se gloriam, sejam achados assim como nós. Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.  E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras” (II Coríntios 11.12-15).

Se a existência de falsificadores constitui prova contra uma doutrina, precisaremos abandonar toda a fé cristã!

QUARTA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
“Certos tumores cerebrais e distúrbios neurológicos, eletrochoques, intensas lavagens cerebrais, intensas técnicas de pressão/ sugestão/ hipnose, etc. podem levar a um "estado alterado de consciência" ou a um "comportamento aprendido", e ao mesmíssimo fenômeno de línguas dos Pentecostais”.

Um argumento interessante e que nos faz refletir sobre o perigo de uma religiosidade mística, como tem sido buscada por alguns cristãos, realmente. Todavia, como “prova” contra a atuação miraculosa do Espírito Santo em nossos dias, o argumento nada mais é do que uma adaptação grosseira dos axiomas ateístas à causa cessacionista.

Não fiquem bravos comigo! É a mais pura realidade. O argumento [tosco, aliás], pode ser encontrado em qualquer site ateu ou agnóstico e é usado contra toda e qualquer pretensão da fé cristã. Ora, se o argumento vale para comprovar a falsidade dos dons hoje, também serve para comprovar a falsidade da esperança cristã. Simples assim.

QUINTA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
Infelizmente, a “quinta” prova apresentada por Hélio não é muito melhor que a anterior; vejam:


“Há inúmeras confissões ou provas de grosseiros fingimentos/ demonismo... Um seminarista americano conhecido da família do meu pai na fé, Missionário Charles Smith, testemunhou que na década de 60 ou 70 foi a uma reunião Pentecostal, recitou Salmo 23 em Hebraico, e a intérprete foi logo traduzindo como uma mensagem contra mini-saias!”.

Como um pentecostal responde a isso? De três maneiras. Primeiro ele dirá: “Nossa, irmão! Que coisa triste!”; depois ele acrescentará um descarado: “E daí?”. E caso o contradizente insista, ele citará novamente as Escrituras, que é a autoridade final em qualquer assunto:

“Mas o que eu faço o farei, para cortar ocasião aos que buscam ocasião, a fim de que, naquilo em que se gloriam, sejam achados assim como nós. Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.  E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras” (II Coríntios 11.12-15).

No caso, possível, do cessacionista ainda insistir neste ponto, o pentecostal poderá convidá-lo a ir a um presídio, ou hospital – ou qualquer outro lugar – a fim de mostrá-lo diversas falsas conversões... Será que elas constituem prova de que toda conversão é igualmente falsa? Tomara que não, ?

SEXTA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio
“Todos os lingüistas concordam que a esmagadora maioria dos fenômenos gravados e analisados NÃO apresenta um número suficiente de características de uma língua para serem aceitos como tais. (Ver, por exemplo, William J. Samarim, "Tongues of Men and Angels: The Religious Language of Pentecostalism", 1972, caps 4-6)”.

Este argumento é muito bom, mas ainda não representa argumento válido contra a atualidade dos dons extraordinários, mesmo o dom de línguas. No máximo, ele servira para demonstrar que as línguas faladas pelos carismáticos não são encontradas na Bíblia; mas não que o dom não esteja disponível.

Penso que é um assunto no qual os carismáticos em geral deviam dedicar seus maiores esforços. Temos aqui uma objeção que merece ser analisado com mais carinho quanto as suas implicações para a prática pentecostal; apesar de não dizer nada contra a atualidade dos dons em si.

SÉTIMA PROVA CESSACIONISTA

Utilizada por Hélio

“Nunca gravações escolhidas aleatoriamente foram levadas a dois intérpretes (escolhidos aleatoriamente e mantidos em isolamento) e resultaram em traduções mesmo remotamente semelhantes!!!”.

As respostas dadas às provas 4,5 E 6 servem perfeitamente aqui. Apenas acrescento que tais ‘interpretes’ (sic) provam a necessidade do pentecostalismo suprir a Igreja com o ensino da Palavra de Deus, inclusive no que concerne ao uso e utilidade dos dons. Se tais ‘interpretes’ freqüentassem a Escola Dominical, não teriam caído na armadilha estúpida armada contra eles.

O leitor mais atualizado ao debate sobre a atualidade dos dons, certamente perceberá que neste artigo não analisamos outros argumentos cessacionista, alías, muito mais fortes dos que aqui analisamos. Porém, precisará admitir, também, que apesar da fragilidade dos argumentos acima arrolados, o fato é que continuam sendo usados a torto e a direito contra a fé pentecostal na atualidade dos dons.

Entendo que nenhum dos dois lados, pentecostais e cessacionistas, estão prontos a analisarem o assunto desprovido de seus próprios conceitos e interesses. Um pena. Quem sofre, com os exageros de ambos os lados, é o Corpo de Cristo.
EDITOR-BLOG

33 comentários :

  1. Paz Marcelo,

    Sinceramente, tomei um susto ao ler o título, mas agora está tudo resolvido.

    Que Deus o abençoe, concedendo a solução para os problemas que vens passando.

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  2. oi Marcelo! eu gostei do seu artigo, achei coerente!
    eu nãos ei se voce~sabe, eu acabei de criar um blog (http://solascriptura-tt.blogspot.com/) que é justamente afiliado ao grupo do hélio, (mas eu não trabalho de forma totalemnte ligada a ele, e sim independente). eu mesmo publiquei lá no blog o seu artigo sobre catolicismo romano!( até gostaria de para pedir que vc visite o blog e torne-se leitor dele, hehe!) e na hora que o Hélio ou algume ligado a ele descobrir seu artigo, prepare-se, para ser o mais novo herege deles! e pentecostal e reformado ainda! vixe! e NÃO VAI SER EU QUE VOU CONTAr ISSO PARA ELES! HEHEHEHE

    abração ( seu blog é ótimo)
    Armando Marcos

    ResponderExcluir
  3. marcelolemoseditor15 de maio de 2009 12:17

    He, he... Te peguei, hein?

    Obrigado pelo carinho, irmão Ednaldo. Deus tem nos abençoado. Aliás, minha esposa, grávida, que estava internada já esta em casa, graças a Deus. Ainda assim, as atualizações estão sendo feitas no automático.

    Paz!

    ResponderExcluir
  4. marcelolemoseditor15 de maio de 2009 12:25

    Olá, Armando. Graça e Paz.

    Já troquei mensagens com o Hélio e, sinceramente, admiro muito ele. De fato, o projeto que ele mantém na Internet me auxilia um bocado, em diversas áreas.

    É claro que vou aceitar o seu convite; pode me contar entre os seus leitores. E claro, sinta-se livre para corrigir os pontos que julgar errôneos em meus artigos. Aproveitando, agradeço por você tem linkado um artigo do nosso projeto. Não fique bravo - mas vou dar o troco (he,he,he): vou 'chupinhar' seus artigos prá cá também!!

    Olha, para o pessoal 'fundamentalista' - se é que devo usar o termo - eu já sou herege, assim como os presbiterians, os amilenistas, os que usam a NVI. Eu conheço o 'sola scriutura' a uns 7 anos. Desde sempre, eles classificam os carismáticos, indistintamente, na seção de "Seitas e Heresias". Eu mesmo conversei com o Hélio sobre isso, uma vez que me sentia descofortável. De forma que, hoje, eu não me surpreenderei se a sua previsão acontecer.

    Reintero, insisto, o meu respeito a eles. Aliás, quando quase abandonei o pentecostalismo, não temi pedir auxilio a algumas pessoas ligadas ao sola scriptura.

    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu texto.
    Muitas vezes eu já fucei os artigos do Hélio e os schei muito interessantes,mas ficava sempre decepcionado quanto ele atacava o pentecostalismo.
    Agora,vendo suas contra-argumentações,fico extremamente feliz!!!
    Que o Amado Deus continue usando o irmão na defesa da fé pentecostal!
    Também tinha lavado um susto com o título do seu artigo e pensei:será queo irmão Marcelo pirou???

    Não é de agora que acompanho seu blog.

    Volta ee meia eu passo por aqui.


    Fique na paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  6. Paz Marcello,

    Fico feliz em saber que sua esposa já está bem melhor, parabéns pela herança que o Senhor está te concedendo.

    Desculpe a ousadia, mas te indiquei para auxiliar um companheiro de Forum (do Monergismo.com) para conversar contigo, pois ele se encontra em uma igreja pentecostal (assim como eu, estou na AD também) e foi reformado, porém ele está "com um pé" a se tornar diácono, e se sente incomodado com isso. Pedi que ele conversasse contigo, pois tens bastante experiência nesse assunto.

    Em Cristo,

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  7. marcelolemoseditor17 de maio de 2009 14:09

    Grato, irmão Ednaldo.


    Ficarei feliz caso consiga auxiliar seu amigo. Fica com Deus.

    Paz

    ResponderExcluir
  8. marcelolemoseditor17 de maio de 2009 14:17

    Bom que gostou, irmão Daniel. Não deixe de ler também o artigo que escrevei tecendo algumas ponderações sobre a doutrina pentecostal. Concordo que muitos acham que não falar em línguas equivale a ser um cristão inferior. Pura tolice. Espero ter conseguido demonstrar a tolice de tal posição no primeiro texto.

    Certamente outros textos virão sobre este mesmo assunto, se Deus nos permitir.

    ResponderExcluir
  9. marcelolemoseditor29 de junho de 2009 12:03

    Maravilhosa citação. Babi, continue acrecentando valores aos nossos tópicos. Eu pretendia citar Cheug, cedo ou tarde. Obrigado por dar o empurrãzinho! Fiquei grato pelo texto.

    O china é 'tudo de bom' - rsrsrs.

    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  10. Foi um prazer meu amado. Abraços em Cristo.

    ResponderExcluir
  11. marcelolemoseditor10 de julho de 2009 11:20

    Que Deus a abençoe ricamente!

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  12. Paz do Senhor, irmão marcello; bem coerente suas respostas ao artigo do igualmente, irmão helio, também sou reformado, no entanto creio que os dons são atuais, entretanto, apenas discordo da maneira que são utilizados em sua maioria pelos nossos irmãos pentecostais, acredito que Deus ainda opera os mesmos sinais de outrora, portanto apenas com metodos diferentes, mas continua operando e respondendo nossas orações no que diz respeito a utilização dos dons.

    ResponderExcluir
  13. marcelolemoseditor30 de julho de 2009 11:27

    Amém! Obrigado pela sua participação, irmão Daniel!

    ResponderExcluir
  14. Sou da AD,li o blog sola scriptura achei ridículo classificar a minha igreja como seita visto que temos diferentes pontos de vista da escritura sem porém, ferir as crenças fundamentais da nossa fé cristã.
    1.O culto na minha congregação é bastante sadio,as pessoas lá não dão piruetas não pulam de uma perna só, e não atrapalham o sermão. Apenas se tem o costume de de se dizer aleuia e gloria a Deus nos momentos de louvor e quando pregador bebe água durante o sermão.
    2.Esse blog julgam todos pelo erro de um grupo grande ou pequeno dá cembalhotas em seus cultos,se visitassem ao menos minha congregação não teriam colocado aquela opinião como verdade absoluta.
    3.Se os dons cessaram por que Jesus pede para conhecer o falso profeta pelos seus frutos e não pelo seus milagres?Se a idéia cessacionista fosse a mais correta,Jesus diria que o profeta que faz milagre é falso.Então o que diremos que o nosso Senhor não tem conhecimento do futuro?Que parte dos mandamentos não são aplicáveis em nossos dias?Isso não quer dizer que as escrituras não são tão inerrantes quanto se imginava?
    4.Se qualquer divergência teológica servir de base para classificar uma denominação como seita então só os batistas fundamentalistas, entrarão no reino dos céus.
    5.VÃO AVANTE, OS METODISTAS APRESENTAM MA VISÃO MAIS ABERTA SOBRE A QUESTÃO DOS DONS, CLASSIFIQUEM ELES COMO SEITA!!!
    6.Não vou para o inferno pelo pecado alheio.
    7.Calvinistas e arminianos têm pontos de vista diferentes e nem por isso se intitulam mutuamente como seita.
    8.Já que o fruto do espírito é longaniminidade, tenha a bondade de não pré-julgar a todos com comentários maldosos.
    9.Tomem cuidado para não cair na garra do exclusivismo, isso fará do grupo do irmão Hélio uma seita.
    E POR FIM SE ENCONTRAREM UMA IGREJA PERFEITA NÃO ENTREM NELA PARA NÃO MANCHÁ-LA.

    ResponderExcluir
  15. Graça e paz Marcelo.
    Eu sou pastor de uma igreja batista, sou renovado e sou calvinista. Não duvido dos dons espirituais para os nossos dias, pois tenho visto o agir de Deus em nossa vida e ministério dessa forma. Chamar os pentecostais de hereges é uma falta de respeito muito grande para com eles, existem erros no meio pentecostal e neo-petecostal, mas não podemos dizer que são todos. É o mesmo que dizer que todos os batistas tradicionais e presbiteriansos sejam frios e envolvidos na maçonaria. Isso não é verdade, embora haja muitos pastores batistas e presbiterianos envolvidos nela, mas não todos.
    Gostei muito do seu artigo e postura equilibrada.
    Fique na Paz!
    Pr. Silas

    ResponderExcluir
  16. Muito bom artigo, parabéns. Sou Presbiteriano, e acredito na atualidade dos dons sim. Sugiro ao autor a leitura de :"O falar em linguas, a linguagem sobrenatural da oração"- É um texto muito consistente sobre o assunto em suas três manifestações.
    Abraço
    Pr Welinton
    Nova Aurora-PR

    ResponderExcluir
  17. Welinton; obrigado por sua visita. Vou dar uma conferida no texto que você está sugerindo.

    Paz

    ResponderExcluir
  18. Onde existe o dom de linguas? Eu sei que irmãos diram que se existe exageros, não significa que não exista os dons...bem em parte sim, porém, ONDE existe o dom de linguas conforme delineado nas Escrituras?
    Pr Weliton o sr tem um exemplo de interpretação de linguas? e depoiis disso significa que toda a vez que aquele irmão fala ( ripabalala ) por exemplo, é aquela interpretação que foi dada?
    O meu irmão e pr, eu tb creio na atualidade dos dons, mas onde está o dom de linguas conforme as Escrituras?
    Eu amo demais irmãos pentecostais, que na verdade evangelizaram esse brasil mais do que nós presbiterianos, mas não existe consistencia entre a pratica e exposição teologica do dom de linguas.

    ResponderExcluir
  19. A Paz do Senhor, Marcello!
    É a primeira vez que visito seu blog e justamente pelo fato de pesquisar sobre o assunto em questão, pois ministrarei na escola dominical no próximo domingo a lição que trata do tema " O Espírito capacita a igreja", em que um dos tópicos trata do dom de línguas, numa visão cessacionista. O que não acredito. Congregava numa igreja pentecostal, mas O Senhor nos levou(eu+esposa) para uma presbiteriana, pois nosso filho já congregava lá e Deus já havia dado um sonho todos congregando juntos. Não sei se consegue perceber o conflito que sinto uma vez que sou professor de escola dominical. Exageros no meio pentecostal existe, mas daí dizer que as línguas cessaram, acredito que é negar a atuação do Espírito. Enfim, parabéns pelo conteúdo. É um subsídio de excelencia.
    Voltarei mais vezes.

    ResponderExcluir
  20. Fábio; o seu conflito é muito semelhante ao meu, só que ao avesso! Sim, pois como um crente 'pentecostal' as vezes me sinto um peixe fora d'agua, especialmente quando alguns irmãos e companheiros se deixam levar por aquilo que não é o Sola Scriptura. Por isso, afirmo que o irmão está em um bom lugar - uma igreja reformada; portanto, lide com o assunto em amor, e respeito com os demais irmãos. Acredito que ambos, carismáticos e cessacionistas, podem crescer juntos, e edificarem a Igreja do Senhor.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  21. † Áureo Ferreira †16 de junho de 2010 06:32

    É triste ver no que o ocidente evangelizado por Roma chegou... Doutrinas de Homens, surtos psicóticos, emoções embasando experiências místicas gloriosas...

    Poucos sabem o que e fato é o Dom de Línguas, não vou me preocupar em explicar isso aqui, mas será mesmo que todo Protestante sabe a origem do dom de línguas no inicio da Reforma?

    Uma dica, leiam o Prefácio da KJV de 1611, é altamente esclarecedor, principalmente quando ele explica que o termo "língua desconhecida[termo esse adicionado às escrituras]" se refere a língua latina, que de fato ninguém entendia! [alias até o termo ninguém entende foi forjado afim de que corroborasse com tal idéia bisonha]

    Sentiram a pancada na canela? Deve ser triste saber que as práticas de uma dada denominação ou movimento não tem parte com o Sagrado e sim com a repulsa dos Protestantes Históricos em relação a língua usada pela Sé Rebelada, ROMA!

    Eu já tive raízes Pentecostais, fui Quadrangular por 6 anos, e sei bem o que é um Prelest.

    Deixo-vos alguns artigos de meu blog, e espero que sirva para iluminar suas mentes acerca desse dom Maravilhoso e que os Gregos entenderam PERFEITAMENTE, Dom esse que nunca cessou e até hoje existe nos fiéis com corações puros e livres de paixões!!!!

    O Batismo pelo E. Santo no NT:

    http://aureoferreira.blogspot.com/2010/05/o-batismo-pelo-espirito-santo-no-nt-i.html

    A confusão da Torre de Babel e o Pentecostes:

    http://aureoferreira.blogspot.com/2010/05/confusao-da-torre-babel-e-unidade-em.html

    O Dom de Falar em línguas:

    http://aureoferreira.blogspot.com/2010/05/o-dom-de-falar-em-linguas.html

    A doença da Religião e a sua cura:

    http://aureoferreira.blogspot.com/2010/05/doenca-da-religiao-e-sua-cura.html

    Boa leitura.

    Abraços.

    Em Cristo, o Salvador!!!

    ResponderExcluir
  22. Peraí. Então quer dizer que durante 18 séculos, ninguém buscou o dom de línguas?

    ResponderExcluir
  23. Boa pergunta Robson!

    No corpo da Patrística é relativamente raro a descrição desse dom, justamente pq dentro da tradição oriental o dom não tem parte com a algazarra contemporânea que o mesmo adquiriu.

    E sim, como já expus algumas vezes, ele ocorre silenciosamente no coração do fiel que alcançou a glorificação.

    É muito estranho 18 séculos (ou mais) esse dom reaparecer numa roupagem totalmente NOVA!!!

    No século VI São Gregório Magno, Papa de Roma, diz que o dom de línguas foi aquilo que o Espírito Santo disse ao coração dos Apóstolos, e as demais coisas externas foram manifestações exteriores afim de moldar o evento....

    Bom, cada um segue aquilo que vai de encontro ao seu coração, eu não preciso me ater a manifestações que vão de encontro as escrituras e a história da Igreja.

    Ah, Pentecostais acreditam que a Igreja apostatou e somente em 1900 a pureza foi restaurada...

    rs rs rs.

    E como já disse, nem mesmo os REFORMADORES em pleno seculo 16 sabiam o que eram o dom de línguas, pois acreditavam que era algo relacionado a lingua latina falada pelo clero Católico e usada na Vulgata!!!

    Ou seja, vc tem 3 escolhas:

    1) Ou segue a visão reformada de que línguas se referem ao idioma latino;

    2) Ou abraça a visão pentecostal de que o dom só foi restaurado pelo advento do pentecostalismo em 1900;

    3) Ou acredita na visão Ortodoxa, em que o dom sempre ocorreu, mas não bizarramente como vemos hoje.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  24. Bom, muitos argumentos foram válidos... porém ainda assim muita coisa q o cara disse é um fato, como falar em línguas ser algo igual as outras religiões.
    Sim, satanas pode "imitar", mas não deixa de ser uma coisa tão natural/fácil q não tem nada de milagre a ponto de qualquer pessoa possa fazer igual sem muito esforço.
    Não é como antigamente q era um milagre q não era possível se fazer sem ser por meio de Deus... hoje é tudo baseado em "suri-cana, suri-anda, labachéia, ergue-manto, plasúbia e etc...".

    Não tem como acreditar nisso hoje...

    ResponderExcluir
  25. Dupla personalidade?
    Confusão?
    Divisor de aguas?

    ResponderExcluir
  26. Queria os argumentos dos que creem
    Inclusive os sublimes elevados
    Áqueles que sempre acham que descobriram a roda
    Surias e mais surias
    Muitas
    cantalabachurias

    ResponderExcluir
  27. renato b.da silveira26 de setembro de 2010 12:45

    amado irmão marcelo,a paz de cristo para vc e os seus,li a materia e tem todu em comum com as demais.porque enautecem de mais doutrinas denominacionais,segondo o livro de efesios 4 temos:um só Deus,corpo,salvador,senhor,espirito,batismo e uma só fé;lendo os comentarios notei que um irmão termina-o assim:é isso ai vamos defender a fé pentecostal.irmãos que confusão é essa?somos pentecostais pelo advento da descida do espirto santo,somos reformados devido a tentativa sem resultado dos reformadores(a igreja catolica continua a mesma)somos tantas coisas por conta de mãs interpretações,só não somos aquilo que Deus requer de nós;com relação aos dons creio que todos eles são tezouros escondidos nas poderosas mãos de Deus e ele os usa caso hajanecessidade; o maior legado que jesus nos deixou foi a fé que:salva,cura,liberta,ensina e edifica todas as vidas que atraves dela,reconhecem jesus cristo como seu único e suficiênte salvador e senohor.não há confuzão porque Deus não é Deus de confuzão!. no mais um abraço em nome de jesus!.

    ResponderExcluir
  28. corretissimo,,fui 'PENTECOSTAL"" E , HOJE POSSO FALR.....DEVIDO AS CIRCUNSTANCIA DA ÉPOCA..ATÉ TENTEI FALAR EM LINGUAS ,MAS, PERCEBIA ,,QUE ERA APENAS COPIA DO QUE EU OUVIA...PAREI E ..TO MUITO TARANQUILO, QUANTO ESSSA SUPOSTAS LINGUAS..QUE EM MIM NAO ME FEZ FALTA..A VERDADDEIRA LINGGUA É DO COMPROMISO COM A BIBLIA E COM SEU BOM CARATER

    ResponderExcluir
  29. Olá Marcelo,
    Gostei do artigo e várias vezes já quis escrever sobre porque NÃO POSSO ser cessacionista mais ainda não me animei a tal.
    Acho a exegese (se é que fazem?) dos cessacionista tão fraca e inconsistente que já anula quase todo o restante por si só.
    UM ÚNICO EXEMPLO: 1 Co.13.8, muito usado por alguns cessacionista para dizer que "línguas cessarão", PORÉM uma das regras básicas de interpretação e ver o texto dentro do contexto e tirar duas palavras fora do seu versículo é no mínimo, um absurdo!
    Mas como diz o ditado popular, "na terra de sapo de coque com eles", então, usando o esquema deles mesmo não poderia haver CIÊNCIA ou "gnosis" e se assim é como dizem, pois está no mesmo versículo dizendo "passará", o que estamos fazendo se não se pode mais ter conhecimento/ciência das coisas!? Ou seriam os cessacionistas "agnósticos"????
    Esse é um dos argumentos contra o cessacionistas que assim entendem 1Co. 13.8. Agora se for partir para os argumentos científicos e históricos DELES ai "num brinco mais (risos)" , o que dizem e tão ridículo que não me dá nem vontade de contrapor, eles desanimam a demanda com essas "brincadeiras acadêmicas". Como pode um miserável mortal da nossa época, dizer que não há nenhuma evidência desse ou daquele dom após o período apostólico ou ainda, que tudo que existe (no que se refere a línguas) não é comprovado cientificamente como línguas??? Para isto o cidadão teria que ser quase DEUS, ou semi-onisciente, sei lá; afirmar que desconhece, até vai, agora dizer que não há registro é no mínimo ignorar que é incapaz de pesquisar a literatura toda, de toda época em questão, e ainda, será que conseguiria uma amostragem (gravação linguas + interpretação) mundial, de todas as épocas para se analisar com seriedade o "mistério" de forma a dar uma "opinião" a respeito???
    Mais uma vez " de coque com eles", eu nunca vi ninguém ressuscitar ao terceiro dia, e nem li relatos na história pós apostólica sobre sobre isto logo devo eu deduzir que não há ressureição, foi só no período bíblico, depois acabou ou cessou, não haverá mais!!!! Se for pelo lógica deles poderiamos afirmar isto ?!!?!?
    NÃO POSSO TER UM MONTE DE REGRAS HERMENÊUTICAS QUE USAREI CFE. MINHAS TENDÊNCIAS E visando confirmar o que quero!!!
    E digo mais, esquecer-se da possibilidade de que tais atos podem e poderiam sim acontecer e não serem registrados a semelhança de tantos outros que desconhecemos e no mínimo falha metodológica de pesquisa!
    Enfim, sou um dos ministros reformados, que defendem os princípios norteadores da reforma por entender que são bíblico e correto, e também não sou "pentecostal" ou "arminiano" por não ser cessacionista; ainda que por causa disto, para alguns de minha "espécie denominacional" seja visto com "desconfiança", mas sem fundamentos!
    Há sempre PAZ em Cristo!

    ResponderExcluir
  30. Estou feliz em descobrir uma página tão abençoada edificada, querendo abençoar essa obra.


    parabéns!


    Deus abencõe.

    ResponderExcluir
  31. Eu creio que Cristo continua dando os dons aos homens, porque é Ele quem edifica Sua igreja. Ele não cessou de edificar Sua igreja, então creio na contemporaneidade dos dons.

    Creio que há muita distorção no meio evangélico em geral sobre o uso de línguas, e penso mesmo que há muito fingimento e falsificação. Creio que há muitas pessoas que não falam em línguas coisa nenhuma e fazem imitações apenas para parecerem espirituais. três coisas, porém, as Escrituras revelam:

    1-"Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes no mundo; nenhum deles, contudo, sem sentido" I Co 14:10

    Línguas que não significam nada, ou que evidentemente não formam um dialeto; pessoas que gritam e uivam uma sílaba ou duas apenas; amados irmãos, isso, definitivamente, não é falar em línguas!

    2-os dons são dados "com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo" Ef 4:11-16

    Os dons, mesmo os dons de línguas, são dados com um objetivo: Cristo edificar Sua igreja. Nunca são usados para distinguir alguém, ou como mera manifestação de espiritualidade. É por isso que quem fala em línguas deve orar para que possa interpretar. É por isso que quando se fala em línguas, deve ter alguém para interpretar, senão fique calado na igreja. Essa de bancar o espiritual e dizer, como um certo cantor que "fala em línguas" no CD, "Quem fala em línguas não fala com os homens" é erro, desconhecendo as Escrituras sobre o assunto e o poder de Deus para edificar Sua igreja.

    3-O caminho mais excelente é o amor e, sem ele, nenhum outro dom tem sequer sentido e é vão (I Co 13).

    Todos os cristãos devem buscar os dons espirituais. Mas faria melhor ao corpo buscar o dom do amor antes, durante e depois de qualquer outro dom. Sem amor, falar em línguas é como o tocar dos sinos: nada acrescenta. Talvez, se buscássemos ESSE dom primeiro, o entendimento de todos os outros se ajustaria naturalmente.

    ResponderExcluir
  32. Vc está de parabens pelas suas postagens!!! tenho a mesma visão que vc sobre o evangelho, graças a Deus!!! Pena que ainda não escrevo tão bem quanto vc!!!! gostaria de compartilhar as suas mensagens no meu facebook, mas não achei link para compartilhar, me desculpe a ignorância, mas tem?? se tiver, ajuda esse pobre analfabeto digital!!! na minha cidade ta havendo uma epidemia de cessacionismo e eu estou precisando de ajuda!!! gostaria muito de poder publicar seus estudos no meu Facebook!!!! meu email é rafaelmadeira@yahoo.com.br e meu perfil no Facebook é www.facebook.com/profile.php?id=100000358153017 se puder me ajudar, serei grato!!! um abraço e Deus te abençoe!!!!

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.