O Falar em Línguas - Invocação de Domônios...

Falar em Línguas &

Invocação de Demônios

linguas-invocação

Pr. Marcelo Lemos



Uma replica ao texto “Alerta Aberto”, publicado na Internet pelo irmão Waldemar Janzen.

Sou um grande devedor dos cessacionistas. Por meio de suas obras ou interagindo pessoalmente com eles, tendo tido a grata oportunidade de aprimorar a minha fé cristã; incluindo minha fé na atualidade dos dons espirituais. De fato, apesar de hoje presenciarmos um maravilhoso despertar pentecostal por uma maior profundidade teológica, é nas mãos de cessacionistas que encontramos grande auxílio bíblico e teológico.

Uma outra coisa que eu faço questão de afirmar é que admito que muitas objeções cessacionistas precisam ser levadas a sério – coisa que poucos pentecostais fazem, preferindo, muitas vezes, esconderem-se sob alguma justificativa pragmática. É um erro que nós carismáticos precisamos corrigir, sob pena de não podermos ser levados a sério enquanto teólogos.

Por outro lado, eu me decepciono ao ver algumas objeções cessacionistas. Acho incrível que pessoas tão comprometidas com as Escrituras, consigam propagar tantas objeções irracionais e antibíblicas contra a fé na atualidade dos dons. Num artigo anterior – 7 Provas que as Línguas Acabaram – eu abordei alguns destes argumentos. No artigo de hoje farei algo semelhante.

Desta vez, o meu alvo é o artigo “Alerta Aberto”, publicado no site do irmão Waldermar Janzen. O objetivo do texto é demonstrar que as línguas faladas pelos carismáticos é um erro, e não apenas isso, mas também, algo demoníaco. Uma seriíssima acusação. O autor parece ter completa certeza de sua tese e faz, de início, um convite aos seus leitores: “Leiam e repassem”.

Li o texto e resolvi repassá-lo. Com isso, quero demonstrar a todos, inclusive aos cessacionistas, que tipo de argumentos são completamente inúteis para o debate acerca da atualidade dos dons espirituais.


PRIMEIRA QUESTÃO


“Se você já ouviu ou falou “shambalá” e ou “siriri...ririririri” em línguas estranhas  então isto te diz respeito. Shambalá é invocação do reino de satanás. Vide: movimesp.htm. Siriri é um demônio. Como alguém que se diz de Cristo pode invocar estes em línguas estranhas?”.

Questiono duas coisas nesta objeção. A primeira delas, e mais óbvia, é que para formulá-la, seu autor precisou se desvencilhar – ainda que momentaneamente – de uma constatação geralmente aceita pelo cessacionismo. Os cessacionistas são os primeiros a apontarem para o fato de que as línguas faladas pelos carismáticos não possuem uma estrutura lingüística definível ou identificável. Ou seja, caso aquilo que os carismáticos falam seja um a língua, a mesma não possui qualquer paralelo com qualquer linguagem humana. Neste ponto, um cessacionista poderá até mesmo argumentar: sendo que qualquer língua que conhecemos como tal é ‘humana’, logo, o que os carismáticos falam não é língua.

Todavia, para que a objeção acima pudesse ser formulada, seu autor precisou identificar um padrão lingüístico naquilo que escutou. Talvez ele esteja certo em tal identificação, porém, neste caso, ele concede a nós, carismáticos, um argumento irrefutável contra uma das mais sérias objeções cessacionistas contra nós. Se tal identificação lingüística é possível, logo, aquilo que se fala nos cultos pentecostais é língua.

Mas não nos apressemos. Vamos entender a objeção acima à luz do próprio cessacionismo. Uma vez que o cessacionismo advoga que as línguas que os carismáticos falam não possuem um padrão identificável, tratando-as apenas como silabas- desconexas-balbuciadas, como o irmão conseguiu formular a objeção acima? A resposta é evidente: ele identificou o que bem quis naquilo que ouviu.

Em outras palavras, ele não identificou nada e, ao mesmo tempo, identificou tudo o que quis. Ao tentar identificar as línguas como sendo uma “linguagem demoníaca”, o irmão, literalmente, não fez nada diferente daqueles pentecostais que tentam isolar alguma expressão que ouviu e identificá-la com algum dialeto africano, por exemplo. Os dois cometem grave falácia. Os dois estão errados. Os dois devem ser ignorados completamente.

O segundo ponto que estranho nesta objeção é o seguinte: além do autor identificar um padrão lingüístico nas “línguas estranhas” [“shambalá”... “siriri...ririririri”], o irmão ainda afirma textualmente que “Siriri é um demônio” e “Shambalá é invocação do reino de satanás”.

Mesmo que o tal de siriri seja um demônio, o irmão ainda precisa demonstrar que as “línguas carismáticas” possuam um padrão lingüístico decifrável – vide parágrafos anteriores – e também, decifrar o restante da frase, pois, quem garante que a pessoa que está [supostamente] dizendo o nome do Encardido, não o esteja, por exemplo, repreendendo, ou, quem sabe, alertando a Igreja sobre ele? Uma vez que o contradizente só conseguiu [supostamente] identificar um termo da frase, ele não pode me dizer o que toda ela significa.

SEGUNDA QUESTÃO



“Porque nenhum intérprete de línguas estranhas revelou isto até agora? Se ainda existissem intérpretes pelo dom do Espírito Santo certamente no teriam revelado!”.

O que eu estou curioso para descobrir é o seguinte: porque nenhum outro cessacionista foi capaz de descobrir que as línguas que os carismáticos falam são, de fato, línguas?! Elas possuem um padrão lingüístico decifrável que nenhum outro analista conseguiu perceber? Isso é fantástico!

Porém, eu quero levar esta objeção a sério. Vamos supor que seja correto identificar nas línguas carismáticas padrões lingüísticos como “shambalá” e“siriri...ririririri”. Além disso, vamos supor que a interpretação para tais padrões lingüísticos seja: “são demônios”. Ora, sento tal interpretação possível, a ponto de poder ser expressa em qualquer outra linguagem humana, como o nosso bom português; logo, contrariamente ao que dizem os cessacionistas, as línguas carismáticas são, sim, línguas, tão válidas como qualquer outra.

Ainda supondo que tudo isso seja verdadeiro, vamos a questão que o autor levanta: “Se ainda existissem intérpretes pelo dom do Espírito Santo certamente no teriam revelado!”. Vamos com calma. Qualquer leitor das Escrituras, pelas exortações que Paulo faz a Igreja de Corinto, irá notar que a interpretação das línguas muitas vezes faltava naquela Igreja. Por que? Porque eles, pecando, a negligenciavam. Porém, a negligência deles não tornava as demais manifestações espirituais falsas, nem demoníacas. Eles pecavam por não usarem um dom de Deus, mas não pecavam usando dons que não eram de Deus. E isso faz toda a diferença! Se hoje faltam interpretes na Igreja, temos um dom [interpretação] a ser buscado, e não dois dons [línguas e interpretação] a serem rejeitados! Ou seja, mesmo que não existam interpretes, uma grande negligencia!, isso não significa que o dom não esteja disponível a Igreja.

TERCEIRA QUESTÃO


“Se não existem mais intérpretes de línguas estranhas pelo dom do Espírito Santo, e a prova está acima que eles não existem mais, segue que línguas estranhas também não existem mais”.

Que prova o irmão deu de que os interpretes não mais existem? Eu não vi qualquer prova desta afirmativa, tudo o que tenho é a opinião de alguém sobre o assunto. Se a prova é a alegação de que ele, sem o dom do Espírito, foi capaz de identificar o significado da fase, nem preciso me dar ao trabalho de responder. O fato de alguém alegar ter interpretado algo não significa que realmente o tenha feito; ainda mais quando se pretende interpretar uma frase com o [suposto] conhecimento de apenas um termo dela! Isso é que é dom de interpretar línguas!

Além disso, mesmo que ele esteja interpretando corretamente a tal frase, isso não constitui prova contra a atualidade dos dons. No máximo, estamos diante de um caso de falso dom, ou de dom demoníaco, enganador. Isso é tão simples que chega a ser cansativo. Eu, por exemplo, nunca ouvi ninguém invocando “Siriri” nenhum, e tenho certeza de que a maioria de meus leitores testemunhará o mesmo. Ora, quem entende o mínimo de lógica sabe que generalizar uma particularidade é cometer falácia! Conheço alguns pastores que são ladrões, mas isso não torna todo pastor ladrão. Portanto, mesmo que alguém tenha, de fato, invocado o tal do Siriri, isso não constitui prova de que todos os falam “em línguas” estejam fazendo a mesma coisa, nem mesmo, algo semelhante.


OUTRAS QUESTÕES


“Se as pessoas falam por imitação elas são falsas”.



Isso é verdade. Todo imitador é falso. Se alguém duvida que assista o Show do Tom. Apesar desta questão levantada pelo autor ter sido incluída arbitrariamente no restante do texto, eu concordo inteiramente com ela. Aliás, é por isso que eu nunca pratico o famoso “ensinar” falar em línguas que, apesar de tão combatido, ainda é praticado por alguns...



“Se as pessoas falam pelo dom de espíritos enganadores são enganadas”.

Isso é verdade. É tão verdade hoje quanto era nos dias apostólicos. Naqueles dias esta exortação servia como alerta, mas não como negação da atualidade dos dons. Se ela não negava a realidade dos dons verdadeiros ontem, também não nega tal realidade hoje. Em outras palavras, as pessoas que falam pelo dom de espíritos enganadores são enganadas; as pessoas que falam pelo dom do Espírito De Deus, não estão enganadas.



“Se o referido ‘batismo do Espírito Santo’ produz línguas estranhas falsas é por que o batismo não foi do Espírito Santo”.

Será que o irmão interpretou TODAS as manifestações de línguas carismáticas atuais para saber que [todas] são falsas?

“O dom de falar em línguas é passado para outros por imposição de mãos, ou outro meio... O inverso também é verdadeiro. Todo o grupo, formado à partir de uma pessoa que fala em línguas falsas, fala em línguas falsas”.

Ufa! Que bom! Quer dizer que existe o falso porque existe o verdadeiro, né?

Certamente, confesso, existem questões cessacionistas muito mais poderosas e problemáticas para nós continuístas respondermos. Todavia, fiz questão de responder a este texto, mesmo julgando-o absolutamente irrelevante, por perceber que, infelizmente, argumentos semelhantes são constantemente lançados contra nossa convicção bíblica na atualidade dos dons.

Paz e bem!

17 comentários :

  1. Amigo, em alguns aspectos secundarios o contexto teologico q sigo tem divergencias para com alguns ensinamentos aqui contidos. Porém, em aspectos primarios temos a mesma fé e Salvador Jesus Cristo. Eu comecei meu blog há pouco tempo e adicionei seu blog com uma imagem para ser acessado do meu blog.

    Quanto ao mais, peço a Deus q continue abençoando seu viver com bençãos contidas na Palavra.

    Graça e Paz em Jesus.



    Ev.Charles Maciel
    http://debateteologico.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Paz Marcelo,

    Gostei da réplica, como se diz aqui, "foste na veia". :)

    Comecei numa igreja pentecostal, mas ao iniciar meus estudos "reformados" quase me "desviei" pois alguns argumentos cessacionistas são realmente muito bons, causando alguma dificuldade na réplica. Mas ao me aprofundar no estudo dos reformados incluindo alguns puritanos vi a atualidade dos dons na vida daqueles homens, não no falar ou interpretar línguas estrangeiras, não operando maravilhas ou curando, embora algumas vezes coisas assim tenham acontecido, mas sendo usados pelo Espírito de forma extraordinária, discernindo espíritos, manifestando a sabedoria do alto, profetizando a Igreja, mesmo que essa última não sendo por "inspiração" direta. Hoje mesmo no meio pentecostal precisamos que o vento sopre em nossos corações para reacender a brasa que está quase apagada, e mais ainda no meio reformado, porque para muitos deles falta o fogo do Espírito.

    A igreja precisa buscar o Fogo Santo, e parar de levar fogo estranho ao altar de Deus.

    Que o Eterno Deus te abençoe.

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  3. Graça e paz!
    Eu entendo pela Bíblia que a coisa mais importante depois do conhecimento genuino da Bíblia é a vida cristã, os dons Deus dá a quem Ele quer, é preciso vivenciar o Evangelho muitos cheios de fogo estão sempre fazendo imposição de maos no pé do ouvido da esposa e filhos. Enquanto que muitos que não falam línguas estão vivenciando como os cheios de poder nunca fizeram. Paz e Graça

    ResponderExcluir
  4. A paz do Senhor Marcelo Lemos, Sou Marcelo Medeiros, nos conhecemos na comunidade do Orkut, Apologética Cristã Evangélica. Quero parabenizá-lo, por este brilhante artigo, Abrcs.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo artigo! Muitas passoas não levam mais em conta uma boa hermeneutica e nem uma apurada exegese.
    Que Deus tenha misericórdia dos futuros alunos de Teologia.

    ResponderExcluir
  6. marcelolemoseditor9 de setembro de 2009 13:41

    Olá, Medeiros! Que bom tê-lo também aqui, sua participação muito me alegra. Obrigado pelo apoio, e espero que este blog possa ser um instrumento de bençãos em sua vida.

    Paz e bem.

    ResponderExcluir
  7. marcelolemoseditor9 de setembro de 2009 13:41

    Obrigado pelo incentivo, pastor Faria. Que Deus te abençoe ricamente, em Cristo Jesus!

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  8. Graça e Paz!
    para mim o que importa é os frutos muitos falam em linguas mas seus frutos sao ruim
    Jesus disse : a arvore se conhce pelos frutos , e muitos por ai se dizem falar em linguas direto nas igrejas e cheios do espirito santo mas nao tem um pouco nem se quer de amor e alegria e muito menos paz.


    paz de Deus a todos !

    ResponderExcluir
  9. carlos Rerto vicente13 de março de 2010 17:40

    Li seu comentario ,mas é preciso conhecer bem a palavra de Deus Apocalipse 22:18 será que Joao está falando só de apocalipse? alguém acrecentar . ou se refere ao dom de profecia relacionado com profetas ,se entendermos assim concluirmos que o dom de profecia cessou com o ultimo profeta da igreja , é certo que também o dom de línguas cessaram também.

    ResponderExcluir
  10. Meus amigos e sinceros estudantes da biblia: espirito santo viria sobre a congregação cristã primitiva para um fim especifico, Jesus disse: Recebereis espirito santo e "sereis testemunhas de mim em toda jerusalem, e até a parte mais distante da terra". Dessa forma o falar em linguas um dom do espirito santo estava totalmente ligado com o pregar as "Boas Novas a respeito de cristo". Naquela época somente os judeus de lingua grega comum o (koiné) eram seguidores de cristo e entendiam a lei e as cumpria, mais essas boas novas teria de ser estendidas aos "gentios" - pessoas de outras nações que falavam outros idiomas ou outras linguas.
    Dessa forma como os Apostolos de Cristo e discipulos declarariam as mensagens magnificas a respeito de cristo aos que não entediam o idioma dos galileus judeus, ou seja o grego? Bem temos de ser sinceros de imaginar que se eles tivessem de aprender outro idioma, (e eram varios idiomas), porque cristo falou que seria pregada em toda terra, isso levaria tempo muito tempo la não havia talvez escola de idiomas. Dessa forma Deus teve de apressar as coisas para que fosse declarado rapido as mensagens a todos os povos. Por isso da mesma forma que Deus Jeová confundiu as linguas das pessoas la no tempo de Ninrode Genesis 11. Ele usou seu poder para fazer com que os Apostolos e discipulos falassem outro idiomas para transmitir as mensagens biblicas nos quais eram Partos Medos, Elamitas, mesopotania, Cápadocia e Asia. Atos 2:9. Esse era o objetivo, depóis que a mensagem se espalhou a cada nação e os que creram eram muitos a Biblia cita que chegou a 3.000 batizados, essas pessoas por si só sem o dom de linguas espalharia a sua própria nação as boas novas e isso seria progressivo, dessa forna a mensagem se espalharia, cumprindo essa função o dons de liguas seria para dar impulso para a infatil congregação cristã e para dar evidencia de que era apartir de então o povo escohido de Deus a congregação de Deus noi qual Cristo é o Cabeça.
    Assim os dons de Linguas Cessariam porque cumpriu seu objetivo 1 aos Corintios indica isso la no Cap 13 vers: 8 - 11.

    ResponderExcluir
  11. 1 Corintios 13: 8 -11

    Vers 8:"" O amor é eterno. Existem mensagens espirituais, porém elas durarão pouco. Existe o dom de falar em línguas estranhas, mas acabará logo. Existe o conhecimento, mas também terminará. Vers 9 : Pois os nossos dons de conhecimento e as nossas mensagens espirituais são imperfeitos. Ves 10: Mas, quando vier o que é perfeito, então o que é imperfeito desaparecerá. Vs .11: Quando eu era criança, falava como criança, sentia como criança e pensava como criança. Agora que sou adulto, parei de agir como criança."
    Esses versiculos deixam claro que as linguas "acabariam logo" o vs 10 fala que quando chegar o que é perfeito o que desapareceria? Bem desapareceria o que era imperfeito, e o que era imperfeito? o versiculo 9 diz que o conhecimento e as mensagens espirituais eram imperfeito, não se fala das linguas serem imperfeitas. então elas não são consideradas no versiculo 10 mais o versiculo 10 é uma consideração das mensagens espirituais e do conhecimento.
    chegar oque é completo se refere a cristo ,ele é completo, quando ele chegar e tudo que a biblia diz, for cumprido não havera mais profecias a se cumprir não havera conhecimento a ser conhecido pois tudo tera sido cumprido, mas as linguas ja teriam a muito tempo cessadas pois cumpriram o seu objetivo, dar impulso a recem formada congregação cristã ou na infancia dela. o versiculo 11 o Apostolo fala sobre deixar as caracteristicas de pequenino, quando a congregação era infatil ainda, a caracteristica dela era entre outras coisas falar em linguas quando ela se tornou adulta essa caracteristica cessou.

    ResponderExcluir
  12. Aleluia! Até que enfim voce acertou um comentário fazendo justiça ao pentecostalismo (carismaticismo, que seja). Estou aprendendo a ler o que voce escreve, apesar de ser superficial no que fala.
    Paz.

    ResponderExcluir
  13. Caro Pr. Marcelo, Farei uma observação, que é pessoal, não sei se ocorre com outros a quem Deus, por sua infinita Misericórdia e Graça, resolveu abençoar com dons do seu Espírito e entre eles o de línguas, concordo com o irmão, pode até ser uma língua mas não entendo uma palavra do que pronuncio. A primeira vez em que senti a necessidade, direi física até, de me expressar em outra língua, não abri a bôca de forma nenhuma, até porque, embora crente, havia me convertido a pouco tempo, e ainda não havia sido apresentado a teologia dos dons espirituais, até porque não era, vamos dizer, muito de acordo com o pensamento da denominação que frequentava. Só muitos anos depois, ao passar a frequentar uma denominação pentecostal, foi que passei a me permitir pronunciar as "palavras" que me chegavam aos lábios, mas uma coisa posso lhe afirmar, sempre me moveu um temor de não estar sendo movido pelo Espírito de Deus, minha preocupação a cada vez e todas as vezes, foi estar servindo à Sua Santa, Pura e Justa Vontade, que as palavras proviessem D'Ele, somente D'Ele, por Ele e Para Ele, era o que me movia quando abria a minha bôca. Ora se esse cuidado sempre me ocorreu, que não sou melhor que ninguém, porque não aos outros irmãos a quem Deus abençou com o mesmo don. Se esse e outro dons cessaram, esqueceram de avisar ao Deus e Pai do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e ao Espírito Santo, que continua distribuíndo-os aos que resolveram amar, por sua Graça Maravilhosa.

    ResponderExcluir
  14. A velha questão sobre Cessacionismo.


    Se houvesse alguém no tempo presente com um Dom Extraordinário seria o acontecimento do século, o Cristianismo teria um crescimento Apostólico.

    E o ateísmo ficaria em cheque.


    No tempo presente não há homens com dons extraordinários, se dizem que há me apresente, e que pelo menos que sejam dons como são descritos na Bíblia!

    Fica fácil dizer que ainda há dons extraordinários, usando-se apenas das línguas! E o dom de cura?



    Mateus 11:5
    Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.


    Mateus 19:2
    E seguiram-no grandes multidões, e curou-as ali.

    Lucas 7:21
    E, na mesma hora, curou muitos de enfermidades, e males, e espíritos maus, e deu vista a muitos cegos.

    Atos14:10
    Disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou.

    Estes são exemplos de verdadeiros dons extraordinários era no ato na mesma hora cegos viam, e os coxos andavam; os leprosos eram limpos, e os surdos ouviam; os mortos eram ressuscitados.


    Hoje não vejo nenhum homem com dom para fazer o o cego vê, o surdo ouvi, o mudo falar, o atrofiado se curar, os mortos ressuscitarem etc..

    Mas as linguas estão aí rsrsrsrs.....

    ResponderExcluir
  15. No tempo presente não há homens com dons extraordinários, se dizem que há me apresentema, e que pelo menos que sejam dons como são descritos na Bíblia!

    Onde o cego vê, um morto ressuscita, coxo anda etc.. tudo de forma espontânea no ato.

    Quando Paulo junto a Barnabé pelo ES operou seu Dom de cura, os pagãos ignorantes pesaram que eles eram deuses Atos 14:11, só para ter uma ideia de quão sobrenatural é um Dom de cura.


    Fica fácil dizer que ainda há dons extraordinários, usando-se apenas das línguas! E o dom de cura?

    Um Dom, como um nome já diz era um presente do Espírito ao Homem,o dom de cura era a habilidade de curar à vontade pelo poder de Deus.

    Este era um dom de sinal para aqueles que desacreditavam da pregação de Cristo e de seus discípulos (Mateus 11:2-5, Marcos 16:17-18, Atos 2:22, Atos 4:29-30, Hebreus 2:3-4).

    Os primeiros apóstolos, pela manhã, pregaram o evangelho e curaram. A cura trazia a atenção para que se verificasse a veracidade do evangelho (não é igual aos curandeiros modernos que enfatizam e pregam a própria cura como sendo uma finalidade da pregação).

    Por isso que eu digo, já que muitos creem que nós "Tradicionais" temos algum tipo de "incredulidade" sobre está questão, vem a nós e opere um Dom do Espírito pois ele tem justamente está finalidade.

    Por isso, disse que tenho evitado, este tipo de debate pelo simples fato que, se os -continuístas- tem razão este debate não haveria na Igreja, era só opera-los e pronto,e tirar os irmãos do "erro".

    ResponderExcluir
  16. Tenho um amigo cadeirante, que tem muita fé por sinal, lendo o NT ele vê os Apóstolos curarem "deficientes" como ele , de forma espontânea no ato os curava ali mesmo "Levanta e anda!".

    Então por-favor se alguém diz ter mesmo estes Dons ainda hoje, deixem o meio de se comunicar, para vcs irem a ele e cura-lo, ou será que existe apenas o Dom de lingua?

    ResponderExcluir
  17. Isso é uma questão muito simples de resolver, os continuístas não sabem ( Ou não conseguem?) provar ( Ou Deus não está Testificando a mensagem deles? Hebreus 2:3-4) que seus Dons são como os da -Bíblia- depois querem que nós busquemos isso?

    É igual ao do NT? Cadê nos mostrem é simples....

    Eu sou o primeiro a querer um Dom do Espírito, como sãos os da Bíblia curar um dom para fazer o cego vê, o surdo ouvi, o mudo falar, o atrofiado se curar, os mortos ressuscitarem etc.. ali no ato "Levanta e anda!".

    Isto sim é Dom!

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.