Anglicanismo real: o câncer do liberalismo


Rev. Marcelo Lemos

Assim como o GAFCON repudiou a influência do mundo dentro da Igreja, e defendeu, por exemplo, o modelo bíblico para o casamento, o mesmo foi feito pelo Sínodo 2013 da Igreja Anglicana Reformada do Brasil. Este ano aprovamos nossa tão esperada declaração sobre Matrimônio e Sexualidade Humana.

E não estamos sozinhos nessa luta. Enquanto os liberais seguem sua marcha de destruição da fé cristã dentro da espiritualidade anglicana, a maioria dos anglicanos esteve representada no GAFCON 2013, reunido em Nairobi, África, em clara defesa da mesma.


Infelizmente o Brasil está bem no olho do furacão liberal. Furação que, aos olhos dos destruidores, parece ter o sabor do '‘nirvana’'. E talvez tenha esse sabor, para eles, não-cristãos. Pesado? Longe de nós a injustiça em tal acusação, uma vez que eles sequer acreditam na exclusividade de Cristo, como o Reverendo Aldo, da Catedral Anglicana de São Paulo, que já declarou que “reencarnação” e “ressurreição” são simplesmente “modos diferentes” de encarar a salvação eterna... Vale dizer, contudo, que hoje Aldo também já de desligou da IEAB, e, pelos padrões que a IEAB utiliza, já não é mais um... “anglicano”. Bem, de fato, nunca foi, já que para ser anglicano é necessário, antes, ser cristão.

Fosse só a IEAB o lado podre do anglicanismo por aqui já seria ruim – mas existe muito mais. Contudo, as notícias que nos chegam dela são estarrecedoras, ainda que previsíveis. Certamente teremos muito material para os demais artigos dessa série de textos. 

Há algum tempo tivemos acesso aos planos que a liberal e apóstata IEAB tem para seu próximo Sínodo, a saber, equiparar o casamento cristão com o “casamento” homossexual. Ficamos calados, já que a mesma ainda não se pronunciara oficialmente. Simplesmente seguimos com nossos planos, e aprovamos nossa própria declaração sobre Matrimônio, como decidido desde o ano passado. Infelizmente descobrimos que os planos da IEAB, ou de parte dela, são reais, e agora tal informação se confirma publicamente, com um texto de Carlos Eduardo Calvani, reverendo da referida Instituição. Lamentável.

Segundo Calvani, existe dentro da IEAB o “verniz” e a “madeira”. O “verniz” é uma referência aos, como ele, liberais e politicamente corretos, comprometidos com a (sic) “justiça”, de onde se conclui que a “madeira” é a cousa velha, reacionária, e comprometida com o (sic) “conservadorismo”, e, por inferência lógica, com a “injustiça”. Seja como for, Calvani se mantém confiante, na certeza de que Deus guirá os liberais na luta pela “justiça”. Interessante?

Mas, quem for “madeira” dentro da IEAB, que se cuide, pois Calvani quer “voto aberto”, e as opiniões gravadas (som, vídeo) para a posteridade, a fim de que todos possam saber quem é “madeira” e quem é “verniz”. Tudo isso em nome da unidade da Igreja, segundo ele: Tempos atrás ouvi de um bispo hoje jubilado a seguinte frase: “A IEAB tem um verniz liberal sobre uma madeira conservadora”. Seria ótimo se, no momento em que a plenária do Sínodo debater esse assunto, todas as intervenções fossem gravadas e que o voto fosse aberto e declarado. Desse modo, ao menos poderíamos identificar o verniz e a madeira e compreender que somos parte da mesma construção e do mesmo edifício”. Quer dizer, todo mundo é irmão na IEAB, mas os liberais defendem a justiça, e os (sic) conservadores defendem a injustiça, contra a qual Deus ajuda Calvani lutar.

Ao que parece, na nossa querida e cristã IARB quem deve se cuidar é o "verniz", já que aqui os votos dos quais participei foram sempre abertos, ainda que Calvani considere nós, os conservadores, uma real ameaça a sua deusa "democracia". Hum. 

Não temos como saber, com certeza, se o próximo Sínodo da IEAB aprovará o que chamam de “casamento igualitário” - eufemismo para “casamento homossexual”. Provavelmente o aprovarão, a menos que permaneçam covardes e hipócritas. Caso não o aprovem este ano, o farão no futuro, se Deus não lhes enviar arrependimento. Contudo, sabemos que a Igreja de Cristo se manterá firme, como os bispos reunidos na África este ano deixaram claramente definido:


Estamos comprometidos a ensinar que... o casamento é uma união exclusiva, e para toda a vida, entre um homem e uma mulher. Exortamos que todos trabalhem e orem pela constituição e fortalecimento de casamentos e famílias saudáveis. Por este motivo, nos opomos à maré secular que milita em favor do casamento homossexual”.

- Bispo anglicanos, GAFCON, Nairobi, 2013.

Como se vê, aquilo que Calvani, e os liberais de várias “igrejas” chamam de “bem”, os cristãos chamam de “militância mundana”. Soli Deo Gloria. Este ano o Brasil esteve duplamente representado no Gafcon, como falamos no texto anterior. Primeiro, na pessoa do Bispo Miguel Uchoa, da Diocese do Recife, e também pela presença de Josep Rossello, bispo diocesano da Igreja Anglicana Reformada do Brasil, e advogado do NAMS na América Latina. Já os liberais da IEAB tentaram desdenhar do evento, mas se calaram quando viram o Arcebispo da Cantuária presente na África – até tiraram o texto de seu site, covardemente. Continuarão covardes, ou vestirão logo a máscara da apostasia? O melhor mesmo é que se convertessem de seus maus caminhos. Até porque, o Juízo começa pela casa de Deus.


Um comentário :

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir

Comente e faça um blogueiro sorrir!

Reservamos o direito de não publicar comentários que violem a Lei ou contenham linguagem obscena.