Maníaco do Parque - Morte Espíritual

A Morte Espíritual

maniacodoparque

Pr. Marcio Valadão*

Nessa oportunidade, quero compartilhar com os irmãos uma carta que recebemos de uma pessoa que se tornou muito conhecida e que descreve, de uma forma muito clara, quando Paulo escrevera “entre os quais todos nós também andamos outrora, todos nós”. (Verso 3, parte a). Esta carta foi escrita por um moço jovem chamado Francisco de Assis Pereira. Ele era moto-boy. Creio que você se lembra desse nome, pois ele fora anunciado em todos os veículos de comunicação do nosso País, em 1998, pelos crimes que havia cometido. Quando esse moço foi preso, enviamos-lhe uma Bíblia e um livro que entregamos a todas as pessoas que se decidem, denominado “Respostas para a Vida” e uma carta. Em resposta aos objetos enviados, Francisco nos respondera com uma carta. Eis o que ele escrevera:


“Taubaté, 17 de agosto de 1998. Prezado amigo ou amiga. Tenho recebido sua carta e os pertences e sou muito grato por acreditar que ainda sou um ser humano e lhe agradeço pelas escritas palavras que os senhores ou senhoras tenham prestado à minha trágica pessoa, na qual me confortaram em suas escritas palavras. Ao ler suas cartas, tenho prestado muita atenção, e quanto a outros livretos, também os li.  

Fiquei muito impressionado em ler nos livretos tais leituras, em que as li atentamente, no conforme acredito eu em palavras cuja destruição da minha própria vida, cuja capa desse livreto de cor branca, com palavras escritas em sua capa, cujo nome é ‘Respostas para a Vida’. Na página 59, o que nos ensina? O que você era sem Cristo? Ao ler tais escritos, fiquei muito assustado e pensativo, pois quando chegar a minha ora, não quero ir para tal lugar, mas se for da vontade do Senhor dos Exércitos, que assim seja nas quais irei mencioná-las novamente, que diz, resumindo: Você vivia em função de si mesmo? – aí ele colocou entre parênteses, “Sim” – Buscava fazer a sua própria vontade e satisfazer seus próprios desejos? Sim. Uma vida caracterizada pelo próprio egoísmo e pela frustração? Sim. Como todos os homens sem Cristo? Sim. Você tinha um encontro marcado com um destino terrível, mas merecido, o inferno? Sim, é exatamente o que aconteceu com a minha pessoa.

 Tenho pedido muito que Deus me perdoe e tenho feito rezas pelas moças em que as tirei a vida mediante servo do maldito satanás. Peço a Deus que as coloque em seu Reino e lhes estenda suas mãos e derrame sobre as cabeças de todas as famílias daquelas inocentes moças, o seu poder de iluminação, para que as dê muita paz. 

Acreditem que tantas namoradas que tive, jamais tirei suas vidas, nem sequer algum caso faria eu matar uma garota, mas as que se foram, não tinha nenhum caso ou namoro, tudo acontecia de uma hora para a outra. Era bem de repente. Eu era induzido por uma força muito maligna. Prezados amigos ou amigas, eu sempre fui uma pessoa boa, estudiosa, trabalhadora, completamente viciado no atletismo, o meu hobby preferido, a patinação, de família muito humilde, sempre me dei bem com os meus pais, meus irmãos, amo muito meus sobrinhos.  

Amigos, não uso drogas, não sou ladrão, mas cometi aquilo que para mim é o pior dos meus crimes. Se pudesse jogar areia em cada lugar em que as deixei e desse novamente suas vidas, eu as faria. Nem que eu tivesse que dar a minha única vida pelas quais eu não tinha o direito de tirar, mas para tal milagre eu teria de receber o perdão do Senhor dos Exércitos e então ser puro como uma virgem sem ter cometido adultério, mas se isto fosse possível eu não estaria aqui, em um caso no qual me destaquei com repercussão mundial.

E podem acreditar, estou me dedicando o máximo possível para alcançar pelo menos as mãos dos filhos dos homens em suas palavras que me enviou. Estou me esforçando para que ele possa me salvar da minha destruição. Sabe, eu nunca sequer havia lido uma página, pelo menos, do Livro dos livros e já tenho alcançado quase quatrocentas páginas e estou me sentindo bem melhor e quero buscar o verdadeiro reconhecimento do ser arrependido, a fé e a crença saber no fundo do meu interior em conhecer, saber o significado de palavras deixadas nos mandamentos do profeta Moisés pelo vosso Deus. 

Desejo a vocês que me enviaram palavras de conforto, em nome de Jesus Cristo, que Deus os abençoe e que tenha suas vidas em grande glória, felicidade e muita paz em suas eternas vidas. Agradeço de coração, Francisco Assis Pereira, o Chico. Adeus amigos e amigas”. 

Este homem recebera o apelido de “o maníaco do Parque”. Ele estava morto espiritualmente. Não existe um morto mais morto do que o outro. Este ficou conhecido, mas e aqueles que não aparecem na mídia? Quem conhecerá a Jesus sem que alguém lhe anuncie o Evangelho? “Como, porém, invocarão aquele em que não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?” (Romanos 10.14). Ninguém que leia a Bíblia pela primeira vez dirá: “Ah, se eu pudesse ter conhecido a Bíblia, a Palavra de Deus...” O conhecimento é um processo. Será que não existia nenhum crente no Senhor Jesus que poderia ter falado para aquele moço sobre a salvação, sobre a Verdade?

Fomos chamados para conhecer a Deus e para fazê-lo conhecido. A compulsão da nossa vida tem de ser a pregação do Evangelho, de uma maneira intensa. Não podemos descansar no sentido de acomodação. Não pense que aquele moço seja mais desgraçado do que o outro. “Desgraçado” aqui no sentido de não ter a graça de Deus. Muitas vezes, você encontra pessoas que nunca cometeram crimes hediondos, mas que estão mortos espiritualmente. Não existe uma pessoa mais morta que a outra. Existem pessoas que não estão atrás das grades de um presídio, mas estão espiritualmente presas pelo diabo. Por isso que aqui em Efésios, capítulo 2, versos 1 a 3 (até a parte “a” do verso 3) diz: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora...” Mas ao lermos o verso 4 (primeira parte do verso), o nosso coração fica cheio de esperança: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia [...]” Sempre que você encontrar a palavra “misericórdia” nas Escrituras, poderá perceber o tamanho das misericórdias do Senhor. “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos.” (Versos 4 e 5).

Nós estávamos mortos. Não merecíamos a salvação, o perdão, a misericórdia. Estávamos mortos. Todavia, a Palavra nos revela: “[...] estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo”.Por isso, quando você observa a vida do apóstolo Paulo, toda a sua garra, seu trabalho, sua dedicação, seu compromisso com o Senhor, era o resultado de quê? Ele sempre dizia: “O amor de Cristo nos constrange”. O amor.

Extraído do livro: A Graça Salvadora de Jesus; Série ‘Mensagens’ Nº 63; uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha.

* Muito cuidado ao se utilizar qualquer material oriundo da IBL, uma vez que a mesma está evolvida em doutrinas e práticas heterodoxas.

4 comentários :

  1. Othniel Guimarães Costa13 de agosto de 2009 12:59

    Prezado Marcello,

    Esse é meu segundo contato com o seu blog (o primeiro foi ontem 12/08) e confesso que fiquei deveras atordoado mas ao mesmo tempo fascinado pela sua exposição de assuntos tão profundos e por muito, desprezados no meio cristão.
    Confesso ainda que não tive a oportunidade de uma leitura calma, metódica e reflexiva pois o tempo tem sido a minha mais escassa moeda. Mas é algo que prometi a mim memso corrigir.
    Mas ao primeiro contato - e não tenho certeza se você irá responder tendo em vista ser esse um dos artigos mais antigos - vamos lá, preciso perguntar: quais são as práticas heterodoxas das IBL?

    Graça e Paz da parte do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo,

    Othniel

    ResponderExcluir
  2. marcelolemoseditor26 de agosto de 2009 14:49

    Olá, irmão Otoniel. Perdo-me pela demora em lhe responder.

    Veja, vou correr o risco, por hora, de lhe responder de forma vaga, pedindo que o irmão pesquise sobre o Movimento G12, as doutrinas fundamentais negadas, ou mutiladas nas letras do DT, etc. Num momento oportuno estarei escrevendo artigos sobre estas questões. Aliás, já está no 'forno' um sobre o uso do Shofar.

    Paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Leiam a bíblia. É simples, e vc encontrará tanto nas letras quanto no G12, a própria bíblia!

    ResponderExcluir
  4. Prezado Marcello

    Fiquei bastante impressionada ao ler este artigo. De fato, são poucas as pessoas que se preocupam com aqueles que estão presos, fato que acaba se voltando, mais cedo ou mais tarde, contra a própria sociedade. Infelizmente, muitas vezes não conseguimos identificar o ser humano e acabamos por não conseguir vê-los além dos rótulos que são impostos pela mídia, pela sociedade, etc.
    Gostaria de saber, ainda mantém contato com este rapaz que ficou conhecido como "maníaco do parque"? Sabe aonde ele se encontra preso atualmente?

    Abraço

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.